Úlcera péptica, causas, sintomas e tratamento

dor ardente de estomago pode ser sinal de gastrite e ulcera pética

A úlcera péptica é uma ferida que se forma quando os sucos digestivos desgastam o revestimento do sistema digestivo (Figura 1). A úlcera péptica pode ocorrer no revestimento do estômago, duodeno ou parte inferior do esôfago.

Também podemos dizer que a úlcera péptica é uma ferida no revestimento do estômago ou do duodeno, a primeira parte do intestino delgado. Uma dor de estômago ardente é o sintoma mais comum.

locais onde ocorrem a ulcera pética
FIGURA 1. Locais onde podem ocorrer a úlcera péptica.

Globalmente, estima-se que até 10 por cento dos adultos são afetados por úlceras pépticas pelo menos uma vez na vida.

Quando uma úlcera péptica afeta o estômago, ela é chamada de úlcera gástrica, uma no duodeno é chamada de úlcera duodenal e uma úlcera esofágica é uma úlcera no esôfago.

As causas mais comuns são as bactérias Helicobacter pylori e o uso de drogas anti-inflamatórias não esteroidais.

Sintomas da úlcera péptica

  • Dor ardente no estômago
  • Sensação de plenitude, inchaço ou arroto
  • Intolerância a alimentos gordurosos
  • Azia
  • Náusea

O sintoma mais comum de úlcera péptica é a dor de estômago ardente. O ácido do estômago piora a dor, assim como o estômago vazio.

A dor pode muitas vezes ser aliviada pela ingestão de determinados alimentos que protegem o ácido estomacal ou tomando um remédio para reduzir o ácido, mas depois pode voltar.

A dor pode piorar entre as refeições e à noite.

Quase três ou quartos das pessoas com úlcera péptica não apresentam sintomas. Menos frequentemente, as úlceras podem causar sinais ou sintomas graves, como:

  • Vômitos ou vômitos de sangue – que podem aparecer vermelhos ou pretos
  • Sangue escuro nas fezes ou fezes negras ou escuras
  • Problemas respiratórios
  • Tontura
  • Perda de peso inexplicável
  • Mudanças de apetite

Causas da úlcera

As úlceras se formam quando os sucos digestivos danificam as paredes do estômago ou do intestino delgado. As duas principais causas são:

  • Bactérias. Helicobacter pylori ( H. pylori ) que é carregada pela metade das pessoas do mundo. A maioria das pessoas infectadas pelo H. pylori não tem úlceras. Mas em outros, pode aumentar a quantidade de ácido, quebrar a camada protetora de muco e irritar o trato digestivo. Os especialistas não sabem ao certo como a infecção por H. pylori se espalha. Eles acham que pode passar de pessoa para pessoa através de contato próximo, como beijar. Você também pode obtê-lo de alimentos e água sujos.
  • Certos analgésicos. Se você estiver tomando aspirina com frequência e por um longo tempo, é mais provável que você tenha uma úlcera péptica. O mesmo é verdadeiro para outros medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs). Eles incluem ibuprofeno e naproxeno, diclofenaco. Os AINEs impedem o corpo de produzir a substância química que ajuda a proteger as paredes internas do estômago e do intestino delgado do ácido estomacal. No entanto, outros tipos de analgésicos, como o paracetamol, não levam a úlceras pépticas.

Fumar cigarros e beber álcool também pode torná-lo mais propenso a ter úlceras. O estresse e comer muita comida picante não causam úlceras, como os especialistas já pensaram. Mas eles podem tornar as úlceras piores e difíceis de tratar.

Tratamento da úlcera péptica

O tipo de tratamento geralmente depende do que causou a úlcera péptica. O tratamento se concentrará na redução dos níveis de ácido no estômago, para que a úlcera possa cicatrizar ou erradicar a infecção por H. pylori .

Saiba como combater naturalmente as dores do estômago causadas pela gastrite, que, nalgum momento, se asemelha às da úlcera péptica. CLique aqui

  • Inibidores da bomba de prótons (IBPs). Os PPIs reduzem a quantidade de ácido que o estômago produz. Eles são prescritos para pacientes com teste negativo para infecção por H. pylori. O tratamento geralmente dura de 1 a 2 meses, mas se a úlcera for grave, o tratamento pode durar mais tempo.
  • Tratamento de infecção por H. pylori. Pacientes infectados com H. pylori geralmente precisam de IBP e antibióticos. Este tratamento é eficaz na maioria dos pacientes, e a úlcera começará a desaparecer em poucos dias. Quando o tratamento terminar, o indivíduo terá que ser testado novamente para garantir que o H. pylori tenha desaparecido. Se necessário, eles passarão por outro curso de antibióticos diferentes.
  • Anti-inflamatórios não esteróides. Se a úlcera vem de AINEs, o paciente terá que parar de tomá-los. Alternativas incluem acetaminofeno. Se a pessoa não pode parar de tomar AINEs, o médico pode minimizar a dose e rever a necessidade do paciente para eles mais tarde. Outro medicamento pode ser prescrito a longo prazo, juntamente com o AINE.
  • Tratamento de acompanhamento. Mesmo depois da úlcera ter cicatrizado e o tratamento ter sido completado, o paciente ainda pode ter indigestão. Nesses casos, o médico pode aconselhar algumas mudanças na dieta e no estilo de vida. Se os sintomas persistirem, podem ser prescritos antagonistas de baixa dose de IBP ou H2. Em casos graves de sangramento, uma endoscopia pode ser necessária para interromper o sangramento no local da úlcera.
Compartilhe o artigo

Autor: Augusto Constantino

Augusto Bene Tomé Constantino é Moçambicano. Nasceu na cidade de Chimoio, província de Manica. Formado em Farmácia pela Universidade Zambeze, leciona curso de Licenciatura na Faculdade de Ciências de Saúde da UniZambeze. Trabalha com microencapsulação de compostos bioativos usando biopolímeros de origem vegetal.