Prisão de ventre (ou constipação): sintomas, causas e tratamento

A prisão de ventre, também conhecida como constipação intestinal, é uma condição na qual as pessoas têm dificuldade de evacuar fezes com regularidade, ou não conseguem esvaziar completamente o intestino.

Além disso, a constipação também permite que as fezes fiquem se tornem duras e grumosas, além de incomumente grandes ou pequenas.

A gravidade da prisão de ventre varia de pessoa para pessoa. Muitas pessoas costuma experimentar constipação apenas por um curto tempo, enquanto para outras ela pode ser durar um longo prazo (constipação crônica). Desta forma ela causa dor e desconforto significativos e afeta a qualidade de vida.

A constipação pode ocorrer em bebês, crianças e adultos. A condição afeta duas vezes mais mulheres do que homens e também é mais comum em pessoas mais velhos e durante a gravidez.

Sintomas de prisão de ventre

Um dos primeiros sinais e sintomas da prisão de ventre é a  dificuldade dee eliminar as fezes e com menos frequência do que o habitual.

A eliminação de fezes depende de cada pessoa. Por exemplo, alguns pessoas vão ao banheiro mais de uma vez por dia, enquanto outros só vão a cada 3 ou 4 dias. Isso também acontece com os bebês, alguns podem evacuar várias vezes ao dia, enquanto outros podem fazer apenas algumas vezes por semana.

Contudo, é importante conhecer com que frequência você e pessoas da sua família evacuam. Daí se você achar que estão a evacuar com menor frequência que o normal, pode ser um sinal de prisão de ventre.

Também pode ser mais difícil evacuar e você pode se sentir incapaz de esvaziar o intestino completamente. Suas fezes podem parecer secas e duras, assim como podem ser muito grandes ou pequenas.

Outros sintomas de constipação podem incluir:

  • dor de barriga e cólicas
  • sentir-se saciado ou inchado
  • sentir-se adoecido
  • perder apetite

Sintomas da prisão de ventre crônica

Os sinais e sintomas de constipação crônica incluem:

  • Evacuar menos de três fezes por semana
  • Ter fezes grumosas ou duras
  • Esforço para evacuar
  • Sentir-se como se houvesse um bloqueio em seu reto que impede os movimentos intestinais
  • Sentir-se como se não pudesse esvaziar completamente as fezes de seu reto
  • Precisar de ajuda para esvaziar o reto, como usar as mãos para pressionar o abdômen e usar um dedo para remover fezes do reto

Constipação em crianças

Uma criança com constipação pode apresentar qualquer um dos seguintes sintomas:

Causas da constipação

Muitas vezes a constipação ocorre quando as fezes permanecem no cólon (parte do intestino grosso) por muito tempo e quando ele (cólon) absorve muita água das fezes, tornando-as duras e secas.

Além disso, os dejetos ou fezes podem se mover com muita lentidão pelo trato digestivo ou podem não ser eliminados com eficácia pelo reto.

A maioria dos casos de constipação não tem condição específica e pode ser difícil identificar a causa exata. No entanto, vários fatores podem aumentar suas chances de ter constipação, incluindo:

  • não comer fibras suficientes, como frutas, vegetais e cereais
  • uma mudança em sua rotina ou estilo de vida, como uma mudança em seus hábitos alimentares
  • ignorar o desejo de evacuar
  • imobilidade ou falta de exercício
  • não beber líquidos suficientes
  • febre
  • estar abaixo do peso ou acima do peso
  • ansiedade  ou  depressão
  • problemas psiquiátricos, como aqueles causados ​​por abuso sexual, violência ou trauma

Bloqueios no cólon ou reto

Os bloqueios no cólon ou reto podem retardar ou interromper o movimento das fezes. As causas podem incluir:

  • Fissura anal
  • Bloqueio nos intestinos (obstrução intestinal)
  • Câncer de colon
  • Estenose intestinal
  • Outro câncer abdominal que pressiona o cólon
  • Câncer retal
  • Saliência do reto na parede posterior da vagina (retocele)

Gravidez

Quase a metade das mulheres podem ter prisão de ventre durante a gravidez, principalmente nas primeiras semanas. Isso acontece porque o corpo da mulher produz mais a progesterona, um hormônio feminino que atua como um relaxante muscular tornando difícil a contração dos músculos intestinais.

Como sabemos, o peristaltismo (movimento do tubo gastrointestinal) acontece com a contração e relaxamento dos múculos intestinais. Se tivermos mais relaxamento o intestino não irá mover com eficácia o bolo alimentar, assim como as fezes.

Outras condições

Em casos raros, a constipação pode ser um sinal de uma condição subjacente, como:

  • medicamentos. Às vezes, a constipação pode ser um efeito colateral de um medicamento que você está tomando. Os tipos comuns de medicamentos que podem causar constipação incluem: antiácidos, como o hidróxido de alumínio, antidepressivos, antiepilépticos, antipsicóticos, suplementos de cálcio, analgésicos opiáceos (como codeína e morfina), diuréticos e suplementos de ferro.
  • síndrome do intestino irritável
  • diabetes
  • hipercalcemia – onde há muito cálcio na corrente sanguínea
  • hipotireoidismo
  • distrofia muscular – uma condição genética que causa perda de massa muscular
  • esclerose múltipla  – uma condição que afeta o sistema nervoso
  • Doença de Parkinson  – onde parte do cérebro se torna progressivamente danificada, afetando a coordenação dos movimentos do corpo
  • lesão da medula espinal
  • hiperparatireoidismo
  • fissura anal – uma pequena laceração ou úlcera na pele logo dentro do ânus
  • doença inflamatória intestinal – uma condição que faz com que os intestinos fiquem inflamados (irritados e inchados)
  • câncer de intestino

Bebês e crianças

A constipação em bebês e crianças é bastante comum. Alguns fatores podem ser a causa da prisão do ventre em criança, incluindo:

  • Alimentação deficiente ou pobre. Crianças que são alimentadas em excesso têm maior probabilidade de ter constipação, assim como aquelas que não ingerem líquidos suficientes. Bebês que têm muito leite também têm maior probabilidade de ter prisão de ventre. É muito importante que seu filho tenha fibras suficientes em sua dieta.
  • Uso do vaso sanitário. Procurar não estressar ou pressionar seu filho para usar o banheiro. Às vezes intervir constantemente ao usar o banheiro pode deixá-los ansiosos e contribuir para a constipação.
  • Outras condições. Em casos raros, constipação em bebês e crianças pode ser um sinal de uma condição subjacente, como doença de Hirschsprung, malformação anorretal, anormalidades da medula espinhal e fibrose cística.

Como a prisão de ventre é diagnosticada?

Para o diagnóstico da prisão de ventre são necessários primeiro uma história clinica e um exame físico. Neste sentido, seu médico pedirá uma descrição do que você esteja sentindo, incluindo a duração dos sintomas, a frequência dos movimentos intestinais e outras informações para ajudar a determinar a causa da constipação.

Por outro lado, um exame físico também pode incluir um exame retal digital, no qual o médico insere um dedo enluvado e lubrificado no reto para avaliar o tônus ​​do músculo que fecha o ânus. Esse exame também ajuda a detectar a sensibilidade, obstrução, sangue, quantidade e calibre das fezes e se há aumento do reto.

Seu médico também pode pedir exames complementares, que incluem:

  • Raio-X abdominal.
  • Raio-X da parte in inferior do trato gastrointestinal. Este exame é realizado com ajuda de um fluido (um líquido metálico – bário – usado para revestir o interior dos órgãos para que apareçam em um raio-X) é administrado no reto como um enema. Uma radiografia do abdômen mostra estenoses (áreas estreitas), obstruções (bloqueios) e outros problemas.
  • ColonoscopiaEnvolve a inserção de um colonoscópio, um tubo longo, flexível e iluminado, através do reto até o cólon. O colonoscópio permite ao médico ver o revestimento do cólon, remover tecido para exames adicionais e, possivelmente, tratar alguns problemas descobertos.
  • Sigmoidoscopia. Um tubo curto, flexível e iluminado, denominado sigmoidoscópio, é inserido no intestino através do reto. A luneta sopra ar no intestino para inflá-lo e facilitar a visualização do interior.
  • Estudo do trânsito colorretal. Este teste mostra como o alimento se move pelo cólon. O paciente engole cápsulas contendo pequenos marcadores visíveis na radiografia. O paciente segue uma dieta rica em fibras durante o curso do teste, e o movimento dos marcadores através do cólon é monitorado com radiografias abdominais feitas várias vezes, três a sete dias após a ingestão da cápsula.

Tratamento da constipação

O tratamento para prisão de ventre ou constipação depende da causa, da duração e da gravidade dos seus sintomas. Nalguns casos, as mudanças na dieta e no estilo de vida podem ser suficientes para aliviar os sintomas.

Estilo de vida e remédios caseiros

Mudanças na dieta e estilo de vida são freqüentemente recomendadas como o primeiro tratamento para a constipação. A seguir são apresentados algumas sugestões para tratar a constipação em casa:

  • Mantenha-se hidratado
  • Consuma mais fibras, ou seja, procure consumir diariamente cerca de 8-30g de fibra. Veja este artigo sobre as formas como você pode adicionar fibras na sua dieta.
  • Adicione alguns alimentos que aumente volume, como farelo de trigo. Isso ajudará a deixar suas fezes mais macias e fáceis de passar.
  • Exercite-se com mais regularidade.
  • Responda ao padrão natural do seu intestino: quando sentir vontade, não demore.
  • Tente descansar os pés em um banquinho baixo antes de ir ao banheiro, de modo que os joelhos fiquem acima do quadril; isso pode facilitar a eliminação das fezes.
  • Se a medicação que você está tomando pode estar causando constipação, seu médico pode prescrever uma alternativa.

Tratamento medicamentoso

No caso de houver necessidade, seu médico pode te orientar a tomar alguns medicamentos que incluem:

  • Laxantes. Medicamentos que o ajudam a eliminar as fezes. Existem vários tipos diferentes de laxante e cada um tem um efeito diferente no seu sistema digestivo. Por exemplo, os laxantes formadores de massa, como casca de ispaguula, metilcelulose e esterculia, ajudam suas fezes a reter líquidos. Isso significa que é menos provável que sequem, o que pode causar impactação fecal. Ao tomar este tipo de laxante, deve-se beber muitos líquidos e não tomá-los antes de ir para a cama. Outros tipos de laxantes são os chamados osmóticos. Esses remédios aumentam a quantidade de líquido nos intestinos, amolecendo assim as fezes. Medicamentos desse tipo lactulose e macrogóis. Alguns laxantes estimuladores (como a senna, bisacodil e picossulfato de sódio) podem ajudar a estimular os músculos do intestino para se movimentar Ao tomar esses remédios se certifique de beber bastante líquido. Geralmente, os efeitos desses medicamentos podem demorar de 6 horas a 3 dias antes que você sinta o efeito.

Outros medicamentos

  • Lubrificantes, como o óleo mineral permitem que as fezes se movam pelo cólon com mais facilidade.
  • Amaciantes de fezes.Amaciantes de fezes, como docusato de sódio e docusato de cálcio, umedecem as fezes retirando água dos intestinos.
  • Medicamentos que puxam água para o intestino.Vários medicamentos prescritos estão disponíveis para tratar a constipação crônica. A lubiprostona, a linaclotida e a plecanatida puxam água para os intestinos e aceleram o movimento das fezes.
  • Receptores de serotonina 5-hidroxitriptamina. Prucaloprida ajuda a mover as fezes através do cólon.
  • Antagonistas do receptor opioide de ação periférica. Se a constipação for causada por analgésicos opióides, estes medicamentos (como o naloxegol e a metilnaltrexona) revertem o efeito dos opióides no intestino para manter o intestino em movimento.

Tratamento da prisão do ventre na gravidez ou amamentação

Uma boa orientação médica para o tratamento da prisão de ventre ou constipação intestinal na gravidez, inclui a mudança na dieta, aumentando a ingestão de fibras e líquidos.

Além disso, é aconselhável praticar alguns exercícios físicos suaves. Contudo, se isso não funcionar, pode ser que um laxante a ajude a evacuar com mais regularidade.

A maioria dos laxantes são seguros para uso por mulheres grávidas porque a maioria não é absorvido pelo sistema digestivo. Isso significa que seu bebê não sentirá os efeitos do laxante.

Os laxantes que podem ser usados ​​com segurança durante a gravidez incluem os laxantes osmóticos lactulose e macrogóis. Mas se isso não funcionar, seu médico pode recomendar tomar uma pequena dose de bisacodil ou senna (laxantes estimulantes). Atenção, o senna não é seguro de tomar durante o terceiro trimestre de gravidez, já ele é parcialmente absorvido pelo sistema digestivo.

Bebês que não foram desmamados

Se o seu bebê estiver constipado, mas ainda não começou a comer alimentos sólidos, a primeira maneira de tratá-lo é dar-lhe água extra entre as mamadas normais. Se você estiver usando leite em pó, faça a fórmula de acordo com as instruções do fabricante e não dilua a mistura.

Alguns exercícios suaves como mover as pernas do seu bebê em um movimento de bicicleta ou massagear cuidadosamente a barriga podem ajudar a estimular os intestinos.

Uma mãe massageando o abdômen do seu bebê. Imagem de Nappy

Bebês que estão comendo sólidos

Se o seu bebê estiver comendo alimentos sólidos, dê a ele bastante água ou suco de fruta diluído. Tente incentivá-los a comer frutas, que podem ser picadas ou em purê, dependendo de sua capacidade de mastigação.

As melhores frutas para os bebês comerem para tratar a prisão do ventre  incluem maçãs, damascos, uvas, pêssegos, peras, ameixas, framboesas e morangos.

Não insista seu bebê a comer se ele não quiser. Se o fizer, pode transformar a hora das refeições em uma batalha e seu filho pode começar a pensar em comer como uma experiência negativa e estressante.

Se seu bebê ainda estiver constipado após uma mudança na dieta, pode ser necessário prescrever um laxante. No entanto, deve-se evitar os laxantes formadores de massa e preferir laxante osmótico ou estimulante.

Crianças

Para as crianças, os laxantes são frequentemente recomendados junto com as mudanças na dieta. Os laxantes osmóticos são geralmente experimentados primeiro, seguidos de um laxante estimulante, se necessário.

Além de comer frutas, as crianças mais velhas devem ter uma dieta saudável e balanceada, que também contenha vegetais e alimentos integrais, como pão integral e massas.

Tente minimizar o estresse ou conflito associado à hora das refeições ou ao uso do banheiro. É importante ser positivo e encorajador quando se trata de estabelecer uma rotina de banheiro.

Referências

  1. NHS inform. Constipation. disponível aqui. acesso 18/07/21.
  2. Johns Hopkins Medicine. Constipation. disponível aqui. Acesso 18/07/21.
  3. Mayo CLinics. Constipation. disponível aqui. Acesso 18/07/21.
Anemia hemolítica: tipos, sintomas, causas e tratamento
Dor de dente: causas, tratamento, remédio caseiro e prevenção
Menu