1. Página inicial
  2. Saúde
  3. Remdesivir para COVID-19: efeitos comprovado

Remdesivir para COVID-19: efeitos comprovado

Será que é correto usar remdesivir para COVID-19? Embora vários agentes terapêuticos tenham sido avaliados para o tratamento da doença de coronavírus 2019 (Covid-19), nenhum ainda foi demonstrado ser eficaz.

Sendo assim, um grupo de 11 pesquisadores analisaram a possibilidade do tratamento com este medicamento. A pesquisa foi publicada como um report preliminar na revista The New England Journal of Medicine, no passado dia 22/05/2020.

Remdesivir é um medicamento que inibe (impede) a enzima RNA polimerase que dependente do RNA viral. Existem evidências de que ele tem atividade inibitória in vitro contra SARS-CoV-1 e a síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS-CoV). Além disso ele foi identificado como um medicamento promissor para Covid-19 devido à sua capacidade de inibir SARS-CoV-2 in vitro.

Remdesivir droga e seringa na mesa preta com reflexos e fundo inoxidável.

Leia também:

Tipo de pesquisa feita

Realizamos um estudo duplo-cego, randomizado, controlado por placebo, com remdesivir intravenoso em adultos hospitalizados com Covid-19 com evidências de comprometimento do trato respiratório inferior.

afirmam os ppesquisadores

Os pacientes foram aleatoriamente designados para receber remdesivir (dose de carga de 200 mg no dia 1, seguido por 100 mg por dia por até 9 dias adicionais) ou placebo por até 10 dias.

O desfecho primário foi o tempo de recuperação, definido pela alta hospitalar ou pela hospitalização apenas para fins de controle de infecção.

Remdesivir para COVID-19: será que é tratamento certo?

O remdesivir é um análogo de nucleotídeo com atividade antiviral de amplo espectro. Ele demonstrou atividade in vitro e in vivo em modelos animais contra os patógenos virais MERS e SARS, que também são coronavírus e são estruturalmente semelhantes ao COVID-19

Os dados pré-clínicos limitados sobre remdesivir no MERS e SARS indicam que o remdesivir pode ter atividade potencial contra o COVID-19.

O Remdesivir (GS-5734 ) foi desenvolvido pela empresa Gilead Sciences, inicialmente feito para tratamento do Ebola, mas, como reportamos anteriormente, ele mostrou experimental ter efeito contra patógenos causador da MERS e consequentemente COVID-19.

No entanto, conforme a própria empresa, detentora da patente, esta droga ainda é um medicamento experimental que não possui segurança ou eficácia estabelecidas para o tratamento de qualquer condição.

Remdesivir para COVID-19 reduziu o tempo de recuperação de pacientes?

Um total de 1063 pacientes foram submetidos à randomização. O conselho de monitoramento de dados e segurança recomendou a descoberta antecipada dos resultados, com base nos resultados de uma análise que mostrou um tempo reduzido para recuperação no grupo remdesivir.

Resultados preliminares dos 1059 pacientes (538 atribuídos ao remdesivir e 521 ao placebo) com dados disponíveis após a randomização indicaram que aqueles que receberam remdesivir tiveram um tempo médio de recuperação de 11 dias (intervalo de confiança de 95% [IC], 9 a 12), como comparado com 15 dias (IC 95%, 13 a 19) naqueles que receberam placebo (taxa de recuperação de 1,32; IC 95%, 1,12 a 1,55; P <0,001).

As estimativas da KaplanMeier de mortalidade em 14 dias foram de 7,1% com remdesivir e 11,9% com placebo (taxa de risco de morte, 0,70; IC95%, 0,47 a 1,04).

Eventos adversos graves foram relatados para 114 dos 541 pacientes do grupo remdesivir que foram submetidos à randomização (21,1%) e 141 dos 522 pacientes do grupo placebo que foram submetidos à randomização (27,0%).

O remdesivir foi superior ao placebo na redução do tempo de recuperação em adultos hospitalizados com Covid-19 e evidência de infecção do trato respiratório inferior. Concluiram os autores.

Referência

  1. Beigel, J H, et al. Remdesivir for the Treatment of Covid-19 — Preliminary Report. The New England Journal of Medicine. Maio 22, 2020. DOI: 10.1056/NEJMoa2007764. Disponível em: https://www.nejm.org/doi/full/10.1056/NEJMoa2007764

Ajude-nos a melhorar!

Se você notar um erro de digitação ou imprecisão no site, ficaremos gratos se você relatar.
Copie o texto que, em sua opinião, contém um erro.clique aqui para nos enviar um e-mail »

Compartilhe este artigo

Autor

Mais lidos

Menu