Nenhum comentário

Trombose venosa profunda (TVP): sintomas, causas e tratamento

coágulo na perna ou TVP

Trombose venosa profunda (TVP) refere-se à formação de um coágulo sanguíneo (trombo) em uma veia profunda da perna. Os sintomas podem incluir inchaço, dor e sensibilidade, geralmente nas pernas.

Os fatores de risco incluem imobilidade, terapia hormonal e gravidez.

A trombose venosa profunda tende a ocorrer nas veias das pernas, como as veias poplítea ou femoral, bem como nas veias profundas da pelve.

Em alguns casos, como na doença de Paget-Schrötter, coágulos podem se formar nas veias do braço. Se o trombo se rompe, ele é conhecido como êmbolo – um pequeno coágulo sanguíneo – e pode chegar ao pulmão, resultando em embolia pulmonar.

Trombose venosa profunda e embolia pulmonar são duas partes da doença conhecidas como tromboembolismo venoso.

Algumas pessoas podem desenvolver TVP sem saberem, geralmente não apresentam sintomas. Porém, o paciente experimenta dor, inchaço, vermelhidão, sensibilidade e calor na área afetada; veias superficiais também podem inchar.

Trombose venosa profunda

A TVP deve ser tratada como uma emergência médica. 3% das TVP que se desenvolvem na perna acabam matando o paciente, principalmente devido a uma complicação de embolia pulmonar.

A incidência e a prevalência da TVP são frequentemente subestimadas. Pensa-se que a incidência anual de TVP seja de 80 casos por 100.000, com uma prevalência de TVP de membro inferior de 1 caso por 1.000 habitantes.

A trombose venosa profunda é rara em crianças, e o risco aumenta com a idade, ocorrendo principalmente nos maiores de 40 anos. Entretanto, não há consenso sobre se existe um viés sexual na incidência de TVP.

As doenças associadas ao TVP no hospital são: malignidade, insuficiência cardíaca congestiva, doença obstrutiva das vias aéreas e pacientes submetidos à cirurgia.

Sintomas da trombose venosa profunda

Os sinais e sintomas da TVP podem incluir:

  • Inchaço na perna afetada. Raramente, há inchaço nas duas pernas.
  • Dor na perna. A dor geralmente começa na panturrilha e pode parecer cólicas ou dores.
  • Pele vermelha ou descolorida na perna.
  • Uma sensação de calor na perna afetada.

Se você desenvolver sinais ou sintomas de embolia pulmonar – uma complicação potencialmente fatal da trombose venosa profunda – procure um médico imediatamente.

Causas da trombose venosa profunda

A TVP é causada por um coágulo sanguíneo . O coágulo bloqueia uma veia, impedindo a circulação correta do sangue em seu corpo. A coagulação pode ocorrer por vários motivos. Esses incluem:

  • Ferimentos. Danos à parede de um vaso sanguíneo podem restringir ou bloquear o fluxo sanguíneo. Um coágulo de sangue pode se formar como resultado.
  • Cirurgia. Os vasos sanguíneos podem ser danificados durante a cirurgia, o que pode levar ao desenvolvimento de um coágulo sanguíneo. O repouso na cama com pouco ou nenhum movimento após a cirurgia também pode aumentar o risco de desenvolver um coágulo sanguíneo.
  • Mobilidade reduzida ou inatividade. Quando você se senta com frequência , o sangue pode se acumular nas pernas, especialmente nas partes inferiores. Se você não conseguir se mover por longos períodos de tempo, o fluxo sanguíneo nas pernas pode diminuir. Isso pode causar um coágulo.
  • Certos medicamentos. Alguns medicamentos aumentam as chances de seu sangue formar um coágulo.
  • Genética
  • Gravidez. À medida que o feto cresce no ventre da mãe, a pressão contra as veias das pernas e da pelve aumenta. O maior risco de TVP de uma mulher grávida continua até algumas semanas após o parto. Mulheres com alguns distúrbios hereditários do sangue têm um risco consideravelmente maior de TVP quando estão grávidas, em comparação com outras mulheres.
  • Câncer. Alguns tipos de câncer estão associados a um maior risco de TVP, assim como algumas terapias contra o câncer.
  • Colite ulcerosa. Aassim como outras doenças inflamatórias intestinais, aumentam o risco de desenvolver TVP.
  • Insuficiência cardíaca
  • TRH (terapia de reposição hormonal). Mulheres na pós-menopausa na TRH têm maior risco de TVP.
  • Contraceptivos orais. Uma percentagem mais alta de mulheres que usam contraceptivos orais desenvolve TVP em comparação com mulheres da mesma idade e saúde que não tomam contraceptivos orais.
  • Obesidade
  • Tabagismo
  • Cateteres venosos centrais, que são colocados na veia para administrar medicamentos, fluidos ou para obter exames de sangue, estão associados a um maior risco de TVP.
  • Moldes ortopédicos

Tratamento da tombose venosa profunda

O tratamento da TVP visa prevenir a embolia pulmonar, reduzir a morbidade e prevenir ou minimizar o risco de desenvolvimento da síndrome pós-trombótica.

Anticoagulantes

São medicamentos que impedem que o coágulo fique maior, além de impedir que ele se rompa e cause embolia pulmonar. Existem dois tipos de anticoagulantes usados ​​no tratamento da TVP – heparina e varfarina.

Por causa do efeito imediato da heparina, ela é administrada primeiro; geralmente um breve curso de injeções com duração inferior a uma semana. Também é prescrito um curso de 3 a 6 meses de comprimidos orais de varfarina para evitar a recorrência da TVP.

Para aqueles com TVP recorrente, a medicação anticoagulante geralmente é tomada pelo resto da vida do paciente.

Em pacientes com câncer, considere anticoagulação por seis meses com heparina de baixo peso molecular.

Trombólise

Ou seja, decomposição (lise, destruição) de coágulos sanguíneos. Pacientes com TVP mais grave ou embolia pulmonar podem necessitar de medicamentos que destroem o cóagulo.

O APT (ativador do plasminogênio tecidual) é um exemplo. Porém, devido ao risco de efeitos colaterais – ou seja, sangramento -, eles são usados ​​apenas quando a vida do paciente é um risco.

Filtro de veia cava inferior

Este minúsculo dispositivo semelhante a um guarda-chuva é inserido na veia para pegar coágulos sanguíneos e impedi-los de subir para os pulmões, permitindo que o fluxo sanguíneo continue. É inserido na veia cava.

Meia de compressão

São usadas para ajudar a reduzir a dor na panturrilha, o inchaço e impedir o desenvolvimento de úlceras. As meias também podem proteger o paciente da síndrome pós-trombótica.

Um paciente com TVP terá que usar meias por pelo menos 24 meses. Eles precisam ser usados ​​o tempo todo.

Complicações

Uma das complicações grave associada à trombose venosa profunda é a embolia pulmonar.

A outra complicação comum que pode ocorrer após a TVP é conhecida como síndrome pós-flebítica, também chamada síndrome pós-trombótica.

Nesta síndrome, o dano às veias causado pelo coágulo sanguíneo reduz o fluxo sanguíneo nas áreas afetadas, o que pode causar:

  • Inchaço persistente das pernas (edema)
  • Dor na perna
  • Descoloração da pele
  • Feridas na pele
Você pode gostar

Artigos Semelhantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Menu