Transfusão de sangue: princípios e prática

transfusão de sangue

Uma transfusão de sangue é um procedimento médico comum, seguro, no qual sangue saudável é administrado diretamente nas veias. As pessoas recebem transfusões de sangue por várias razões – como cirurgia, lesões, doenças e distúrbios hemorrágicos.

O sangue tem vários componentes, incluindo:

  • Os glóbulos vermelhos (hemácias) transportam oxigênio e ajudam a remover os resíduos
  • Células brancas ajudam seu corpo a combater infecções
  • O plasma é a parte líquida do seu sangue
  • As plaquetas ajudam o seu sangue a coagular adequadamente

Grupos sanguíneos

Existem 4 grupos sanguíneos, nomeadamente A, B, AB ou O. Para receber sangue é preciso que o sangue seja do mesmo grupo, caso contrário, os anticorpos do seu próprio sangue irão atacá-lo e causar problemas.

É por isso que os bancos de sangue rastreiam o tipo sanguíneo, o fator Rh (positivo ou negativo), bem como qualquer coisa que possa causar infecção.

Cerca de 40% das pessoas têm sangue tipo O, o que é seguro para dar quase qualquer pessoa em uma transfusão. Quem possui sangue do tipo O é chamado de doador universal.

As pessoas com sangue do tipo AB, pode receber qualquer tipo de sangue, sendo chamado receptor universal.

Quando alguém possui sangue Rh negativo, este só pode receber sangue Rh negativo.

Por que você precisaria de uma transfusão de sangue?

Existem muitas razões pelas quais nos leva a receber uma transfusão de sangue. Estes são apenas alguns deles:

  • Cirurgia ou uma lesão grave e precisa substituir o sangue perdido
  • Sangramento no trato digestivo de uma úlcera ou outra condição
  • Doença como leucemia ou doença renal que causa anemia
  • Tratamentos contra o câncer, como radiação ou quimioterapia
  • Problemas graves no fígado

Tipos de transfusão de sangue

Nem todas as transfusões de sangue são iguais. A diferença é devida a qual componente do sangue uma pessoa recebe. Os tipos mais comuns de transfusões de sangue são:

  • transfusões de sangue total, que envolve todos os diferentes componentes do sangue
  • transfusões de plasma
  • transfusões de plaquetas
  • transfusões de glóbulos vermelhos

Transfusões de sangue total não são tão comuns quanto transfusões envolvendo apenas parte do sangue. Separar o sangue em suas diferentes partes possibilita que mais pessoas se beneficiem da mesma unidade de sangue.

Como é feita a transfusão do sangue?

Uma amostra do seu sangue é coletada para verificar seu grupo sanguíneo. Você só receberá sangue que seja seguro para alguém com seu grupo sanguíneo.

Durante uma transfusão de sangue:

  • Você se senta ou se deita em uma cadeira ou cama.
  • Uma agulha é inserida em uma veia em seu braço ou mão.
  • A agulha está conectada a um tubo e a uma bolsa de sangue.
  • O sangue corre através do tubo em sua veia.
  • Pode levar até 4 horas para receber um saco de sangue, mas pode ser mais rápido.

Normalmente você pode ir para casa logo depois, a menos que esteja seriamente doente ou precise de muito sangue.

Algumas pessoas desenvolvem uma temperatura, calafrios ou erupções cutâneas durante ou depois da transfusão. Isso geralmente é tratado com paracetamol ou diminuindo a transfusão.

Braço ou mão pode doer e ter uma contusão por alguns dias depois.

Entre em contato com um médico se você se sentir mal dentro de 24 horas de ter uma transfusão de sangue, especialmente se você tiver dificuldade em respirar ou dor no peito ou nas costas.

Riscos

Transfusões de sangue são geralmente consideradas seguras, mas há algum risco de complicações. Reações mais comuns incluem reações alérgicas, que podem causar urticária, coceira e febre.

Infecções que podem ocorrer por transfusão de sangue

Os bancos de sangue examinam os doadores e testam o sangue doado para reduzir o risco de infecções relacionadas à transfusão, portanto infecções, como HIV ou hepatite B ou C, são extremamente raras.

Outras reações sérias e raras incluem:

  • Reação hemolítica imune aguda, que ocorre quando o sistema imunológico ataca os glóbulos vermelhos transfundidos, por falta de uma boa combinação.
  • Reação hemolítica tardia. Semelhante a uma reação hemolítica imune aguda, essa reação ocorre mais lentamente. Pode levar de uma a quatro semanas para se notar uma diminuição nos níveis de glóbulos vermelhos.
  • Doença do enxerto contra o hospedeiro. Nesta condição, os glóbulos brancos transfundidos atacam a medula óssea. Geralmente fatal, é mais provável que afete pessoas com imunodeficiências, como os que estão a ser tratados para leucemia ou linfoma.