hipertensão ocular: sintomas, causas e tratamento

hipertensão ocular ou pressão intraocular

O termo hipertensão ocular, ou pressão intraocular, geralmente se refere a qualquer situação em que a pressão dentro do olho é maior que o normal. A pressão ocular é medida em milímetros de mercúrio (mm Hg). A pressão ocular normal varia de 10 a 21 mm Hg.

A hipertensão ocular é uma pressão ocular superior a 21 mm Hg. Se não tratada ela pode causar glaucoma e perda permanente da visão em alguns indivíduos.

No entanto, algumas pessoas podem ter hipertensão ocular sem desenvolver nenhum dano nos olhos ou na visão, conforme determinado por um exame oftalmológico abrangente e por um campo visual.

A maioria das pessoas com hipertensão ocular não apresenta nenhum sintoma. Por esse motivo, exames oftalmológicos regulares com um oftalmologista são muito importantes para descartar qualquer dano ao nervo óptico causado pela alta pressão

Pesquisadores estimam que esta hipertensão é 10 a 15 vezes mais provável ocorrer que o glaucoma primário de ângulo aberto (o tipo mais comum de glaucoma). Esse risco pode ser reduzido para 5% (uma redução de 50% no risco) se a pressão ocular for reduzida por medicamentos ou cirurgia a laser.

Produção e vasão do humor aquoso

O humor aquoso é produzido pelo epitélio ciliar do corpo ciliar da íris, dentro da câmara posterior do olho anterior. O humor aquoso se acumula na câmara posterior e flui através da pupila para a câmara anterior.

O humor aquoso sai da câmara anterior por uma de três rotas:

  1. A grande maioria do humor aquoso drena através da malha trabecular no ângulo da câmara anterior e no canal de Schlemm.
  2. Uma pequena quantidade do humor aquoso passa para o espaço supra-coroidal e entra na circulação venosa no corpo ciliar, coróide e esclera.
  3. Uma quantidade ainda menor de humor aquoso transita pela íris e volta para a câmara posterior.

Um mecanismo homeostático complexo e elegante mantém a pressão intra-ocular. Agudamente, o sistema nervoso simpático influencia diretamente a secreção aquosa, com receptores beta-2 causando aumento da secreção e receptores alfa-2 causando diminuição da secreção.

Entenda o que é hipertensão arterial. Clique aqui

A regulação homeostática dapressão ocular, no entanto, depende principalmente da regulação do fluxo aquoso através da malha trabecular.

As forças da pressão intraocular produzem estresse mecânico das células dessa camada, o que inicia uma cascata de sinal levando ao aumento da atividade das metaloproteinases da matriz, permitindo maior fluxo de humor aquoso.

Causas da hipertensão ocular

Fatores que causam ou estão associados à hipertensão ocular são praticamente os mesmos que as causas do glaucoma, podendo ser:

  • Produção excessiva do humor aquoso. Este líquido claro flui através da pupila e preenche a câmara anterior do olho, que é o espaço entre a íris e a córnea, ele drena do olho através de uma estrutura chamada malha trabecular, na periferia da câmara anterior, onde a córnea e a íris se encontram. Se o corpo ciliar produzir muito desse líquido, a pressão no olho aumenta, causando hipertensão ocular.
  • Drenagem inadequada do humor aquoso.
  • Certos medicamentos, como esteróides usados ​​para tratar a asma e outras condições.
  • Trauma ocular. Uma lesão no olho pode afetar o equilíbrio da produção aquosa e da drenagem do olho, possivelmente levando à hipertensão ocular. Às vezes, isso pode ocorrer meses ou anos após a lesão.

Outras condições oculares. A hipertensão ocular tem sido associada a várias outras doenças oculares, incluindo síndrome de pseudo-exfoliação, síndrome de dispersão de pigmentos e arco da córnea.

Além disso, raça, idade e histórico familiar desempenham um papel no seu risco de pressão intraocular e glaucoma. Embora qualquer pessoa possa desenvolver pressão ocular alta, afro-americanos, pessoas com mais de 40 anos e pessoas com histórico familiar de pressão intraocular ou glaucoma estão em maior risco.

Pessoas com medidas de espessura da córnea central mais finas que o normal também podem estar em maior risco de hipertensão ocular e glaucoma, de acordo com os pesquisadores.

Tratamento da hipertensão ocular

O tratamento médico é sempre iniciado em pessoas que se acredita estarem em maior risco de desenvolver glaucoma e para aquelas com sinais de danos no nervo óptico.

No entanto, oftalmologistas podem prescrever colírios específicos para reduzir a pressão ocular. Como esses medicamentos podem ter efeitos colaterais, alguns oftalmologistas optam por monitorar sua pressão intra-ocular e agir somente se você mostrar outros sinais de desenvolvimento de glaucoma.

Em alguns casos (ou se o colírio não for eficaz na redução da pressão), o oftalmologista pode recomendar outras medidas de tratamento para glaucoma , incluindo cirurgia para glaucoma , para tratar a pressão ocular alta.

Referências bibliográficas

  1. Machiele R, Motlagh M, Patel BC. Intraocular Pressure. [Updated 2019 Sep 9]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2019 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK532237/
  2. Ha A, Kim YK, Park YJ, Jeoung JW, Park KH. Intraocular pressure change during reading or writing on smartphone. PLoS One. 2018;13(10):e0206061. Published 2018 Oct 25. doi:10.1371/journal.pone.0206061
  3. Wang YX, Xu L, Wei WB, Jonas JB. Intraocular pressure and its normal range adjusted for ocular and systemic parameters. The Beijing Eye Study 2011. PLoS One. 2018;13(5):e0196926. Published 2018 May 17. doi:10.1371/journal.pone.0196926
  4. Heiting, G. Ocular hypertension: 5 causes of high eye pressure. [Updated 2018 Aug 28]. All About Vision [Internet]. Disponível em: https://www.allaboutvision.com/conditions/hypertension.htm
Compartilhe o artigo

Autor: Augusto Constantino

Augusto Bene Tomé Constantino é Moçambicano. Nasceu na cidade de Chimoio, província de Manica. Formado em Farmácia pela Universidade Zambeze, leciona curso de Licenciatura na Faculdade de Ciências de Saúde da UniZambeze. Trabalha com microencapsulação de compostos bioativos usando biopolímeros de origem vegetal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *