Escherichia coli: sintomas, causas e tratamento

Escherichia coli (E. coli) é uma bactéria do tipo bacilo Gram-negativa. É um membro comum da flora normal do intestino grosso, sendo por isso designado commensais benignas. Porém, quando ela adquire elementos genéticos codificando fatores de virulência, como E. coli O157:H7, podem causar cólicas abdominais severas, diarreia sangrenta e vômitos.

No entanto, existem três grupos de .E coli que estão associados a doenças diarreicas:

  • As cepas Escherichia coli que produzem enterotoxinas são chamadas de entero-toxigênica (ETEC). Existem inúmeros tipos de entero-toxina. Algumas dessas toxinas são citotóxicas, ou seja danificando as células mucosas, enquanto outras são meramente citotônicas, ou melhor apenas induzem a secreção de água e eletrólitos.
  • Um segundo grupo de cepas de E coli têm fatores de invasão (EIEC) e causam destruição tecidual e inflamação semelhante aos efeitos de Shigella.
  • Um terceiro grupo de sorotipos, chamado E. coli entero-patogênico (EPEC) que estão associados a surtos de diarreia em recém-nascidos. Porém, as EPEC não produzem toxinas reconhecíveis ou fatores de invasão.

A infecção por E. coli é comum quando o saneamento do meio não é muito bom. Tanto os bebês quanto os viajantes suscetíveis aos países em desenvolvimento estão particularmente em risco. No entanto, a doença é mais grave em bebês e pode ser fatalnelas assim como em pessoas com um sistema imunológico enfraquecido.

A maioria das pessoas se recupera dentro de 6 a 8 dias. Alguns outros tipos de infecção por E. coli podem levar às infecções do trato urinário, doenças respiratórias, pneumonia e outras doenças como meningite.

Sintomas da infeção por Escherichia coli

Sintomas da Escherichia coli

Dependendo dos fatores de virulência que possuem, cepas virulentas de Escherichia coli causam:

  • diarreia não inflamatória (diarreia aguada) ou
  • diarreia inflamatória, nestes casos apresentam-se como disenteria com fezes geralmente contendo sangue, muco e leucócitos (células brancas)

É importante lembrar que os sinais e sintomas da infecção por Escherichia coli, principalmente a E. coli O157:H7, geralmente começam três ou quatro dias após a exposição à bactéria, embora você possa ficar doente logo após um dia, mais de uma semana depois. Além dos sinais e sintomas acima, incluem:

  • Cólicas (ou dores) abdominais
  • Náuseas e vômitos, em algumas pessoas
  • Em alguns casos, febre
  • Fadiga, resultante da desidratação e da perda de fluidos e eletrólitos

Algumas pessoas não têm sintomas perceptíveis, mas podem espalhar a infecção para outras.

Entretanto, cerca de 5 a 10% dos infectados desenvolvem síndrome hemolítica uremica (SHU)- condição na qual os glóbulos vermelhos são danificados – que levar à insuficiência renal. Esta síndrome pode ser fatal, especialmente para crianças e idosos. O SHU geralmente começa cerca de 5 a 10 dias após o início da diarreia.

A bactéria E. coli pode comumente levar às infecções urinárias, como é o caso da cistite. A saída (orificio) do trato urinário é perto do ânus (principalmente em mulheres), portanto as bactérias podem se espalhar do trato GI para o trato urinário.

Causas

Entre as muitas cepas de E. coli, apenas algumas causam diarreia aguda. Entretanto, como dissemos anteriormente alguns grupos dessas bactérias — que incluem a O157:H7 — produz toxina poderosa que danifica o revestimento do intestino delgado, podendo levar uma diarreia sangrenta. Entretanto, só é possível desenvolver uma infecção por Escherichia coli quando ingerir apenas pequenas quantidades.

As fontes potenciais de exposição incluem:

  • Alimentos contaminados. Citamos alguns exemplos, como a carne moída. Quando o gado é abatido e processado, a bactéria E. coli em seus intestinos pode entrar na carne. Outro exemplo é o leite não pasteurizado e produtos frescos, como espinafre e alface.
  • Água contaminada. As fezes humanas e animais podem poluir águas terrestres e superficiais, incluindo córregos, rios, lagos e água usadas para irrigar as culturas. Entretanto, os poços privados são um motivo maior de preocupação porque eles não têm muitas vezes qualquer sistema desinfetante. O abastecimento de água rural é o mais provável de ser contaminado. Do outro modo, algumas pessoas também foram infectadas após nadar em piscinas ou lagos contaminados com fezes.
  • Contato pessoal. A bactéria E. coli pode facilmente passar de pessoa para pessoa, especialmente quando adultos e crianças infectadas não lavam as mãos corretamente.

Como se prevenir da infeção?

A seguir listamos algumas recomendações de como se proteger para não ser infectado pela E. Coli, bem como outros patógenos:

  • cozinhar carne muito bem, especialmente carne moída
  • beber leite pasteurizado, suco de maçã e cidra, em vez de não pasteurizado
  • lavagem de vegetais, especialmente os verdes frondosos
  • garantir que as talheres e louças estão completamente lavados com água quente e sabão
  • armazenar carne e alimentos não-carne separadamente, e usar placas de corte separadas
  • seguir boas práticas de higiene das mãos. No entanto, uma boa higiene das mãos envolve lavar as mãos cuidadosamente com água (normal ou morna) e sabão regularmente, e especialmente depois de usar o banheiro, depois de trocar fraldas, antes e depois de preparar alimentos, e depois de tocar os animais

Tratamento da infecção por Escherichia coli

Não há cura para E. coli O157:H7. Antibióticos não são aconselhados., porque eles podem aumentar o risco de SHU. Entrentanto, para a maioria das pessoas, o tratamento das infeções podem se resolver apenas por:

  • Descansar
  • Ingerir bastante fluidos para ajudar a prevenir a desidratação e a fadiga

Atenção: Evite tomar um medicamento antidiarreicos — isso retarda o sistema digestivo, impedindo que seu corpo se livre das toxinas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.