Censo 2017: desvio de fundos na Zambézia

O jornal O País destacou a respeito do desvio de fundos do censo:

Chefes dos administrativos e das localidades envolvidos no “caso desvio de fundos em Namarroi”

Há indícios de desvio de somas de valores até aqui não quantificados no distrito de Namarroi, na Zambézia. Trata-se de valores destinados a pagamentos de subsídio de formação de candidatos a controladores e recenseadores. O assunto foi despoletado ao nível local e comunicado ao gabinete provincial de recenseamento geral da população e habitação bem como ao governador da Zambézia.

Poderia gostar de ler:

O caso foi levantado por um funcionário do gabinete distrital de recenseamento que fazia parte da equipe de distribuição dos valores aos candidatos a controladores e recenseadores. A nossa reportagem sabe que em conexão com o caso estão envolvidos chefes dos administrativos e de localidades cujas zonas estão ainda em investigação.

Armando Terenha, Director do gabinete provincial do Censo, na Zambézia, tem fé que a justiça saberá investigar e punir severamente aqueles envolvidos que de alguma forma quiseram manchar o bom nome da instituição diante dos recenseadores e controladores.

censo 2017 300x153 Censo 2017: desvio de fundos na Zambézia

Refira-se que o recenseamento geral da população e habitação ocorreu entre os dias 1 a 15 deste mês.

Refira- se que os custos com a realização do censo, que empregou temporariamente mais de 80 mil pessoas, entre recenseadoras e supervisores e que deveriam ser suportados pelo governo e pelos parceiros internacionais, sendo que a Suécia foi, até à data, a única entidade que proporcionou financiamento directo com cerca de 2,9 milhões de dólares.

O mesmo censo já teria começado com alguns problemas e notamos paralisações de recenseamento em alguns pontos do país a respeito do mesmo. Esperamos que as autoridades competentes possam agir a favor dos recenseadores da Zambézia.

Leia mais no augusto bene notícias, conheça o que tem acontecido no mundo e em Moçambique.