Doenças ocupacionais: toxicologia

Doenças ocupacionais é designação de várias doenças que causam alterações na saúde do trabalhador, provocadas por fatores relacionados com o ambiente de trabalho. A doença ocupacional está diretamente ligada à modificação na saúde do trabalhador por causa da atividade desempenhada por ele ou da condição de trabalho às quais ele está submetido. Dessa forma, as doenças ocupacionais podem ser classificadas como:

  • Doença Profissional (Tecnopatia): é a modificação na saúde do trabalhador, desencadeada pelo exercício da sua atividade profissional.
  • Doença do Trabalho (Mesopatia): é a modificação na saúde do trabalhador, desencadeada em função de condições especiais em que o trabalho é realizado e com ele se relaciona diretamente.

 Doenças ocupacionais: Classificação dos principais riscos ocupacionais

Uma doença ocupacional é adquirida quando um trabalhador é exposto em excesso a riscos químicos, físicos, biológicos, ergonômicos ou de acidentes, sem nenhuma proteção compatível.

As classes de riscos e sua gravidade no ambiente de trabalho é representada de acordo com o quadro abaixo:

doencas ocupacionais simbolos dos riscos 300x143 Doenças ocupacionais: toxicologia

Exemplo das classes de agentes e de gravidade dos riscos representados em um mapa de risco empresarial:

doencas ocupacionais riscos 300x183 Doenças ocupacionais: toxicologia

Levando em consideração a natureza dos riscos, bem como a sua forma de atuação no organismo humano, segue a relação de agentes que podem ser encontrados no ambiente de trabalho:

Riscos Físicos (cor verde): Consideram-se agentes de risco físico as diversas formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores. Ex. ruído, calor, frio, pressão, umidade, radiações ionizantes e não-ionizantes, vibração, etc.

Ruídos

Conseqüências: fadiga nervosa; irritabilidade; perda temporária ou definitiva da audição, etc.

Medidas de controle: Proteção coletiva (isolamento da máquina; isolamento de ruído); Proteção individual (Equipamento de Proteção Individual – EPI – protetor auricular);

Medidas médicas: exames audiométricos periódicos, afastamento do local de trabalho, revezamento.

Medidas educacionais: orientação para o uso correto do EPI, campanha de conscientização.

Medidas administrativas: tornar obrigatório o uso do EPI, controlar seu uso.

Vibração

Cnseqüências:  alterações neurovasculares nas mãos;  problemas nas articulações das mãos e braços; osteoporose (perda de substância óssea); lesões na coluna vertebral; dores lombares.

Medidas de controle: Revezamento dos trabalhadores expostos aos riscos (menor tempo de exposição).

Radiações

Conseqüências:perturbações visuais (conjuntivites, cataratas); queimaduras; lesões na pele; câncer; etc.

Medidas de controle: Proteção coletiva (isolamento da fonte de radiação. Ex: biombo protetor para operação em solda, pisos e paredes revestidas de chumbo em salas de raio-x); Proteção individual: EPI (ex: avental, luva, perneira e mangote de raspa para soldador , óculos para operadores de forno).

Medida administrativa: ex: dosímetro de bolso para técnicos de raio-x.

dida médica: exames periódicos.

Calor

Conseqüências: desidratação; erupção da pele; fadiga física; distúrbios psiconeuróticos; problemas cardiocirculatórios.

Frio

Conseqüências: feridas; rachaduras e necrose na pele; agravamento de doenças reumáticas; predisposição para doenças das vias respiratórias.    Medidas de controle: Proteção coletiva (isolamento das fontes de calor/frio; Proteção individual (EPI – ex: avental, bota, capuz, luvas especiais).

Riscos Químicos (cor vermelha): Substâncias, compostos ou produtos que possam penetrar no organismo do trabalhador pela via respiratória, ou serem absorvidos pelo organismo através da pele ou por ingestão. Ex. ácidos ou bases fortes, brometo de etila, solventes, metais pesados, vapores, gases e produtos químicos em geral.

Poeiras

Poeiras minerais: Ex: sílica, asbesto (amianto), carvão mineral.

Consequências: silicose (quartzo), asbestose (amianto), pneumoconiose dos minérios de carvão.

Poeiras vegetais: Ex: algodão, bagaço de cana-de-açúcar.

Consequências: bissinose (algodão);bagaçose (cana-de-açúcar)

Poeiras alcalinas: Ex: calcário

Consequências: doenças pulmonares obstrutivas crônicas; enfisema pulmonar

Fumos: Partículas sólidas produzidas por condensação de vapores metálicos. Ex: fumos de óxido de zinco nas operações de soldagem com ferro.

Consequências: doença pulmonar obstrutiva, febre de fumos metálicos, intoxicação específica de acordo com o metal.

Névoas: Partículas líquidas resultantes da condensação de vapores ou da dispersão mecânica de líquidos. Ex: névoa resultante do processo de pintura a revólver, sprays ou aerossóis.

Gases: Estado natural das substâncias nas condições usuais de temperatura e pressão. Ex: hidrogênio, ácido nítrico, butano, etc.

Vapores

Conseqüências: Irritantes (irritação das vias aéreas superiores. Ex: ácido clorídrico, ácido sulfúrico, soda cáustica, cloro, etc.); Asfixiantes (dor de cabeça, náuseas, sonolência, convulsões, coma e morte. Ex: H2, N2, CH4, CO2 , CO, etc.); Anestésicos (ação depressiva sobre o sistema nervoso, danos a diversos órgãos, ao sistema formador de sangue (benzeno), etc. Ex: butano, propano, aldeídos, cetonas, cloreto de carbono, tricloroetileno, benzeno, tolueno, álcoois, percloritileno, xileno, etc.).

Medidas de controle: Proteção coletiva (Ventilação e exaustão, substituição do produto químico utilizado por outro menos tóxico, redução do tempo de exposição, estudo de alteração de processo de trabalho, conscientização dos riscos no ambiente); Proteção individual (EPI como medida complementar. Ex: máscara de proteção respiratória para poeira, para gases e fumos; luvas de borracha, neoprene para trabalhos com produtos químicos, afastamento do local de trabalho).

Riscos Biológicos (cor marrom): Consideram-se como agentes de risco biológico seres vivos que possam causar doenças ao trabalhador e deterioração de produtos. Ex. bactérias, vírus, fungos, helmintos, protozoários e outros parasitas.

Agentes Biológicos diversos

Conseqüências: AIDS, hepatite, leptospirose, tuberculose, brucelose, malária, febre amarela, micoses, parasitoses, infecções intestinais, entre outras.

Medidas de controle: saneamento básico (água e esgoto), controle médico permanente, uso de EPI, higiene rigorosa nos locais de trabalho e pessoal, uso de roupas adequadas, vacinação, treinamento, sistema de ventilação/exaustão.

Existem diferentes vias de penetração no organismo humano, com relação à ação dos riscos biológicos

Cutânea: ex: a leptospirose é adquirida pelo contato com águas contaminadas pela urina do rato;

Digestiva: ex: ingestão de alimentos deteriorados;

Respiratória: ex: a pneumonia é transmitida pela aspiração de ar contaminado.

Riscos Ergonômicos (cor amarela): Qualquer fator que possa interferir nas características psicofisiológicas do trabalhador, causando desconforto ou afetando sua saúde. Ex. levantamento de peso, ritmo excessivo de trabalho, monotonia, repetitividade, postura inadequada, falta de iluminação ou ventilação, etc.

Diversas causas

Conseqüências: cansaço físico; dores musculares, LER/DORT, estresse, depressão, hipertensão arterial, alteração do sono, doenças nervosas, taquicardia, doenças do aparelho digestivo (gastrite e úlcera), ansiedade, problemas de coluna, etc.

Medidas de controle: Ajuste entre as condições de trabalho e o homem sob os aspectos de praticidade, conforto físico e psíquico por meio da melhoria no processo de trabalho, melhores condições no local de trabalho, modernização de máquinas e equipamentos, melhoria no relacionamento entre as pessoas, alteração no ritmo de trabalho, ferramentas adequadas, postura adequada, etc.

Riscos de Acidente (cor azul): Qualquer fator que coloque o trabalhador em situação vulnerável e possa afetar sua integridade, e seu bem estar físico e psíquico. Ex. máquinas e equipamentos sem proteção ou defeituosos, probabilidade de incêndio e explosão, arranjo físico inadequado, armazenamento inadequado, animais peçonhentos, ferramentas inadequadas ou defeituosas.

Arranjo físico deficiente: É resultante de: prédios com área insuficiente; localização imprópria de máquinas e equipamentos; má arrumação e limpeza; sinalização incorreta ou inexistente; pisos fracos e/ou irregulares.

Máquinas e equipamentos sem proteção: Máquinas obsoletas; sem proteção em pontos de transmissão e de operação; comando de liga/desliga fora do alcance do operador; máquinas e equipamentos com defeitos ou inadequados; EPI inadequado ou não fornecido.

Ferramentas inadequadas ou defeituosas: Ferramentas usadas de forma incorreta; falta de fornecimento de ferramentas adequadas; falta de manutenção.

Eletricidade: Instalação elétrica imprópria, com defeito ou exposta; fios desencapados; falta de aterramento elétrico; falta de manutenção.

Incêndio ou explosão: Armazenamento inadequado de inflamáveis e/ou gases; manipulação e transporte inadequado de produtos inflamáveis e perigosos; sobrecarga em rede elétrica; falta de sinalização; falta de equipamentos de combate ou equipamentos defeituosos.

Conseqüências: danos físicos, como fraturas, queimaduras, contusões, choques elétricos,etc.

Medidas de controle: Proteção Individual (uso de EPI quando aplicáveis), Proteção Coletiva (sinalização dos perigos, extintores de incêndio, manutenção de equipamentos, treinamento adequado dos funcionários, fornecimento de ferramentas adequadas).