Cafeina para que serve? Fontes e Toxicidade

Veja mais em:

Cafeina para quê serve? É uma pergunta simples, mas que requer uma resposta muito profunda. Talvez você esteja habituado a tomar café e logo associa a cafeína. Na verdade, quem consome um café no dia-a-dia pode responder alguns, dos vários benefícios da cafeína. Neste artigo vamos discutir esses benefícios.

O que é cafeína?

A cafeína é um estimulante natural mais comumente encontrado em certas plantas (como chá, café e cacau) e usado para o consumo em bebidas, na forma de infusão ou chás.

Atua estimulando o cérebro e o sistema nervoso central, ajudando-nos a ficar alerta e a prevenir o aparecimento de cansaço.

Quimicamente podemos definir a cafeína como um alcalóide que pertence ao grupo de xantinas. Seu nome químico é 1,3,7-trimetilxantina.

estrutura química da cafeína

A cafeína é absorvida cerca de 45 minutos após o consumo e atinge seu pico no sangue em qualquer lugar entre 15 minutos a 2 horas.

A cafeína é decomposta principalmente no fígado. Pode permanecer no sangue por 1,5 a 9,5 horas, dependendo de vários fatores.

Fumar acelera a quebra da cafeína, enquanto a gravidez e os anticoncepcionais orais podem retardar a quebra. Durante o terceiro trimestre da gravidez, a cafeína pode permanecer no corpo por até 15 horas.

Recomendações de consumo

São aconselháveis consumo de 400 miligramas (cerca de 4 xícaras de café coado) para adultos saudáveis ​​consumirem diariamente. No entanto, as mulheres grávidas devem limitar a ingestão de cafeína a 200 mg por dia (cerca de 2 xícaras de café).

Para criança menores de 12 anos não devem consumir nenhum alimento ou bebida com cafeína. Mas, os adolescentes com 12 anos ou mais, a ingestão de cafeína deve ser limitada a não mais do que 100 mg por dia. Essa é a quantidade em duas ou três latas de refrigerante de cola de 350 ml.

Cafeina para que serve?

Depois de termos definido, agora é hora de respondermos a pergunta: cafeina para que serve no organismo? A seguir  listamos os benefícios:

  1. Melhora o humor e a função cerebral. A cafeína tem a capacidade de bloquear a adenosina, uma molécula de sinalização cerebral. Portanto, isso aumenta a concentração outras moléculas de sinalização, principalmente a dopamina e norepinefrina. Essa mudança nas concentrações desses mensageiros cerebrais beneficiam o estado de humor e as funções cerebrais.
  2. Aumenta o metabolismo e queima de gordura. Já que a cafeína serve para mudar as funções cerebrais, ela pode aumentar o metabolismo em até 11% e a queima de gordura em até 13%. Por exemplo, consumir 300 mg de cafeína por dia pode permitir que você queime 79 calorias extras diariamente.
  3. Cafeína pode servir para melhorar o desempenho do exercício. A cafeína pode aumentar o uso de gordura como combustível. Isso ajuda a reduzir a exaustão dos músculos, porque a glicose armazenada nos músculos duram mais. A cafeína também pode melhorar as contrações musculares e aumentar a tolerância à fadiga.
  4. Protege das doenças cardíacas e diabetes. A cafeína estimula o coração, aumenta o fluxo sanguíneo e aumenta a pressão arterial temporariamente, especialmente em pessoas que geralmente não consomem cafeína. Atualmente, não existem evidências do risco de consumo da cafeína e maior risco de hipertensão, fibrilação atrial (batimento cardíaco anormal), doença cardíaca ou derrame. Além disso, bebidas com cafeína, como café e chá, podem reduzir diabetes tipo 2, embora isso possa depender do indivíduo.
  5. Proteção do fígado. O café pode reduzir o risco de danos ao fígado (cirrose) em até 84%. Pode retardar a progressão da doença, melhorar a resposta ao tratamento e diminuir o risco de morte prematura.
  6. Longevidade. Beber café pode diminuir o risco de morte prematura em até 30%, especialmente para mulheres e pessoas com diabetes (39Fonte confiável, 40Fonte confiável).
  7. Outros benefícios, incluem: proteção da pele, risco reduzido de desenvolver esclerose múltipla, prevenção da gota, melhora a saúde intestinal, entre outros.

Cafeína e ansiedade

Para pessoas sensíveis, a cafeína pode aumentar a ansiedade em doses diárias de 400 mg ou mais (cerca de 4 xícaras de café). Grandes quantidades de cafeína podem causar nervosismo e acelerar os batimentos cardíacos, sintomas que também são sentidos durante um ataque de ansiedade.

Portanto, as pessoas com ansiedade subjacente ou transtorno de pânico estão especialmente sob risco de superestimulação quando se sobrecarregam de cafeína.

Cafeína e a gravidez e infertilidade

A cafeína pode atravessar a placenta e tanto a mãe quanto o feto a metabolizam lentamente. Uma alta ingestão de cafeína pela mãe pode levar a níveis prolongados de cafeína no sangue do feto.

Isso pode resultar em redução do fluxo sanguíneo e níveis de oxigênio, aumentando o risco de aborto espontâneo e baixo peso ao nascer.

No entanto, a ingestão mais baixa de cafeína não foi considerada prejudicial durante a gravidez ao limitar a ingestão a não mais que 200 mg por dia.

Fontes de cafeína

A cafeína pode ser encontrada naturalmente nas frutas, folhas e grãos das plantas de café, chá, cacau e guaraná. Ela também costuma ser adicionada em bebidas (como refrigerantes e energéticos) e suplementos.

  • Café. 1 xícara Contém cerca de 95 mg de cafeína. A mesma quantidade de café instantâneo contém cerca de 60 mg de cafeína.
  • Chá. 1 xícara de chá preto contém cerca de 47 mg de cafeína.
  • Soda. Uma lata de 350 ml de cola escura normal ou diet contém cerca de 40 mg de cafeína.
  • Chocolate (cacau). 1 onça de chocolate amargo contém cerca de 24 mg de cafeína, enquanto o chocolate de leite contém um quarto dessa quantidade.
  • Guaraná. As sementes de guaraná contêm cerca de quatro vezes a quantidade de cafeína encontrada nos grãos de café.
  • Bebidas energéticas. 1 xícara ou 8 onças de uma bebida energética contém cerca de 85 mg de cafeína.
  • Suplementos. Os suplementos de cafeína contêm cerca de 200 mg por comprimido, ou a quantidade em 2 xícaras de café.

Sobredose da cafeína

A sobredose da cafeína pode causar vários tipos de sintomas. No entanto, certos sintomas podem não estar relacionados ao consumo excessivo de cafeína, pois podem parecer muito leves. Alguns dos sintomas incluem o seguinte:

  • tontura
  • diarréia
  • aumento da sede
  • insônia
  • dores de cabeça
  • febre
  • irritabilidade

Os sintomas graves de overdose de cafeína incluem os seguintes:

  • dificuldade para respirar
  • vómitos
  • alucinações
  • confusão
  • dor no peito
  • arritmia cardíaca (ou taquicardia)
  • movimentos musculares incontroláveis

Os bebês também podem ter uma overdose de cafeína, por exemplo, quando o leite materno contém quantidades excessivas desse estimulante. Os sintomas leves incluem náuseas e espasmos musculares intermitentes. Esses sintomas podem levar a sinais mais graves de overdose de cafeína, como vômitos, respiração rápida e choque.

Anorexia nervosa: o que é? Causas, sintomas e tratamento
Menu