Processo de pesquisa científica: etapas do caminho

pesquisa cientifica

Toda pesquisa científica deve, obrigatoriamente, possuir etapas do caminho. Isto quer dizer que a pesquisa deve ter um projecto que o conduza para o melhor resultado possível.

Na verdade existem várias possibilidades de sequências que nos orientam neste processo e não queremos que o pesquisador esteja limitado a o que iremos apresentar. Porém, garantimos que o processo aqui apresentado deve ser considerado e estimado.

#1- Nascimento da idéia de pesquisa

O pesquisador poderá partir de uma inquietação ou mesmo observar algo que lhe preocupe e, por isso, desejar estudar o assunto.

Essa ideia de pesquisa não precisa, necessariamente, ser algo muito grande, mas desde que haja algo para ser estudado.

#2 – Escolha do tema

Uma ideia de pesquisa científica pode ser algo muito amplo e geralmente pode ser um conjunto de temas, que deverá ser analisado afim de escolher um tema definitivo.

Essa escolha só será possível se irmos atrás de leituras ou consultas a respeito do mesmo para sabermos se é pertinente ou se existe algo novo.

Essa revisão bibliográfica tem como objectivo aproximar o pesquisador ao tema, para se saber se existe realmente novidade; lembrando nós que a pesquisa científica procura preencher um vazio de conhecimento.

#3 – Formulação do problema, os objectivos, as perguntas e as hipóteses de pesquisa.

Neste ponto o pesquisador deve ser original, isto é deve ser ele a tomar a decisão definitiva avaliando o risco do problema proposto e a possibilidade de concretizá-lo. Sendo necessário um estudo exaustivo da literatura que abordam o tema escolhido.

A revisão bibliográfica neste ponto é centrada no estudo de tudo que se refere aos aspectos do problema: categorias, processos e contextos que este enuncia. Esta revisão pode trazer algumas mudanças na formulação do problema exposto. Que muitas vezes prefere-se que seja formulada em forma de uma pergunta clara e directa.

No final da formulação do problema temos que escolher o (s) objectivo (s) mais adequado (s), que permita (m) ao pesquisador tomar as decisões e ir avançando na pesquisa; e vinculado a este (s) vão se levantado as perguntas de pesquisa.

Na verdade, as perguntas de pesquisa poderemos considerar estarem integradas aos objectivos específicos, que guiam todo o processo da pesquisa.

Olhamos de outro modo para as hipóteses como sendo respostas ao problema que foi levantado e, neste sentido, vão nos ditar o caminho de pesquisa. Muitas vezes as hipótese relacionam duas ou mais variáveis, que devem, obrigatoriamente serem medidas ao longo do trabalho.

 #4 – Construção da revisão bibliográfica

O objectivo da revisão bibliográfica é de ajuda na análise e interpretação da informação, bem como serve de chave para desenho da metodologia do projecto.

O que realmente se faz aqui é a aquisição e consulta de bibliografia ou outros materiais úteis para a pesquisa, bem como extração e colecta da informação relevante e necessária que corresponda ao problema da pesquisa.

#5 – Desenho da metodologia

A metodologia é centrada no desenho da pesquisa e a operacionalização das variáveis e sua medição.

A operacionalização das variáveis define conceitualmente a medição das variáveis. Especificando os indicadores de medição para cada uma das variáveis.

Quando isto for concretizado, passamos a escolher os métodos, técnicas e instrumentos que vão nos permitir colher os dados. Que será possível depois de termos desenhado a amostra.

No entanto, seremos obrigados também a descrever como iremos tratar os dados colhidos, daí termos que responder também essa questão: como iremos processar a informação colhida?

#6 – Colecta e análise de dados

Poderiamos separar estes dois itens colecta e análise de dados, mas desejamos mostrar aqui o quão são íntimos. Para a colecta usamos processos metodológicos que definimos anteriormente, por isso é importante considerar a validade e confiabilidade dos mesmos.

Já que definimos a forma de como iriamos processar os dados, poderá ser útil o uso de tabelas, figuras, diagramas ou qualquer tipo de representação que favoreça uma fácil interpretação da informação colhida.

#7 – A escrita do relatório final da pesquisa científica

Poderá parecer algo fácil, mas teremos que pensar que tipo de relatório iremos apresentar, tendo em conta o público alvo. Também teremos que garantir que as perguntas das pesquisas foram respondidas.

Este passo pode parecer sero derradeiro, mas muitos começam a escrita quando desenvolvem a revisão bibliográfica.

Concluindo

A pesquisa não é um processo linear: a leitura de um texto em uma fase avançada do estudo pode levar-nos a questionar maneiras em que tenhamos conceptualizado e operacionalizado uma variável e isso, por sua vez, pode supor voltar ao campo de estudo e procurar novos dados, que analisaremos e interpretaremos com o resto da informação produzida.

O ponto final do relatório de pesquisa constitui apenas o encerramento parcial de um processo que, na medida em que se difunda, apresente, discuta, certamente sairá enriquecido.

Aprenda mais aqui no site Augusto Bene.