Neurônios: o que é? estrutura e função

Neurônios ou células nervosas são as unidades fundamentais do cérebro e do sistema nervoso, as células responsáveis ​​por receber informações sensoriais do mundo externo, por enviar comandos motores aos nossos músculos e por transformar e retransmitir os sinais elétricos a cada momento.

Cerca de 100 bilhões de neurônios interagem estreitamente com outros tipos de células, amplamente classificados como glia.

A criação de novos neurônios no cérebro é chamada neurogênese , e isso pode acontecer mesmo em adultos.

Conheça célula de schawnn e a fisiopatologia relacionada a ela

Estrutura ou anatomia dos neurônios

Uma analogia útil é pensar em um neurônio como uma árvore. Um neurônio tem três partes principais: (1) dendritos , (2) um axônio e (3) um corpo celular ou soma (veja a imagem abaixo), que podem ser representados como os ramos, raízes e tronco de uma árvore, respectivamente.

estrutura de um neurónio. Imagem modificada de “Neurons and glial cells: Figure 2” e “Synapse,” por OpenStax College, Biology (CC BY 3,0).

Dendritos

As duas primeiras funções neuronais, recepção e processamento das informações, geralmente ocorrem nos dendritos e no corpo celular.

Os sinais recebidos podem ser excitatórios – o que significa que eles tendem a fazer o neurônio disparar (gerar um impulso elétrico) – ou inibitórios – ou seja eles tendem a impedir o disparo do neurônio.

A maioria dos neurônios recebe muitos sinais de entrada nas árvores dendríticas. Um único neurônio pode ter mais de um conjunto de dendritos e pode receber muitos milhares de sinais de entrada.

Se um neurônio é ou não estimulado a disparar um impulso depende da soma de todos os sinais excitatórios e inibitórios que recebe.

Se o neurônio acabar disparando, o impulso nervoso ou potencial de ação, é conduzido pelo axônio.

Axônios

O axônio apresenta comprimento muito variável, podendo ser de alguns milímetros como mais de um metro. São os processos que transmitem impulsos que deixam os corpos celulares dos neurônios, ou dos dendritos.

A porção terminal do axônio sofre várias ramificações para formar de centenas a milhares de terminais axônicos, no interior dos quais são armazenados os neurotransmissores químicos.  Portanto, o axônio é especializado em gerar e conduzir o potencial de ação.

Os axônios diferem dos dendritos de várias maneiras.

Os dendritos tendem a afinar e geralmente são cobertos com pequenas saliências chamadas espinhos.

Por outro lado, o axônio tende a permanecer no mesmo diâmetro durante a maior parte do seu comprimento e não possui espinhos.

Muitos axônios são cobertos com uma substância isolante especial chamada mielina, que os ajuda a transmitir rapidamente o impulso nervoso. A mielina nunca é encontrada nos dendritos.

No final, o axônio se divide em muitos ramos e desenvolve inchações bulbosas conhecidas como terminais do axônio (ou terminais nervosos ). Esses terminais axonais fazem conexões nas células alvo.

Sinapses

Conexões de neurônio a neurônio são feitas nos dendritos e corpos celulares de outros neurônios. Essas conexões, conhecidas como sinapses, são os locais em que as informações são transportadas do primeiro neurônio, o neurônio pré-sináptico , para o neurônio alvo (o neurônio pós-sináptico ).

As conexões sinápticas entre neurônios e células musculares esqueléticas são geralmente chamadas junções neuromusculares, e as conexões entre neurônios e células ou glândulas musculares lisas são conhecidas como junções neuroefetoras.

Na maioria das sinapses e junções, as informações são transmitidas na forma de mensageiros químicos chamados neurotransmissores.

Quando um potencial de ação viaja para baixo de um axônio e atinge o terminal do axônio, ele desencadeia a liberação de neurotransmissor da célula pré-sináptica.

As moléculas de neurotransmissores atravessam a sinapse e se ligam aos receptores de membrana na célula pós-sináptica, transmitindo um sinal excitatório ou inibitório.

Assim, a terceira função neuronal básica – a comunicação de informações às células-alvo – é realizada pelo axônio e pelos terminais do axônio.

Assim como um único neurônio pode receber informações de muitos neurônios pré-sinápticos, ele também pode fazer conexões sinápticas em vários neurônios pós-sinápticos por meio de diferentes terminais do axônio.

Classificação dos neurônios

Os neurônios podem ser classificados com base em sua função da seguinte maneira:

  • Os neurônios sensoriais enviam informações dos receptores sensoriais nos olhos e nariz da pele para serem interpretadas pelo cérebro como toque, visão e olfato.
  • Os neurônios motores enviam informações para longe do sistema nervoso central para controlar os músculos ou glândulas.
  • Interneurônios são as células que enviam informações entre os neurônios motores e os neurônios sensoriais.

Os neurônios também podem ser classificados, dependendo da sua forma, da seguinte maneira:

  • Neurônios com múltiplos processos decorrentes do corpo celular são chamados neurônios multipolares. Um dos processos é o axônio e o restante são dendritos.
  • Um neurônio com dois processos (um axônio e um dendrito) decorrentes do estoma é chamado de neurônio bipolar.
  • Um neurônio com uma projeção que inclui o dendrito e o axônio é descrito como unipolar.
Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.