Prometazina: Uso, Benefícios, Efeitos Colaterais, Precauções e Mecanismo de acao

Visitas: 56
paciente tomando prometazina

A prometazina é um medicamento amplamente utilizado e versátil, conhecido por suas propriedades anti-histamínicas, antieméticas, sedativas e anestésicas. Neste artigo, exploraremos em detalhes o uso da prometazina, seus benefícios, efeitos colaterais, precauções e mecanismo de ação. Entender esses aspectos pode ajudar os pacientes e profissionais de saúde a tomar decisões mais informadas sobre o uso deste medicamento.

Uso da Prometazina

A prometazina é um medicamento que pode ser prescrito para uma variedade de condições. Aqui estão alguns dos usos mais comuns:

  1. Alergias: Devido às suas propriedades anti-histamínicas, a prometazina é eficaz no alívio de sintomas de alergias, como corrimento nasal, espirros, coceira e olhos lacrimejantes.
  2. Náuseas e Vômitos: A prometazina é frequentemente usada para prevenir e tratar náuseas e vômitos, incluindo aqueles causados por cirurgia, quimioterapia ou doenças em movimento. Contudo,  menos eficaz do que outros anti-eméticos no controlo dos vómitos induzidos por toxinas, radiações ou uso de citostáticos.
  3. Sedação: Devido às suas propriedades sedativas, a prometazina é utilizada antes de procedimentos cirúrgicos para acalmar os pacientes e ajudá-los a dormir.
  4. Distúrbios do Sono: Em alguns casos, a prometazina é usada como um auxílio temporário para problemas de sono, especialmente quando a insônia é devida a alergias ou outras condições respiratórias.
  5. Tratamento de Anestesia: É utilizada como um componente em regimes de anestesia para induzir sedação e reduzir a ansiedade.

Dosagens

  1. Para enjoos de viagem e vertigens: Adultos: 25 mg 2 x/dia; Crianças: 0,5 mg/kg de 12/12 h.
  2. Na prevenção do enjôo de viagem: Adultos: administrar ½ a 2 horas antes da viagem 25 mg. Repetir até 4 x/dia se necessário. Crianças: administrar na noite anterior a viagem e repetir na manhã seguinte de 2-5 anos: 5 mg; de 5-10 anos: 10 mg;
  3. No tratamento sintomático da reacção alérgica: Adultos: 25 mg ao deitar ou 10 mg 3-4 x/dia; Crianças: 5-10 mg 1-3 x/dia.
  4. Como anti-emético: Adultos: 10-20 mg cada 4 a 6 horas até 100 mg/dia. Crianças: 0,25 – 0,5 mg/kg 2-4 x/dia.
  5. No controlo de estados psicóticos ligeiros, com agitação e insónia: 10-20 mg de preferência ao deitar e em associação com neurolépticos. Nas crianças mais pequenas, e por comodidade de administração, preferir elixir. Nos quadros mais graves preferir forma injectável.
  6. No tratamento de crises vertiginosas agudas, náusea, vómitos e no tratamento sintomático de alergias agudas: Adultos: 25 mg intramuscular (ou excepcionalmente endovenosa lento) a repetir passadas 2 horas se necessário. Crianças: dose variável conforme o peso do doente e gravidade do quadro clínico mas não mais de ½ da dose do adulto (não dar por via endovenosa).
  7. Nos estados psicóticos com agitação e insónias: 1-2 ampolas por via intramuscular (ou excepcionalmente endovenosa) em associação com haloperidol ou outro neuroléptico e administrado de preferência ao deitar.

Benefícios da Prometazina

A prometazina oferece vários benefícios para os pacientes, graças às suas múltiplas propriedades farmacológicas:

  1. Versatilidade: A capacidade de tratar diversas condições, desde alergias até náuseas, faz da prometazina uma opção valiosa no arsenal terapêutico dos profissionais de saúde.
  2. Eficácia Rápida: A prometazina começa a agir rapidamente após a administração, proporcionando alívio quase imediato dos sintomas de alergia, náuseas e insônia.
  3. Disponibilidade: Está disponível em várias formas, incluindo comprimidos, xarope, supositórios e injeções, o que facilita o ajuste da dosagem e a via de administração de acordo com as necessidades do paciente.
  4. Uso Pediátrico: A prometazina pode ser usada em crianças com mais de dois anos para tratar alergias, náuseas e insônia, sempre sob orientação médica rigorosa.

O seu potente efeito sedativo limita a sua utilização nos doentes ambulatórios. Pode ter alguma utilidade na prevenção das crises discinéticas (Parkinson medicamentoso) induzidas pelos neurolépticos e outros fármacos; é contudo preferível o biperideno no tratamento destas situações.

Efeitos Colaterais da Prometazina

Como qualquer medicamento, a prometazina pode causar efeitos colaterais. É importante estar ciente desses efeitos para gerenciá-los adequadamente:

  1. Sonolência: Devido às suas propriedades sedativas, a sonolência é um efeito colateral comum. Os pacientes devem evitar dirigir ou operar máquinas pesadas até saberem como a prometazina os afeta.
  2. Boca Seca: Alguns pacientes podem experimentar boca seca, que pode ser aliviada com a ingestão de líquidos frequente.
  3. Visão Turva: A prometazina pode causar visão turva temporária, um efeito que deve ser monitorado, especialmente em pacientes que precisam realizar atividades que exigem visão clara.
  4. Hipotensão: Em alguns casos, a prometazina pode causar queda na pressão arterial. Os pacientes devem ser monitorados quanto a sinais de hipotensão, como tontura e desmaio.
  5. Reações Alérgicas: Embora raro, pode ocorrer uma reação alérgica à prometazina. Os sintomas incluem erupção cutânea, prurido, inchaço e dificuldade para respirar, exigindo atenção médica imediata.
  6. Efeitos Extrapiramidais: Em casos raros, a prometazina pode causar efeitos extrapiramidais, que são movimentos involuntários anormais. Isso requer descontinuação do medicamento e intervenção médica.

Precauções com o Uso da Prometazina

Antes de iniciar o tratamento com prometazina, é essencial considerar algumas precauções para garantir o uso seguro do medicamento:

  1. Histórico de Saúde: Informe seu médico sobre qualquer histórico de doenças respiratórias, glaucoma, hipertensão, problemas cardíacos ou distúrbios hepáticos.
  2. A administração no pós-operatório, em doentes idosos e debilitados, bem como por via endovenosa pode provocar hipotensão arterial severa; evitar a utilização por essa via e reduzir as doses naquelas situações.
  3. Se utilizar por via endovenosa (situações de emergência) diluir o conteúdo de uma amp. em 20 mL de água
    destilada e administrar a dose requerida muito lentamente.
  4. Uso em Crianças: A prometazina não é recomendada para crianças menores de dois anos devido ao risco de depressão respiratória. Em crianças mais velhas, a dosagem deve ser cuidadosamente ajustada.
  5. Gravidez e Amamentação: Mulheres grávidas ou que estejam amamentando devem usar a prometazina apenas sob orientação médica. O medicamento pode passar para o leite materno e afetar o bebê.
  6. Interações Medicamentosas: A prometazina pode interagir com outros medicamentos, como sedativos, tranquilizantes, antidepressivos e álcool, aumentando o risco de efeitos colaterais. Informe seu médico sobre todos os medicamentos que você está tomando.
  7. Atenção ao Uso Prolongado: O uso prolongado da prometazina deve ser evitado, a menos que seja estritamente necessário e supervisionado por um médico, devido ao risco de dependência e efeitos colaterais crônicos.
  8. Nas doses usuais é desprovido de efeitos extra-piramidais que surgem com outros derivados fenotiazínicos ou com o haloperidol.
  9. Evitar ou usar com muita precaução em crianças com menos de 2 anos e não usar no recém-nascido.

Mecanismo de Ação da Prometazina

A prometazina é um antagonista dos receptores H1 da histamina. Aqui está uma visão mais detalhada de como ela funciona:

  1. Bloqueio dos Receptores H1: A prometazina se liga aos receptores H1 da histamina, impedindo que a histamina se ligue a esses receptores. Isso reduz os sintomas de alergia, como coceira, inchaço e vermelhidão.
  2. Efeitos Antieméticos: A prometazina bloqueia os receptores da dopamina no centro do vômito no cérebro, prevenindo náuseas e vômitos.
  3. Sedação: A prometazina atravessa a barreira hematoencefálica e bloqueia os receptores H1 no cérebro, o que causa efeitos sedativos e calmantes.
  4. Efeitos Anticolinérgicos: A prometazina possui propriedades anticolinérgicas, o que significa que ela bloqueia a ação da acetilcolina. Isso contribui para a redução da secreção de muco e saliva, além de proporcionar um efeito relaxante nos músculos lisos do trato respiratório.

Conclusão

A prometazina é um medicamento poderoso com múltiplos usos e benefícios, desde o tratamento de alergias e náuseas até a indução de sedação. No entanto, como qualquer medicamento, seu uso deve ser cuidadosamente monitorado para evitar efeitos colaterais e interações adversas. Consultar um profissional de saúde antes de iniciar o uso de prometazina é essencial para garantir que este medicamento seja usado de maneira segura e eficaz.

Referências

  1. MedlinePlus. (n.d.). Promethazine. Retrieved from MedlinePlus
  2. Mayo Clinic. (n.d.). Promethazine (Oral Route). Retrieved from Mayo Clinic
  3. Drugs.com. (n.d.). Promethazine. Retrieved from Drugs.com
  4. National Center for Biotechnology Information. (n.d.). Promethazine. Retrieved from NCBI
  5. World Health Organization. (2019). Promethazine. Retrieved from WHO
  6. Formulario Nacional de Medicamentos de Mocambique
Próximo post
Suplementação: Uma Abordagem Completa para a Saúde e Bem-Estar
Post anterior
Ketotifeno (cetotifeno): usos, beneficios, doses e efeitos colaterais