Análise técnica do Bitcoin: semana 22 de Junho de 2020

mudanças do mercado bitcoin

O Bitcoin permanece sendo o ativo que mais se valorizou nos últimos dois meses, destacando-se dos demais. O ouro permanece pouco volátil e com o preço estável, algo natural para esse ativo em um cenário de estabilidade econômica.

Assim como os principais índices do mundo, o Bitcoin também retornou para patamares de preço semelhantes ao começo da pandemia. Entretanto, no início da crise, o criptoativo sofreu uma desvalorização maior do que os mercados de capitais (cerca de 40%). Portanto, sua recente recuperação parcial fez com que o BTC se tornasse o ativo que mais se valorizou nas últimas duas semanas (entre os principais ativos analisados).

Ao analisar o Bitcoin através de indicadores técnicos, percebe-se que essa baixa volatilidade tende a ter um fim nas próximas semanas.

Primeiramente porque o ativo encontra-se em uma zona do afunilamento nos tempos gráficos mais curtos, estando entre uma linha de tendência de baixa e outra linha de tendência de alta. Essa análise nos abre a possibilidade de um rompimento do ativo tanto para cima quanto para baixo.

Além disso, no fim dessa semana ocorrerá o vecimento de mais de 1 bilhão de dólares em contratos em abertos de opções na Deribit e na CME. Tal fato, historicamente, pressupõe um grande movimento do ativo após esses vencimentos.

Dessa maneira, é esperado uma grande movimentação do Bitcoin após o dia 26 de junho.

Leia também:

Bitcoin continua indicando teste no suporte

Formou-se um fundo na faixa entre 8705,5 e 8618, segurando entre 10473 e 9760,5. O movimento assemelha-se ao que foi visto em mai/20 e pressupõe formação de fundo entre 8705,5 e 8618.

Como o último topo do BTC rejeitou 1 de Fibonacci, deve-se buscar o suporte a 8658 USD. Além disso, continua-se sob efeito de uma divergência de alta no RSI, mostrando perda de força de ursos. Do lado positivo, o volume de descida decresceu na última semana.

Consegue-se verificar, portanto, o fortalecimento do suporte na região dos 8700 USD, constituído por SR, Fibonacci e fundo de canal. Entretanto, a redução do impulso para a baixa já impõe questionamentos acerca dessa visualização.

Desde última descida da faixa dos 10000 USD até o 9200 USD o ativo já retraiu-se, aproximadamente, 3,3%. Como no mesmo período o número de contratos abertos para Long (comprados) caiu aproximadamente 13,5% e os de short (vendidos) subiram 4%, pode-se observar um sentimento de mercado pessimista para o preço do ativo.

Portanto, deve-se ver uma nova pernada de baixa no curto prazo, de acordo com o indicador.

O Bitcoin oscilou entre a zona de medo e de neutralidade do sentimento dos investidores nessa última semana, não existindo grandes alterações desde o último mês.

Apesar disso, a desvalorização do ativo na semana passada deixou o mercado com um sentimento negativo, algo que não se recuperou no decorrer desta semana. O que pode indicar uma desconfiança dos investidores.

Esperamos que tenha gostado de nossa análise semanal.

Sair da versão mobile