Síndrome do ovário policístico: causas e tratamento

SOP

Síndrome do Ovário Policístico (SOP), também conhecida como síndrome dos ovários policísticos, é um problema de saúde comum causado por um desequilíbrio dos hormônios reprodutivos da mulher (o excesso do androgênio é muito frequente).

Os ovários podem desenvolver inúmeras pequenas coleções de fluidos (folículos) e falhar no desenvolvimento e liberar irregularmente os óvulos.

Ou seja, o síndrome do ovário policístico pode causar períodos menstruais perdidos ou irregulares. Períodos irregulares podem levar a:

  • Infertilidade (incapacidade de engravidar). De fato, a SOP é uma das causas mais comuns de infertilidade em mulheres.
  • Desenvolvimento de cistos nos ovários.

A SOP pode ser ainda, clinicamente, suspeitada frente a manifestações de hiperandrogenismo (hirsutismo, acne, alopecia). Sua prevalência em mulheres em idade reprodutiva varia de 4% a 6,8%.

Sintomas do síndrome do ovário policístico

Os sinais e sintomas da SOP geralmente se desenvolvem na época do primeiro período menstrual durante a puberdade. Às vezes, a SOP se desenvolve mais tarde, por exemplo, em resposta ao ganho acentuado de peso.

Sinais e sintomas da SOP variam, pelo menos dois desses sinais devem estar presentes:

  • Períodos irregulares. Por exemplo, você pode ter menos de nove períodos por ano, mais de 35 dias entre períodos e períodos anormalmente pesados.
  • Excesso de andrógeno. Níveis elevados de hormônio masculino podem resultar em sinais físicos, como excesso de pêlos faciais e corporais (hirsutismo) e ocasionalmente acne severa e calvície de padrão masculino.
  • Ovários policísticos.
síndrome do ovário policístico

Causas da síndrome do ovário policístico

A causa exata da SOP não é conhecida. A maioria dos especialistas acredita que vários fatores, incluindo a genética, desempenham um papel

Outras causas incluem:

  • Altos níveis de andrógenos. Os níveis de andrógenos mais altos do que o normal nas mulheres podem impedir que os ovários liberem um óvulo (ovulação) durante cada ciclo menstrual.
  • Altos níveis de insulina. Muitas mulheres com SOP têm resistência à insulina, especialmente aquelas que têm sobrepeso ou obesidade, têm hábitos alimentares pouco saudáveis, não fazem atividade física suficiente e têm um histórico familiar de diabetes (geralmente diabetes tipo 2).
  • Inflamação de baixo grau. Pesquisas mostram que as mulheres com SOP têm um tipo de inflamação de baixo grau que estimula os ovários policísticos a produzirem andrógenos, o que pode levar a problemas cardíacos e vasculares.

Impacto da SOP

A SOP pode permitir:

  • Infertilidade
  • Diabetes gestacional ou hipertensão induzida pela gravidez
  • Aborto espontâneo ou parto prematuro
  • Esteatose hepática não alcoólica
  • Síndrome metabólica
  • Diabetes tipo 2 ou pré-diabetes
  • Apnéia do sono
  • Depressão, ansiedade e distúrbios alimentares
  • Sangramento uterino anormal
  • Câncer do revestimento uterino (câncer endometrial)

Pato-fisiologia e tratamento

A fisiopatologia da SOP envolve defeitos primários no eixo hipotalâmico-hipofisário, secreção e ação da insulina e função ovariana.

Os sinais clínicos da SOP incluem níveis elevados do hormônio luteinizante (LH) e do hormônio liberador de gonadotropina (GnRH), enquanto os níveis de hormônio folículo-estimulante (FSH) são silenciados ou inalterados.

Como resultado do aumento do GnRH, a estimulação das células do cólon ovariano, por sua vez, produz mais andrógenos.

A parada folicular pode ser corrigida elevando os níveis endógenos de FSH ou fornecendo FSH exógeno.

Alguns estudos sugerem que a SOP é um defeito primário em meninas que estão entrando na puberdade e que têm um histórico familiar do transtorno.

Aproximadamente 25% dos pacientes com SOP apresentam níveis elevados de prolactina.

As intervenções terapêuticas são projetadas para reduzir os níveis de insulina e a produção de andrógenos ovarianos, corrigindo os níveis de globulina ligadora de hormônios sexuais (SHBG).

Esse aumento nos níveis de SHBG pode ser usado para gerenciar efetivamente os sintomas da SOP.

As pílulas anticoncepcionais e a metformina (medicamento para diabetes) podem ajudar a recuperar um ciclo menstrual normal.

O clomifeno (medicamento para fertilidade) e a cirurgia melhoram a fertilidade em mulheres com SOP.

Remédios para remoção de pêlos podem livrar as mulheres de pêlos indesejáveis.

Referências

  1. Ndefo, Uche Anadu et al. “Polycystic ovary syndrome: a review of treatment options with a focus on pharmacological approaches.” P & T : a peer-reviewed journal for formulary management vol. 38,6 (2013): 336-55.