Máfia PayPal é um grupo composto por pessoas riquíssimas

    Augusto Constantino

    Me deparei com este títutlo O que é a ‘máfia PayPal’, grupo de onde saíram alguns dos homens mais ricos do Vale do Silício. Seguindo a BBC Brasil pude ler:
    Alguns dos fundadores ou primeiros investidores dessas gigantes de tecnologia passaram antes pelo PayPal, e tiveram um papel importante no início de seu desenvolvimento.
    Há anos que eles já não fazem mais parte dessa companhia, mas alguns acabaram mantendo contato e criaram até um nome para se referir ao grupo: a “máfia PayPal”.

    Não há um número conhecido de pessoas que fazem parte dela, mas um de seus fundadores, Peter Thiel, prefere dizer que são os 220 trabalhadores que a empresa tinha antes de ter sido comprada pelo eBay, em 2002 – já que muitos deles saíram nessa época e engataram a criação de seus próprios negócios no meio digital.
    Foi esse processo de venda que marcou o início da diáspora da equipe do PayPal, que havia sido fundado em 1998. A maioria não tem boas memórias dessa época, como conta David Sacks, o antigo chefe de operações da PayPal e fundador da rede de contatos profissionais Yammer.

    “Basicamente, fomos expulsos da nossa terra e eles (eBay) queimaram o nosso templo. Então, nos espalhamos por todo o mundo e tivemos que criar novas casas”, descreveu ele ao site TechRepublic.

    No fim, isso acabou sendo bastante produtivo para o setor de tecnologia: o PayPal é hoje uma empresa que fatura mais de US$ 10 bilhões ao ano e que revolucionou a indústria bancária; já a máfia PayPal formou empresas de muito sucesso e líderes em inovação, que também estão transformando seus mercados. Entre eles, há vários milionários – seis dos quais conquistaram uma fortuna que supera o US$ 1 bilhão. Abaixo, contamos a história de alguns dos que mais se destacaram:

    máfia paypal
    Imagem da BBC (GETTY IMAGES)

    1. Peter Thiel

    Foi um dos fundadores do PayPal e o primeiro diretor-geral da empresa. Nasceu na Alemanha, mas foi criado entre a África e os Estados Unidos. Ele fundou em 1998 uma empresa chamada Confinity (que mais tarde se chamaria PayPal) com o objetivo de desenvolver um software para que pessoas e empresas pudessem ter uma espécie de “carteira virtual”, que permitisse a elas realizar transações financeiras pela internet.

    Era a época do “boom” da internet, e os serviços online estavam começando a ganhar adeptos.
    Depois que o eBay comprou o PayPal, Thiel saiu da empresa e passou a se dedicar a outros negócios, que incluem fundos de alto risco, a empresa de análise de dados Palantir e o fundo de capital de risco Founders Fund.
    Esses dois últimos, aliás, foram criados com outros membros da máfia PayPal.

    Mas Thiel é mais conhecido por ser o primeiro investidor externo do Facebook (ele investiu US$ 500 mil em 2004 e, atualmente, as vendas de ações já lhe renderam mais de US$ 1 bilhão).
    Recentemente, ele chamou a atenção por ter apoiado a campanha presidencial de Donald Trump.

    2. Max Levchin

    O cofundador do PayPal nasceu na Ucrânia e chegou aos Estados Unidos no início dos anos 1990 como refugiado político.
    Depois de deixar a empresa, ele embarcou em outra aventura no empreendedorismo: criou a Slide, um serviço que permitia organizar e compartilhar fotos em redes sociais e que depois desenvolveu alguns plug-ins de sucesso no Facebook, como o “Super Poke”, o “My Questions” e o “Top Friends”.

    Levchin acabou vendendo o negócio para o Google, mas um ano depois a empresa decidiu fechar o serviço, e Levchin se dissociou da gigante tecnológica.
    Depois disso, ele seguiu os rumos de seu ex-companheiro de PayPal, Thiel, e resolveu investir em uma outra plataforma, que hoje já é bastante conhecida: a Yelp, onde usuários podem recomendar empresas locais.

    Onde ele conheceu os fundadores do Yelp? Justamente no PayPal – dois deles haviam trabalhado lá, Jeremy Stoppelman e Russel Simmons.
    Levchin também foi membro do conselho administrativo do Yahoo e do Evernote e produtor executivo do filme Obrigado por Fumar (2005).

    3. Elon Musk

    Hoje conhecido como diretor-geral da Tesla e fundador da SpaceX, no passado Elon Musk foi acionista e diretor-geral do PayPal.
    A empresa dele, X.com, se fundiu com o PayPal em 1999, e o empresário sul-africano ficou à frente dele durante um curto período de tempo – acabou destituído em outubro de 2000.
    No entanto, ele se manteve como principal acionista da empresa até a venda dela ao eBay – e ganhou cerca de US$ 165 milhões no negócio.
    Além da empresa aeroespacial SpaceX, Musk tem outros empreendimentos inovadores, como a Neuralink, de neurotecnologia.

    4. Steve Chen, Chad Hurley e Jawed Karim

    Chen, Hurley e Karim se conheceram quando trabalhavam no PayPal.
    Nenhum deles havia completado 30 anos em 2005, quando se uniram para fundar um conceito que não existia até então: uma plataforma para compartilhar vídeos online – o nome dela seria “YouTube”.
    Um ano depois, em 2006, o Google comprou a empresa em uma transação que rendeu a eles milhões de dólares – o YouTube foi vendido por US$ 1,65 bilhão.
    Desde então, Chen, Hurley e Karim participaram da criação de outras companhias no ramo da tecnologia. Entre elas, o Airbnb, do qual Karim foi um dos primeiros investidores.

    5. Reid Hoffman

    Hoffman havia feito parte da diretoria do PayPal desde o início e era vice-presidente executivo quando o eBay comprou a empresa em 2002.
    No mesmo ano, ao lado de antigos companheiros de PayPal e de sua antiga empresa, a Social Net, ele fundou uma rede social dedicada a contatos profissionais, que vem a ser o LinkedIn.
    Este, por sua vez, acabou vendido para a Microsoft por US$ 26,2 bilhões em 2016. e hoje tem mais de 100 milhões de usuários por mês.
    Hoffman passou a fazer parte do conselho administrativo da Microsoft em 2017, mas também contribui para o desenvolvimento de outras empresas como investidor – Facebook, Airbnb e Change.org são alguns dos destinos do seu dinheiro.

    Docente universitário, formado em farmácia. Com mestrado em Teologia e análises clínicas. Webdesigner…possui vários sites na internet inclusive o site Augusto Constantino onde posto material didático e relevante para áreas de farmácia, nutrição, teologia e marketing digital.

    Leave a comment

    Your email address will not be published.

    Mostre que não é robô *