Dor nas relações sexuais: tipos e causas.

dor nas relações sexuais

A dor nas relações sexuais , ou dispareunia, pode causar problemas no relacionamento sexual de um casal . Além do sexo fisicamente doloroso , há também a possibilidade de efeitos emocionais negativos. Portanto, o problema deve ser resolvido assim que surgir.

A penetração vaginal normalmente não faz mal, especialmente se você e seu parceiro garantirem a estimulação suficiente para ficarem totalmente excitados.

No entanto, às vezes, desconforto ou dor durante a relação sexual ou penetração podem ocorrer, mesmo quando parece que seu corpo está pronto.

Se a penetração for dolorosa durante o sexo, descubra qual é a causa e o que pode ser feito a respeito. Um ginecologista pode ajudar a determinar se há uma causa física subjacente e aconselhar sobre o tratamento.

As seguintes situações e condições podem contribuir ou causar dor nas relações sexuais ou outras formas de penetração.

Primeira penetração

Nas primeiras vezes em que você tiver relações sexuais ou tiver penetração vaginal, poderá sentir uma quantidade pequena a moderada de dor na entrada da vagina.

Pode haver algum sangramento ou nenhum sangramento – ambos são normais. As razões para a dor nem sempre são claras, mas são tipicamente temporárias.

Um hímen não esticado (coroa vaginal) tem sido tipicamente culpada por essa dor na primeira penetração, mas novos entendimentos do hímen sugerem o contrário.

Como Hanne Blank, autora de “Virgin: The Untouched History”, comenta:

“Se o hímen é substancial, relativamente inflexível e preso em torno da maior parte da circunferência da abertura vaginal, então sim, é justo dizer que o hímen está em questão. Mas nem todos os hímens atendem a esses critérios, e as mulheres sem hímenes substanciais também podem experimentar penetração dolorosa. A verdade é que a pesquisa não nos disse com alguma especificidade em particular porque é que esse desconforto acontece, ou porque acontece para algumas mulheres (independentemente do tipo de hímen) e não outras ”.

Leia sobre as causas da dor no inferior do abdómen e entada suas causas e como tratar. CLIQUE AQUI

Pouca lubrificação pode causar dor nas relações sexuais

Na maioria das mulheres, a parede da vagina responde à excitação produzindo um líquido que umedece a vagina e sua entrada, facilitando a penetração. Às vezes não há lubrificação suficiente – você pode precisar de mais tempo para estimulação ou pode estar nervoso ou tenso.

A lubrificação insuficiente também pode ser causada por níveis reduzidos de estrogênio, o que pode tornar o tecido vaginal mais frágil e afetar as paredes vaginais de tal forma que menos líquido seja produzido. Isso pode ocorrer após o parto (particularmente se você estiver amamentando) ou se estiver fazendo terapia hormonal após o câncer de mama.

Algumas mulheres experimentam lubrificação insuficiente durante a perimenopausa e depois e podem precisar procurar sinais além da umidade vaginal para sinalizar a excitação. Outros, independentemente da idade, simplesmente produzem menos lubrificante.

Mesmo se você não estiver experimentando penetração dolorosa, usar um lubrificante pode aumentar drasticamente o conforto sexual, o prazer e a resistência – especialmente se você usar preservativos.

Infeções locais

Algumas DST e / ou infeções vaginais – como monilia (levedura) ou tricomoníase – podem estar presentes mesmo quando você não consegue ver nenhum sinal.

A fricção de um pênis, brinquedo sexual ou dedo que se move na vulva ou na vagina pode causar inflamação, resultando em ardência e coceira. Um herpes dolorido nos genitais externos pode tornar o atrito doloroso.

Irritação local

Alguns anticoncepcionais podem causar irritação no local econsequentemente dor nas relações sexuais, como acontece com a espuma de controle de natalidade, creme ou geléia.

Embora a alergia ao látex seja incomum, algumas pessoas são sensíveis a preservativos de látex, diafragmas e luvas. Alternativas incluem preservativos de poliuretano, incluindo preservativos femininos.

Os desodorantes vaginais, duchas, absorventes perfumados e todos os chamados produtos de higiene feminina podem irritar a vagina ou a vulva, assim como a lavagem do corpo, os sabonetes, o banho de espuma e os detergentes e secadores de roupa. Tente evitar aplicar ou usar produtos que contenham fragrâncias.

Entrada vaginal apertada

Em algumas situações, o tamanho é importante – se, por exemplo, um parceiro masculino tiver um pênis grande e sua vagina for pequena, isso pode levar a dor nas relações sexuais. Tenha em mente, porém, que o tamanho do corpo de uma mulher não está relacionado ao tamanho de sua vagina.

A dificuldade das mulheres com a penetração é às vezes atribuída ao vaginismo, que se acredita ser um forte e involuntário endurecimento dos músculos vaginais, um espasmo do terço externo da vagina.

Mais recentemente, uma pesquisa definiu o vaginismo tem sido descrito como “dificuldades persistentes ou recorrentes da mulher para permitir a entrada vaginal de um pênis, um dedo ou qualquer objeto, apesar do desejo expresso da mulher de fazê-lo”

Dor profunda na pelve

Às vezes, dor nas relações sexuais advêm do impulso da penetração no interior da vagina. Essa dor pode ser causada por cicatrizes (conhecidas como aderências) nos ligamentos que sustentam o útero (causadas por má administração obstétrica durante o parto, aborto indevidamente realizado, cirurgia pélvica, estupro ou penetração excessivamente grosseira durante o ato sexual); infecções do colo do útero, útero e trompas (como doença inflamatória pélvica – o resultado de infecção sexualmente transmissível não tratada em muitas mulheres); endometriose ; cistos ou tumores nos ovários; uma vagina que encurtou com a idade; ou uma pelve inclinada.

A penetração nesses casos às vezes é menos dolorosa se você estiver em cima ou deitado ao lado de um parceiro.

Vulvidina

Vulvodinia é um termo genérico que descreve a dor vulvar crônica que não tem causa identificável.

Quando a dor ocorre ao redor da abertura vaginal (o vestíbulo) ao ser tocada ou pressionada, ela é referida como vulvodinia localizada. (Os termos mais antigos para essa condição incluem vestibulodinia, vestibulite vulvar ou disestesia vulvar localizada).

Se os sintomas ocorrem em diferentes áreas da vulva, em vários momentos e às vezes até mesmo quando a vulva não está sendo tocada, ela é referida como vulvodinia generalizada.

A terapia física do assoalho pélvico, os cremes hormonais e os antidepressivos tricíclicos em baixas doses podem, às vezes, ajudar. Algumas mulheres relataram encontrar alívio com os mesmos tratamentos prescritos para a fibromialgia, o que causa uma reação amplificada à dor.