Quimioterapia e o tratamento de câncer: tipos e reações adversas

quimioterapia

A quimioterapia é um tratamento medicamentoso que utiliza substâncias químicas muito fortes para matar células que crescem rapidamente no organismo.

Cirurgia e radioterapia removem, matam ou danificam as células cancerígenas em uma determinada área, mas a quimioterapia pode funcionar em todo o corpo.

Isso significa que a quimioterapia pode matar células cancerígenas que se espalharam (metástase) em diferentes partes do corpo, distantes do tumor original (primário).

Os medicamentos quimioterápicos podem ser usados ​​isoladamente ou em combinação para tratar uma ampla variedade de cânceres.

Embora a quimioterapia seja uma maneira eficaz de tratar muitos tipos de câncer, o tratamento quimioterápico também acarreta um risco de efeitos colaterais, onde alguns são leves e tratáveis, enquanto outros podem causar sérias complicações.

Mecanismos de ação dos quimioterápicos

Drogas de quimioterapia podem:

  • prejudicar a mitose, ou impedir a divisão celular, como no caso de drogas citotóxicas que têm como alvo a fonte de alimento das células cancerígenas, que consiste nas enzimas e hormonas que precisam para crescer
  • desencadear a morte das células (apoptose) cancerígenas
  • parar o crescimento de novos vasos sanguíneos que irrigam um tumor, a fim de que as células cancerígenas morram de fome

A eficácia de interromper o fluxo sanguíneo e oxigênio para o tumor tem sido questionada nos últimos anos. Em vez de privar as células, estudos sugeriram que a interrupção do fluxo sangüíneo pode aumentar a capacidade das células de resistir ao tratamento e causar metástase.

Propósitos da quimioterapia

Há uma variedade de propósitos para uso da quimioterapia em pessoas com câncer:

  • Para curar o câncer sem outros tratamentos.
  • Depois de outros tratamentos, matar as células cancerígenas ocultas.
  • Para prepar o paciente para outros tratamentos.
  • Para aliviar sinais e sintomas.
  • Quimioterapia para outras condições que não o câncer
  • Tratamento de doenças da medula óssea.
  • Tratamento de distúrbios do sistema imunológico.

Tipos de agentes quimioterápicos

Existem diferentes tipos de medicamentos quimioterápicos, neste artigo destacamos 4 categorias principais são:

  1. Agentes alquilantes, que trabalham diretamente no DNA e matam as células em diferentes estágios do ciclo de vida celular. Exemplos incluem clorambucil e bussulfano.
  2. Antimetabólitos, que mimetizam proteínas que as células precisam para sobreviver. Quando as células os consomem, não oferecem benefícios e as células morrem de fome. Exemplos incluem antagonistas de purina, antagonistas de pirimidina e antagonistas de folato .
  3. Alcaloides vegetais, que bloqueiam a capacidade das células de crescer e se dividir. Exemplos incluem actinomicina D e mitomicina.
  4. Antibióticos antitumorais, que se ligam ao DNA e impedem que o RNA seja sintetizado, de modo que as células não podem se reproduzir. Estes são diferentes dos antibióticos que usamos para uma infecção. Exemplos incluem doxorrubicina e bleomicina.

A quimioterapia pode ser eficaz no tratamento do câncer, às vezes levando à remissão completa, apesar de seus efeitos adversos. No entanto, a eficácia depende de fatores individuais, que incluem:

  • a localização, tipo e estágio do câncer
  • a idade do paciente, saúde geral e condições médicas existentes

Efeitos colaterais da quimioterapia

Os efeitos colaterais dos medicamentos quimioterápicos podem ser significativos. Cada droga tem efeitos colaterais diferentes, e nem toda droga causa todos os efeitos colaterais.

Efeitos colaterais comuns de drogas quimioterápicas incluem:

  • Náusea
  • Vômito
  • Diarréia
  • Perda de cabelo
  • Perda de apetite
  • Fadiga
  • Febre
  • Aftas
  • Dor
  • Prisão de ventre
  • Fácil contusões

Muitos desses efeitos colaterais podem ser prevenidos ou tratados. A maioria dos efeitos colaterais desaparece após o término do tratamento.

Além dos efeitos listados acima existem os efeitos duradouros e tardios, como:

  • Danos ao tecido pulmonar
  • Problemas cardíacos
  • Infertilidade
  • Problemas renais
  • Danos nos nervos (neuropatia periférica)
  • Risco de um segundo câncer
Compartilhe o artigo

Autor: Augusto Constantino

Augusto Bene Tomé Constantino é Moçambicano. Nasceu na cidade de Chimoio, província de Manica. Formado em Farmácia pela Universidade Zambeze, leciona curso de Licenciatura na Faculdade de Ciências de Saúde da UniZambeze. Trabalha com microencapsulação de compostos bioativos usando biopolímeros de origem vegetal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *