Coronavírus: conceito, sintomas, prevenção

coronavírus
86 / 100

Os coronavírus (CoV) são uma grande família viral, conhecidos desde meados dos anos 1960, que causam infecções respiratórias em seres humanos e em animais.

Geralmente, infecções por coronavírus causam doenças respiratórias leves a moderada, semelhantes a um resfriado comum.

A maioria das pessoas se infecta esses vírus ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem. Geralmente, os coronavírus comuns que infectam humanos são alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Alguns coronavírus podem causar síndromes respiratórias graves, como a síndrome respiratória aguda grave que ficou conhecida pela sigla SARS da síndrome em inglês “Severe Acute Respiratory Syndrome”.

SARS é causada pelo coronavírus associado à SARS (SARS-CoV), sendo os primeiros relatos na China em 2002.

O SARS-CoV se disseminou rapidamente para mais de doze países na América do Norte, América do Sul, Europa e Asia, infectando mais de 8.000 pessoas e causando entorno de 800 mortes, antes da epidemia global de SARS ser controlada em 2003.

Em 2012, foi isolado outro novo coronavírus, distinto daquele que causou a SARS no começo da década passada.

Esse novo coronavírus era desconhecido como agente de doença humana até sua identificação, inicialmente na Arábia Saudita e, posteriormente, em outros países do Oriente Médio, na Europa e na África.

Todos os casos identificados fora da Península Arábica tinham histórico de viagem ou contato recente com viajantes procedentes de países do Oriente Médio – Arábia Saudita, Catar, Emirados Árabes e Jordânia.

Pela localização dos casos, a doença passou a ser designada como síndrome respiratória do Oriente Médio, cuja sigla é MERS, do inglês “Middle East Respiratory Syndrome” e o novo vírus nomeado coronavírus associado à MERS (MERS-CoV).

Manifestações Clínicas da infeção por coronavírus

Os coronavírus humanos comuns causam infecções respiratórias brandas a moderadas de curta duração.

Os sintomas podem envolver:

  • coriza,
  • tosse
  • dor de garganta e
  • febre.

Esses vírus algumas vezes podem causar infecção das vias respiratórias inferiores, como pneumonia. Esse quadro é mais comum em pessoas com doenças cardiopulmonares, com sistema imunológico comprometido ou em idosos.

Incubação e transmissão

O coronavírus tem um período de incubação que varia de 2 a 14 dias. De uma forma geral, a transmissão viral ocorre apenas enquanto persistirem os sintomas.

É possível a transmissão viral após a resolução dos sintomas, mas a duração do período de transmissibilidade é desconhecido para o SARS-CoV e o MERS-CoV. Durante o período de incubação e casos assintomáticos não são contagiosos.

Todos os coronavírus são transmitidos de pessoa a pessoa, incluindo os SARS-CoV, porém sem transmissão sustentada. Com relação ao MERS-CoV, a OMS considera que há atualmente evidência bem documentada de transmissão de pessoa a pessoa, porém sem evidencias de que ocorra transmissão sustentada.

De uma forma geral, a principal forma de transmissão dos coronavírus se dá por contato próximo de pessoa a pessoa.

A maioria dos coronavírus geralmente infectam apenas uma espécie animal ou, pelo menos um pequeno número de espécies proximamente relacionadas.

Porém, alguns coronavírus, como o SARS-CoV podem infectar pessoas e animais. O reservatório animal para o SARS-CoV é incerto, mas parece estar relacionado com morcegos.

Também existe a probabilidade de haver um reservatório animal para o MERS-CoV que foi isolado de camelos e de morcegos.

Medidas básicas de proteção contra o novo coronavírus

  1. Lave as mãos com freqüência com um sabonete à base de álcool ou água e sabão.
  2. Pratique a higiene respiratória: ao tossir e espirrar, cubra a boca e o nariz com cotovelo ou tecido flexionado – descarte o tecido imediatamente em uma lixeira fechada e limpe as mãos com esfregar as mãos à base de álcool ou sabão e água.
  3. Mantenha pelo menos 1 metro de distância entre você e outras pessoas, principalmente aquelas que tossem, espirram e têm febre.
  4. Evite tocar nos olhos, nariz e boca, uma vez que as mãos tocam muitas superfícies que podem estar contaminadas com o vírus. Se você tocar nos olhos, nariz ou boca com as mãos contaminadas, poderá transferir o vírus da superfície para si mesmo.
  5. Se você tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, procure atendimento médico cedo.
  6. Como precaução geral, pratique medidas gerais de higiene ao visitar mercados de animais vivos, úmidos ou de produtos animais. Evite estritamente qualquer contato com outros animais no mercado (por exemplo, gatos e cães vadios, roedores, pássaros, morcegos). Evite o contato com resíduos ou fluidos de animais potencialmente contaminados no solo ou nas estruturas de lojas e instalações de mercado.
  7. Evite o consumo de produtos animais crus ou mal cozidos.

Artigos Similares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile