Ícone do site Augusto Bene

Fibrose pulmonar idiopática: sintomas, causas e tratamento

fibrose pulmonar idiopática

A fibrose pulmonar idiopática (FPI) é uma doença pulmonar crônica, letal, progressiva, irreversível, caracterizada por cicatrizes e respiração difícil.

A FPI pertence a uma família de distúrbios pulmonares conhecidos como doenças pulmonares intersticiais (DIP) ou, mais precisamente, doenças pulmonares parenquimatosas difusas (DPLD).

Dentro dessa ampla categoria de doenças pulmonares difusas, a FPI pertence ao subgrupo conhecido como pneumonia intersticial idiopática (PII).

Por definição, a etiologia do PII é desconhecida, mas geralmente afeta pessoas entre 70 e 75 anos e é raro em pessoas com menos de 50 anos.

A incidência anual da fibrose pulmonar idiopática está aumentando e estima-se entre 4,6 e 16,3 por 100.000 pessoas e a prevalência é de 13 a 20 casos por 100.000.

Há uma predominância maior da doença nos homens do que nas mulheres e a frequência aumenta com a idade.

Os fatores de risco ambientais mais importantes são o fumo de cigarros e a exposição a poeira de metal e madeira. A transmissão genética ocorre em cerca de 0,5-3,7% dos pacientes com FPI, embora essa frequência possa ser maior.

Atualmente não há cura para a FPI. No entanto, certos medicamentos podem retardar a progressão da fibrose pulmonar idiopática, o que pode prolongar a vida útil e melhorar a qualidade de vida das pessoas com a doença.

Entenda o que é fibrose pulmonar

Sintomas

Você pode ter fibrose pulmonar idiopática por um longo tempo sem perceber nenhum sintoma. Depois de muitos anos, as cicatrizes nos pulmões pioram e você pode apresentar:

Outros sintomas da FPI incluem:

Causas da fibrose pulmonar idiopática

A FPI é um tipo de doença pulmonar intersticial ou seja é causada pelo tecido pulmonar que se torna espesso e rígido, eventualmente pela formação de tecido cicatricial dentro dos pulmões.

Os pulmões rígidos dificultam a passagem de oxigênio para o sangue.

A razão pela qual isso acontece não é clara. Idiopático significa que a causa é desconhecida. No entanto a fibrose pulmonar idiopática foi vinculada a:

Patogênese

Embora os mecanismos patogênicos sejam desconhecidos, um número cada vez maior de evidências sugere que o processo da doença é iniciado por micro-lesões e apoptose de células epiteliais alveolares seja seguida por uma explosão de mediadores pró-inflamatórios e fibroproliferativos que invocam respostas associadas ao reparo tecidual normal.

Por razões pouco claras, esses processos de reparo nunca se resolvem e ocorre fibrose progressiva.

A origem dos focos patológicos de fibroblastos na lesão da FPI permanece intrigante. As possibilidades incluem diferenciação de fibroblastos residentes, recrutamento de precursores de fibroblastos circulantes e transdiferenciação de células epiteliais em fenótipos patológicos de fibroblastos.

Esses focos fibroblásticos peculiares secretam quantidades exageradas de componentes da matriz extracelular que destroem o parênquima pulmonar.

Tratamentos para fibrose pulmonar idiopática

Atualmente, não há cura para a FPI, mas existem vários tratamentos que podem ajudar a aliviar os sintomas e retardar sua progressão.

Os tratamentos incluem:

Prognóstico

A fibrose pulmonar idiopática é uma doença progressiva, o que significa que a fibrose se acumula ao longo do tempo, causando gradualmente a falta de ar e necessidade de quantidades crescentes de oxigênio.

Eventualmente, pode ocorrer insuficiência pulmonar (medicamente denominada “insuficiência respiratória”), que é uma condição com risco de vida.

Com diagnóstico precoce e melhores tratamentos disponíveis, muitas pessoas vivem muito mais do que três a cinco anos.

Sair da versão mobile