Antibióticos: classificação, usos e efeitos colaterais

farmacologia

Antibióticos são substâncias que inibem o crescimento e replicação de uma bactéria ou a mata completamente. Esses medicamentos são poderosos e combatem certas infecções e podem salvar vidas quando usados ​​adequadamente.

O principal objectivo do uso de um anti-microbiano é o de tratar ou prevenir uma infecção, diminuindo ou eliminado os organismos patogênicos e, se possível, preservando os microrganismos da microbiota normal.

Sabe-se que antes das bactérias se multiplicarem e causar sintomas, o sistema imunológico pode matá-las. As células defesa no sangue (glóbulos brancos) atacam as bactérias nocivas e, mesmo que os sintomas ocorram, o sistema imunológico pode lidar e combater a infecção.

Às vezes, no entanto, o número de bactérias nocivas é excessivo e o sistema imunológico não consegue combatê-las. Antimicrobianos são úteis neste cenário.

Tipos de antibióticos

Vários tipos de antibióticos modernos estão disponíveis e, geralmente, são dispensados a base de uma receita médica na maioria dos países, incluindo Moçambique. Os antibióticos podem ser fornecidas de várias maneiras:

  • Antibióticos orais – apresentam-se sob forma de comprimidos, cápsulas ou um líquido (emulsões, soluções ou suspesões), utilizados para tratar a maioria dos tipos de infecções ligeiras a moderadas no organismo.
  • Antibióticos tópicos – estes são cremes, loções, sprays ou gotas, que são frequentemente usados ​​para tratar infecções da pele.
  • Injeções de antibióticos – estas podem ser administradas como uma injeção ou infusão direto no sangue ou músculo, e são geralmente reservadas para infecções mais sérias.

Classificação dos antibióticos

Os anti-microbianos podem ser classificados de diversas formas. A maior utilidade da classificação dos anti-microbianos é a de permitir uma melhor compreensão das características dos fármacos.

Classificação por microrganismos susceptíveis

  • Antibacterianos – quando atuam sobre as bactérias.
  • Antiparasitários – quando atuam sobre os parasitas (protozoários, helmintos ou artrópodes).
  • Antifúngicos – quando atuam sobre os fungos.
  • Antivirais – quando atuam sobre os vírus. No entanto, as infeções virais não podem ser combatidas por antibióticos.

No entanto, é necessário saber que alguns antimicrobianos podem agir sobre outros tipos de microrganismos que não os que pertencem ao grupo. Por exemplo, a doxiciclina que é um anti-bacteriano, tem ação anti-fúngica e ação anti-parasitária


Classificação por efeito nos microrganismos

  • Bactericidas – são anti-microbianos que destroem (matam) os microrganismos.
  • Bacteriostáticos – são anti-microbianos que inibem o crescimento dos microrganismos, sendo complementado pelo sistema imune para a eliminação do agente infeccioso

Classificação por mecanismo de ação

  • Inibição da síntese da parede celular.
  • Lesão da membrana celular.
  • Inibição da síntese proteica.
  • Inibição da síntese de ácidos nucleicos (síntese de DNA ou RNA).
  • Inibição da atividade enzimática

Antibaterianos de acordo com suas classes

Existem centenas de tipos diferentes de antibióticos, mas a maioria deles pode ser classificada em seis grupos. Estes são descritos abaixo:

  • Penicilinas (como penicilina e amoxicilina ) – amplamente usadas para tratar uma variedade de infecções, incluindo infecções de pele, infecções no peito e infecções do trato urinário
  • Cefalosporinas (como a cefalexina) – usadas para tratar uma ampla variedade de infecções, mas algumas também são eficazes no tratamento de infecções mais graves, como septicemia e meningite.
  • Aminoglicosídeos (como gentamicina e tobramicina) – tendem a ser usados ​​apenas no hospital para tratar doenças muito graves, como septicemia, pois podem causar sérios efeitos colaterais, incluindo perda de audição e danos nos rins; eles geralmente são administrados por injeção, mas podem ser administrados como gotas para algumas infecções do ouvido ou dos olhos
  • As tetraciclinas (como a tetraciclina e a doxiciclina) podem ser usadas para tratar uma ampla variedade de infecções, mas são comumente usadas para tratar a acne moderada a grave e a rosácea.
  • Os macrolídeos (como eritromicina e claritromicina) – podem ser particularmente úteis no tratamento de infecções pulmonares e pulmonares, ou uma alternativa para pessoas com alergia à penicilina, ou para tratar cepas de bactérias resistentes à penicilina.
  • Fluoroquinolonas (como ciprofloxacina e levofloxacina) – antibióticos de amplo espectro que podem ser usados ​​para tratar uma ampla gama de infecções

Usos dos antibióticos

Um antibióticos serve para o tratamento de uma infecção bacteriana. Não é eficaz contra vírus. Saber se uma infecção é bacteriana ou viral ajuda a tratá-lo efetivamente.

Os vírus causam a maioria das infecções do trato respiratório superior, como o resfriado comum e a gripe. Antibióticos não funcionam contra esses vírus.

Se as pessoas abusarem dos antibióticos ou as usarem incorretamente, as bactérias podem se tornar resistentes. Isso significa que o antibiótico se torna menos eficaz contra esse tipo de bactéria, pois a bactéria conseguiu melhorar suas defesas.

O fim dos Antibióticos está chegando: Entenda isso! Leia sobre resistência antimicrobiana, clicando aqui.

A prescrição médica de um antibiótico de amplo espectro para tratar uma ampla gama de infecções. Um antibiótico de espectro estreito é eficaz apenas contra alguns tipos de bactérias.

Alguns antibióticos atacam bactérias aeróbicas, enquanto outros trabalham contra bactérias anaeróbicas. As bactérias aeróbias precisam de oxigênio e as bactérias anaeróbicas não.

Em alguns casos, um profissional de saúde pode fornecer antibióticos para prevenir ao invés de tratar uma infecção, como pode ser o caso antes da cirurgia. Este é o uso profilático de antibióticos. As pessoas geralmente usam esses antibióticos antes de cirurgia intestinal e ortopédica.

Efeitos colaterais dos antibióticos

Os efeitos colaterais mais comuns dos antibióticos afetam o sistema digestivo. Os efeitos que afetam o sistema digestivo incluem:

Estes efeitos secundários são geralmente leves e devem passar assim que terminar o seu tratamento.

Reações alérgicas aos antibióticos

Cerca de 1 em cada 15 pessoas tem uma reação alérgica a antibióticos, especialmente penicilina e cefalosporinas. Na maioria dos casos, a reação alérgica é leve a moderada e pode tomar a forma de:

alergia e antibióticos
  • erupção cutânea com comichão e comichão (urticária ou urticária)
  • tosse
  • aperto na garganta, o que pode causar dificuldades respiratórias

Estas reações alérgicas leves a moderadas geralmente podem ser tratadas com sucesso usando anti-histamínicos .

Em casos raros, um antibiótico pode causar uma reação alérgica grave e potencialmente fatal, conhecida como anafilaxia.

Os sintomas iniciais da anafilaxia são geralmente os mesmos descritos acima e podem levar a:

  • batimento cardíaco rápido
  • dificuldade crescente respiratória causada por inchaço e aperto do pescoço
  • um súbito e intenso sentimento de apreensão e medo
  • uma queda acentuada e repentina na pressão sanguínea, o que pode fazer você se sentir tonto e confuso
  • inconsciência

A anafilaxia é uma emergência médica e pode ser fatal se o tratamento imediato não for realizado.

Compartilhe o artigo

Autor: Augusto Constantino

Augusto Bene Tomé Constantino é Moçambicano. Nasceu na cidade de Chimoio, província de Manica. Formado em Farmácia pela Universidade Zambeze, leciona curso de Licenciatura na Faculdade de Ciências de Saúde da UniZambeze. Trabalha com microencapsulação de compostos bioativos usando biopolímeros de origem vegetal.