Meu Carrinho 0

Blog

Pesquisa científica: primeiros passos

pesquisa cientifica

Todos precisamos dar um passo e sem este passo poderemos ficar estagnados e sem saber o que fazer. A questão que se pode levantar com respeito a pesquisa científica é por onde começaremos a nossa pesquisa?

Iríamos responder de forma muito breve, isto é, para se começar uma pesquisa teremos que conhecer o assunto ou tema, depois identificar um problema real que serão guiados por meio de perguntas.

Essas perguntas se traduzem em nossos objectivos e para não deixarmos de lado a importância de antes do mais procurarmos responder o nosso problema postulando hipóteses.

Quando se chega aqui poderíamos dizer que já terminamos o que estamos a procura, mas na verdade teremos mais uma tarefa exaustiva que se concentra na elaboração de uma justificativa que irá responder o porquê da pesquisa.

Iremos explicar cada assunto particularmente, porém agora nos deteremos a descrever como escolher um tema de pesquisa.

Como escolher um tema de pesquisa científica?

Este é um passo crucial para qualquer um que quiser fazer a pesquisa científica e ele pode surgir devido a nossa experiência, leituras realizadas, uma observação, notícias, informações na internet, ou seja, o tema pode surgir a partir de qualquer ideia ou ocorrência.

Ao olharmos para o que deixámos dito atrás podemos cair no erro de que é uma tarefa fácil; enquanto, na verdade, a escolha de tema envolve uma prévia direcção de que haverá perguntas que terão que ser respondidas.

Na maioria das vezes iremos precisar de um director, orientador ou tutor de pesquisa para quem está a começar nessa área, mas para quem já tem alguma prática poderá não precisar de um supervisor da pesquisa.

Em todos os casos é preciso se conhecer muito bem o que se vai pesquisar, isto é, deve haver um conhecimento a respeito daquela área de inclinação que é para não pararmos no meio do caminho da pesquisa por não compreendermos alguns fenómenos ou mesmo não dominarmos algumas teorias.

Assim, o pesquisador, de antemão, deverá fazer as seguintes questões:

  • é um tema atraente? Por que razões?
  • É um tema inovador?
  • O tema pode servir para elaborar teorias?
  • O estudo que se pretende realizar pode servir para criar bases teóricas que dêem lugar a novos estudos?
  • É facilmente acessível?

O tema deve ser muito específico e não muito amplo, que é para facilitar a viabilidade da realização da pesquisa.

Como formular o problema de pesquisa científica?

A formulação do problema poderemos considerar como a espinha dorsal da pesquisa científica. Não poderemos começar uma pesquisa se não tivermos o que pesquisar; para se conseguir elaborar um problema com eficácia é necessário fazer uma revisão bibliográfica ou mesmo consultar algum especialista.

Podemos ainda incluir ao que dissemos atrás dizendo que um problema é a obtenção de resposta a respeito de um fenómeno que está a ocorrer. Essa resposta deverá ser obtida a custa de um método científico.

O pesquisador depois de ter escolhido o tema terá que enfrentar várias situações para elaborar um problema que seja claro e conciso. Porque o trabalho a ser feito é ir em busca das variáveis, identificar a população (ou o objecto) a estudar, bem como estabelecer a lógica que sustentabilize o problema.

Na verdade, quando falamos em formulação de um problema estamos a nos referir no processo da explicação do fenómeno que observamos até chegarmos ao ponto onde não é possível mais explicar. O ponto que não é mais possível explicar deverá ser muito relevante ao ponto de desejarmos realmente pesquisar.

Para se alcançar este objectivo devemos fazer com que, de alguma forma, o fenómeno exposto possa ser observado, no mínimo lidar com duas variáveis, delimitar os aspectos que lhe conferem, definir com clareza o problema. Isto significa que qualquer leitor deverá compreender, sem dúvidas, o problema.

Assim, existe um trabalho exaustivo de reduzir todos os dados recolhidos, sendo obrigados, assim, a realizarmos um trabalho preliminar com a finalidade de esclarecermos o que se estuda ou objetivo, com quem se estuda ou sujeitos que se vão estudar e como se estuda ou mesmo as várias necessárias.

Antes de avançarmos temos que distinguir aqui três tipos possíveis de problemas: (1) Teóricos que se centra a produzir novas teorias, enquanto que se pretendemos transformar uma situação específica o proble será (3) prático e, finalmente, existem aqueles que se adequam aos dois sendo assim designados teórico-práticos.

Por mais que existam dicórdias com relação a formular uma pergunta que sirva como problema, mas teremos que, por ser mais conveniente, formular uma pergunta que sirva como o nosso problema.

O pesquisador deve saber e ter a certeza se o problema formulado é mesmo relevante e válido, se tem uma solução viável, se tem relação com uma teoria, conhecimento ou prática educacional.

Formulação das perguntas de pesquisa científica

Esta etapa é crucial para o pesquisador, pois aqui ele vai elaborar as perguntas que lhe vão facilitar para saber de que tipo de trabalho ele está fazer. Talvez em uma óptica mais ampla o pesquisador irá com estas perguntas entender se é possível chegar a alcançar os objectivos.

Existem vários tipos de indagações que podem ser feitas de acordo com a natureza da ação que pretendemos ter. Assim podemos quer fazer uma identificação, descrição, exploração, explicação ou mesmo previsão e controlo de algum fenômeno e assim poderiamos elaborar as perguntas dependendo, como dissemos anteriormente, da natureza da ação a ter com respeito ao grande tema que elaboramos.

Vamos apenas agora olhar para as naturezas que falamos anteriormente, porém numa perspectiva, talvez de perto, a mais didáctica e perceptível:

  • Descritivas: nesse tipo de acção a pergunta feita favorece a explicação do assunto, por isso poderemos entender que as perguntas são do tipo “o que é?”
  • De relação: neste tipo de questões devemos entender que o ponto crucial é estudar a relação que existe entre duas variáveis ou mais e nalguns casos poderemos ir ao encontro de predição de algum fenômeno, sendo necessário usar esta correlação da melhor forma possível.
  • De diferença: como o nome indica este tipo de perguntas procura esclarecer se existe alguma diferença entre dois ou mais grupos, dois ou mais tratamentos ou dois conjuntos. Essas perguntas levam-nos a perceber qual é o método que iremos empregar: quase experimental ou experimental.

Definição de objectivos

Antes de avançarmos temos que perceber que os objectivos estão relacionados com o tipo de pesquisa a ser feito. A exemplo disso e também de forma prática poderemos usar a seguinte relação para elaborarmos os nossos objectivos:

  • Pesquisa científica explicativa: provar teorias, comparar ou verificar hipóteses, confirmar relações entre variáveis e antecipar ou predizer fenómenos.
  • Pesquisa científica descritiva ou exploratória: identificar e descrever características que levem a induzir conhecimentos.
  • Pesquisa científica aplicada: procuram resolver um problema prático.

Os objectivos devem ser operacionais, isto possível de haver acção do pesquisador para uma possível resposta às perguntas feitas por este. Por isso poderemos incluir verbos como comprovar, estabelecer, identificar, compilar, indagar, procurar entre outros.

Além destes verbos os objectivos devem incluir as pessoas que irão executar a tarefa, indicar o que se pesquisará, delimitar as partes pesquisadas e deverá apontar para onde e para quê se realiza a acção pesquisadora.

Poderemos nos perguntar quantos objectivos devemos elaborar? Para esta questão temos que saber e também olhar para o problema de modo que elaboremos um objectivo que seja o mais amplo possível.

Assim esses tipos de objectivos chamamos de gerais, enquanto os que vão ajudar a executar o objectivo geral são designados específicos.

A colocação dos objectivos específicos deve ser sequencial de acordo com cada fase que iremos percorrer até encotrarmos a resposta para o nosso problema. Se isso não for verificado antes podemos assegurar que a pesquisa não será operacional.

Posteriormente a esta análise é preciso constarmos que, apesar deles serem de carácter descritivos, os objectivos devem ser realistas, mensuráveis, congruentes e de importância; olhando também para os seguintes questionamentos:

  • Porque estou pesquisando? Porque preciso resolver um problema.
  • O que estou pesquisando? Objectivos do problema encontrado.
  • Para que estou pesquisando? Para resolver o problema.

Elaboração de hipóteses

As hipóteses procuram responder as possíveis soluções do problema descrito. Podendo ser simplesmente a descrição do que acontece ou mesmo uma relação entre a situação e a possível solução ou ainda pode sugerir a possível intervenção para solucionar o problema.

Devemos aqui perceber que as hipótese devem incluir informação sobre a situação que se está pesquisando, as variáveis envolvidas na explicação, a relação entre essas variáveis e o sentido da explicação que se está oferecendo.

Uma outra coisa que devemos compreender é que as hipótese da forma como descrevemos anteriormente são designados conceituais, precisando assim de serem operacionalizadas. Isto é, a operacionalização de uma hipótese significa a concretização das várias que a compõem.

Estes tipos de hipóteses servem para pesquisas quantitativas ou positivistas que se diferenciam das hipóteses do tipo aberta e/ou de trabalho que podem ser reestruturados progressivamente à medida que decorre a pesquisa.

Justificativa da pesquisa

Se a pesquisa não tiver razão de ser elaborada, melhor seria não ser feita. Essa razão deve ser suficientemente grande para que se justifique a realização. Assim podemos estar perante a conveniência da pesquisa, isto é, se ela resolve algum problema social ou vai construir uma nova teoria.

Temos que também colocar em mente que há divisões no que respeita as justificativas, isso quer dizer que uma mesma justificativa poderá ser aceite por uns e ser recusado por outros. Mas aqui nesta breve rúbrica queremos orientar a elaboração de uma melhor justificativa possível; olhemos para isso nas seguintes perguntas:

  • Quão conveniente é a pesquisa? Para que serve?
  • Qual sua relevância social? Quem se beneficiará com os resultados da pesquisa? De que modo?
  • Ajudará a resolver um problema prático? Tem implicações importantes para uma ampla gama de problemas práticos?

É possível preencher algumas lacunas de conhecimento? Os resultado são generalizados a princípios amplos? É possível comentar, desenvolver ou apoias uma teoria? Pode sugerir ideias, hipóteses ou recomendações para uma pesquisa posterior?

A pesquisa pode ajudar a criar um novo instrumento para coletar e/ou analisar dados? Ajuda na definição de um conceito, variável ou relação entre variáveis.

Entre outras mais perguntas que poderíamos fazer somente para explicarmos a importância ou o porquê de ser feita a pesquisa científica.

O nosso site está em modo de manutenção, devido a problemas internos. Desculpas pelos transtornos causados! Dispensar