Câncer: o mal que aparecer sem nos apercebermos

    Augusto Constantino

    Sengundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer) o câncer “é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase) para outras regiões do corpo.” Diferenciando de tumor que pode ser uma consequência da presença do câncer ou não.

    Este mal, conforme a OMS, tornou-se em um problema de saúde pública, especialmente entre os países em desenvolvimento, onde é esperado que, nas próximas décadas, o impacto do câncer na população corresponda a 80% dos mais de 20 milhões de casos novos estimados para 2025.

    Os tipos de câncer mais incidentes no mundo foram: pulmão (1,8 milhão), mama (1,7 milhão), intestino (1,4 milhão) e próstata (1,1 milhão). Nos homens, os mais frequentes foram pulmão (16,7%), próstata (15,0%), intestino (10,0%), estômago (8,5%) e fígado (7,5%). Em mulheres, as maiores frequências encontradas foram mama (25,2%), intestino (9,2%), pulmão (8,7%), colo do útero (7,9%) e estômago (4,8%).

    Em Moçambique os tipos de cânceres ou câncros mais abordados são os de útero e os da mama. Cerca de 32 em cada 100 novos casos, de todos os cancros na mulher, são casos de cancro do colo do útero, correspondendo a cerca de 3.690 casos e 2.356 mortes por ano, sendo assim o tipo de cancro mais comum nas mulheres moçambicanas.
    Esses dados são suficientes para nos manter alertas. Passamos a descrever como ocorre o câncer.

    Processo de carcinogênese

    O processo de carcinogênese, ou seja, de formação de câncer, em geral se dá lentamente, podendo levar vários anos para que uma célula cancerosa prolifere e dê origem a um tumor visível. Esse processo passa por vários estágios antes de chegar ao tumor. São eles:

    #1 – Fase de iniciação

    Nesta fase as células sofrem o efeito dos agentes cancerígenos ou carcinógenos que provocam modificações em alguns de seus genes. Nesta fase as células se encontram, geneticamente alteradas, porém ainda não é possível se detectar um tumor clinicamente. Encontram-se “preparadas”, ou seja, “iniciadas” para a ação de um segundo grupo de agentes que atuará na próxima fase.

    #2 – Fase de promoção

    As células geneticamente alteradas, ou seja, “iniciadas”, sofrem o efeito dos agentes cancerígenos classificados como oncopromotores. A célula iniciada é transformada em célula maligna, de forma lenta e gradual. Para que ocorra essa transformação, é necessário um longo e continuado contacto com o agente cancerígeno promotor. A suspensão do contacto com agentes promotores muitas vezes interrompe o processo nessa fase. Alguns componentes da alimentação e a exposição excessiva e prolongada a hormonas são exemplos de factores que promovem a transformação de células iniciadas em malignas.

    #2 – Fase de progressão

    Nesta última fase há uma multiplicação descontrolada e irreversível das células alteradas. Nesse momento o câncer já está instalado, evoluindo até o surgimento das primeiras manifestações clínicas da doença. Os fatores que promovem a iniciação ou progressão da carcinogênese são chamados agentes oncoaceleradores ou carcinógenos. O fumo é um agente carcinógeno completo, pois possui componentes que atuam nos três estágios da carcinogênese.

    câncer as fases de carcinogênese

    Figura 1. As fases da carcinogênese (INCA, 2002, p.58)

    Causas do câncer

    São várias as causas do câncer desde físicas até genéticas. A energia radiante, solar e ionizante, é o mais importante carcinógeno físico. Cânceres de mama, ossos e do intestino são menos suscetíveis à carcinogênese por este tipo de radiação. O mecanismo da carcinogênese pela radiação reside na sua capacidade de induzir mutações. Essas mutações podem resultar de algum efeito direto da energia radiante ou de efeito indireto intermediado pela produção de radicais livres a partir da água ou do oxigênio. As radiações na forma de partículas (como partículas alfa e nêutrons) são mais carcinogênicas do que a retenção eletromagnética (raios X, raios gama).

    Muitos dos agentes carcinogênicos químicos encontram-se no meio ambiente humano e relacionam-se a hábitos sociais, alimentares ou ocupacionais. Nos processos de iniciação e promoção, a célula ainda pode encontrar-se sob a ação dos fatores de inibição do crescimento, e o resultado final dependerá do balanço obtido entre estes fatores e a intensidade das alterações provocadas na células pela ação dos agentes iniciadores e promotores.

    Diversos vírus de ADN e de ARN produzem cânceres em animais, e alguns foram implicados na gênese do câncer humano. Entre os vírus de ADN, encontram-se os do Papilomavírus humano (HPV), de Epstein-Barr (EBV) e o da hepatite B (HBV).

    A descoberta de que os oncogenes causadores de tumores estão relacionados aos genes normais levantou várias questões sobre o papel destes genes no crescimento e desenvolvimento (diferenciação) das células normais e tumorais. Parece certo que etapas da iniciação e promoção de um tumor e a própria existência de uma neoplasia maligna depende da expressão (manifestação do efeito) aumentada de oncogenes, ocasionada por amplificação (aumento do número de cópias do gene), por expressão alterada de genes repressores ou por mutações críticas em áreas de determinado oncogene.

    Fonte: Fisiologia do câncer

    Docente universitário, formado em farmácia. Com mestrado em Teologia e análises clínicas. Webdesigner…possui vários sites na internet inclusive o site Augusto Constantino onde posto material didático e relevante para áreas de farmácia, nutrição, teologia e marketing digital.

    Leave a comment

    Your email address will not be published.

    Mostre que não é robô *