Vitamina B7: usos, benefícios para saúde e fontes

O que é vitamina B7?

A vitamina B7, também conhecida como vitamina H ou biotina, é uma vitamina solúvel em água. Ela ajuda nosso organismo a metabolizar gorduras, carboidratos e proteínas. As vitaminas solúveis em água não são armazenadas no corpo, por isso precisamos ingeri-las todos dias.

A vitamina B7 é uma substância chave que ajuda as enzimas carboxilase. Por isso que ela está envolvida na:

  • Síntese de ácidos graxos;
  • Síntese dos aminoácidos isoleucina e valina;
  • Gliconeogênese, ou formação da glicose.

A vitamina B7 é uma das vitaminas essenciais porque não pode ser sintetizada por células humanas. Mas pode ser produzida por bactérias da flora normal do nosso organismo; além disso, ela está presente em vários alimentos.

A terapia com biotina pode ajudar a tratar algumas condições médicas. Algumas pessoas tomam suplementos para fortalecer as unhas e o cabelo, mas faltam evidências que apoiam ​​esse uso.

O objetivo deste artigo é analisar por que precisamos da vitamina B7 ou biotina, a ingestão recomendada, fontes e quaisquer possíveis riscos à saúde.

Benefícios para a saúde

Vitamina B7 para unhas, cabelo e pele

Há algumas evidências de que a vitamina B7 pode melhorar a resistência e durabilidade das unhas e melhorar a saúde do cabelo e da pele.

As evidências sobre a suplementação de biotina para tratar unhas quebradiças, entretanto, incluem três pequenos estudos que não incluíram um grupo de placebo, e esses relatórios não indicam o status de biotina dos participantes do estudo.

Um estudo publicado em 1989 descobriu que entre 45 pacientes que tomaram um suplemento de 2,5 mg por dia, 91 por cento tinham “unhas mais firmes e duras” após 5 meses.

Outro estudo feito com 35 pacientes com unhas quebradiças descobriu que 2,5 mg / dia de biotina por 6–15 meses resultou em melhora clínica em 22 dos 35 pacientes (63%).

Ablon (2015) descobriu que mulheres com cabelo ralo (poucos fios) experimentaram uma redução na queda do cabelo após tomar um suplemento oral de proteína marinha por 90 dias. No entanto, a biotina foi somente um ingrediente desse suplemento, e a pesquisa foi patrocinada por uma empresa que vende produtos de saúde e beleza.

Como podemos entender, a evidência que sustenta o uso de suplementos de biotina para ajudar com a saúde da pele é limitada a um pequeno número de relatos de casos, todos em bebês, mostrando que 100 mcg a 10 mg / dia resultou em melhorias dramáticas na erupção cutânea ou dermatite, bem como alopecia.

Escritório de suplementos dietéticos , NIH

Portanto, mais estudos são necessários para apoiar o uso de suplementos de biotina para essa finalidade em indivíduos saudáveis.

Manter uma gravidez saudável

A deficiência leve de biotina é frequentemente observada durante a gravidez. Pode levar a um desenvolvimento anormal do feto.

Portanto, é aconselhável obter um multivitamínico que forneça pelo menos 30 microgramas de biotina por dia, além de ácido fólico, para diminuir o risco de deficiência. Embora que a suplementação de ácido fólico é recomendada no ano anterior e durante a gravidez.

Vitamina B7 no controle da diabetes

A B7 é uma vitamina que tem capacidade de reduzir glicose no sangue em pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2. Algumas pesquisas têm mostrado resultados promissores.

Por exemplo, um estudos feito em animais demonstrou que a vitamina B7 pode estimular a secreção de insulina do pâncreas e, subsequentemente, reduzir a glicose no sangue.

Outra pesquisa indicou que a biotina pode ajudar com o controlo da glicemia em pessoas com diabetes do tipo I. Os autores sugeriram que essa vitamina em altas doses pode compensar a exposição subnormal à insulina, suprimindo os níveis de FOXO1 (uma proteina que regula a produção da insulina).

Além disso, a B7 em altas doses também tem o potencial de se opor à esteatose hepática, doença que se caracteriza por acúmulo de gordura nas células do fígado.

No entanto, mais estudos são necessários para confirmar a eficácia dos efeitos da biotina sobre o açúcar no sangue.

Controle da neuropatia

A vitamina H também pode ajudar a reduzir os danos nos nervos, em pessoas que têm diabetes ou que estão fazendo diálise para doenças renais.

Essa informação é sustentada pela descoberta feita por Koutsikos e colaboradores (1990). Estes cientistas descobriram que três pacientes que tomaram uma alta dose de biotina por 1 a 2 anos observaram uma melhora nos sintomas da neuropatia diabética periférica.

É importante lembrarmos de que a B7 é uma vitamina necessária para a atividade da enzima piruvato carboxilase. Por isso, sem ela podem surgir níveis elevados de piruvato e aspartato, o que pode afetar adversamente os nervos.

No entanto, são necessárias mais evidências para confirmar isso.

Tratamento de doença dos gânglios basais

A doença dos gânglios basais é um distúrbio hereditário e muito raro. No entanto, ela afeta uma parte do sistema nervoso que controla nossos movimentos. Por isso, pode levar à tensão involuntária dos músculos, rigidez muscular, fraqueza muscular e outros problemas relacionados.

No entanto, esta condição pode melhorar se for tratado com a biotina e tiamina.

Tratamento de esclerose múltipla

A esclerose múltipla (EM) é uma doença autoimune que afeta o sistema nervoso central. Os sintomas geralmente incluem fraqueza muscular, sensação de queimação, dormência, dor crônica, falta de equilíbrio e coordenação, fadiga e dificuldade de concentração.

Alguns estudos sugeriram que a terapia com altas doses de biotina pode ajudar a melhorar os sintomas em pessoas com esclerose múltipla.

Resultados de outro estudo sugeriram que a biotina era uma terapia segura. Em alguns participantes, uma dose alta, tomada três vezes ao dia, reduziu os sintomas após 9 meses de uso.

No entanto, há contradições sobre o assunto. Porque há evidências de que a biotina em altas dose pode aumentar inesperadamente a atividade inflamatória; além de proporcionar um aumento dramático na taxa de recaída para pacientes com EM progressiva que tomam essa vitamina.

Deficiência da vitamina B7

A deficiência da vitamina B7 é rara em humanos, porque esta vitamina está amplamente disponível nos alimentos e as “boas” bactérias do nosso intestino normalmente podem produzi-la na quantidade necessária e suficiente.

Mas, quando por algum motivo apresentamos deficiência, podemos ter:

  • Queda de cabelo, também conhecido como alopecia;
  • Erupção cutânea escamosa e vermelha ao redor dos olhos, nariz, boca e órgãos genitais;
  • Depressão;
  • Letargia, ou seja, estado de cansaço que envolve diminuição da energia, da capacidade mental e da motivação;
  • Alucinações;
  • Dormência e formigamento nas mãos e pés;
  • Perda de controle dos movimentos corporais, conhecida como ataxia;
  • Apreensões;
  • Função imunológica prejudicada;
  • Aumento do risco de infecção bacteriana e fúngica.

Fatores de risco para deficiência da biotina

A deficiência de biotina é mais provável de surgir em:

  • Mulheres grávidas
  • Pacientes com alimentação intravenosa prolongada
  • Bebês que consomem leite materno com baixas quantidades de biotina
  • Pessoas com alguns tipos de doença do fígado
  • Pacientes com absorção prejudicada de biotina devido a doença inflamatória intestinal ou outro distúrbio do trato gastrointestinal.
  • Pessoas que fumam
  • Também pode afetar pessoas que usam medicamentos para epilepsia, incluindo o fenobarbital, fenitoína ou carbamazepina


Deficiência da biotinidase

A deficiência de biotinidase é outra causa da deficiência de biotina. Portanto, este é um distúrbio metabólico autossômico recessivo.

Em pessoas com essa condição, o organismo não produz enzima suficiente para liberar biotina das proteínas da dieta durante a digestão.

Cerca de 1 em 60.000 recém-nascidos tem deficiência profunda ou parcial de biotinidase. No entanto, em uma deficiência profunda, há menos de 10% da atividade enzimática normal. Por outro lado, em uma deficiência parcial, ocorre de 10 a 30 por cento da atividade enzimática normal.

Dose diária recomendada

Faltam evidências científicas suficientes para estimar as necessidades dietéticas da vitamina B7; portanto, nenhuma Dieta Diária Recomendada para biotina foi estabelecida.

No entanto, alguns órgãos conhecidos, como Instituto de Medicina dos EUA, sugere uma ingestão adequada de 30 microgramas (μg) por dia para adultos com 19 anos ou mais. Abaixo apresentamos uma tabela mais detalhada.

Fase de vidaIdadeHomens (μg / dia)Mulheres (μg / dia)
Bebês0-6 meses55
Bebês7-12 meses66
Crianças1-3 anos88
Crianças4-8 anos1212
Crianças9-13 anos2020
Adolescentes14-18 anos2525
Adultos19 anos e mais velhos3030
Gravideztodas as idades30
Amamentaçãotodas as idades35
Tabela. Ingestão adequada (IA) para biotina

Fontes de vitamina B7

Os alimentos devem ser a primeira escolha ao procurar fontes de vitamina B7. Porque a biotina nos alimentos geralmente se liga às proteínas.

Os alimentos com vitamina B7 incluem:

  • Fermento de pão
  • Farelo de trigo
  • Carne
  • Ovos cozidos inteiros

Ovos crus contêm uma proteína chamada avidina, que impede a absorção da biotina. Portanto, comer duas ou mais claras de ovo cruas por dia durante vários meses tem sido associado à deficiência da vitamina h.

Aqui estão alguns alimentos específicos e quantidades de biotina:

AlimentoMicrogramas (μg) por porçãoPorcentagem diária
85 g de Fígado de boi cozido30.8103
Ovo cozido, inteiro10.033
85 g de Salmão5.017
85 g de Costeleta de porco cozida3.813
85 g de Hambúrguer cozido3.813
Sementes de girassol torradas, ¼ xícara2.69
Batata doce cozida, ½ xícara2.48
Amêndoas torradas, ¼ xícara1.55
85 g de Atum, pode ser enlatado0.62
Espinafre cozido, ½ xícara0.52
Brócolis, fresco, ½ xícara0.41
28 g de Queijo cheddar leve0.41
Leite, 2%, 1 xícara0.31
Iogurte puro, 1 xícara0.21
Aveia, 1 xícara0.21
Banana, ½ xícara0.21
Pão de trigo integral, 1 fatia0.00
Maçã, ½ xícara0.00
Tabela 2. Fontes alimentares selecionadas de biotina.

Suplementos da vitamina B7

Os suplementos de biotina ou vitamina B7 estão disponíveis sozinhos, combinados em um suplemento com vitaminas do complexo B ou incluídos em um multivitamínico.

As razões para se tomar os suplementos de biotina, incluem prevenir ou tratar:

  • perda de cabelo
  • unhas quebradiças
  • dermatite seborréica, uma doença de pele que afeta bebês
  • diabetes
  • depressão leve

Pessoas com deficiência de biotinidase geralmente começam com uma dose de 5 a 10 mg por dia.

Aquelas sem essa condição genética devem primeiro tentar conseguir B7 suficiente da dieta, já que esta vitamina aumenta a ingestão de outros nutrientes benéficos que atuam junto com ela.

É sempre melhor obter os nutrientes primeiro das fontes dietéticas e, em seguida, dos suplementos, se necessário, como reserva.

Sempre fale com um médico antes de tomar suplementos, porque geralmente os suplementos não são monitorados.

Riscos

Grandes doses da vitamina B7 não têm efeitos tóxicos conhecidos, mas alguns medicamentos, ervas e suplementos podem interagir.

Se a biotina for ingerida com ácido alfa-lipóico, nosso organismo pode não ser capaz de absorver nenhum deles com eficácia. O mesmo se aplica à vitamina B5, ou ácido pantotênico.

Os suplementos de biotina também podem interagir com alguns medicamentos que são decompostos pelo fígado, incluindo clozapina, haloperidol, olanzapina e outros.

O tratamento com anticonvulsivante por pelo menos 1 ano pode reduzir o nível da biotina sérica. Os anticonvulsivantes em referência podem incluir carbamazepina, primidona, fenitoína e fenobarbital, bem como combinações desses medicamentos .

Conclusão

Não há evidências de que a maioria das pessoas precise tomar suplementos de biotina, e não há relatos de deficiência grave de biotina em qualquer pessoa saudável que consuma uma dieta balanceada.

Uma dieta bem balanceada provavelmente suprirá as necessidades da maioria das pessoas. Portanto tente:

  • Incluir uma variedade de vegetais, frutas, grãos inteiros, leite e produtos lácteos sem gordura ou com baixo teor de gordura e óleos. Isso porque algumas frutas, vegetais, laticínios e grãos inteiros contêm biotina.
  • Incluir uma variedade de alimentos proteicos, incluindo frutos do mar, carnes magras e aves, ovos, legumes (feijão e ervilha), nozes, sementes e produtos de soja.
  • Comer ovos e algumas carnes de órgãos são boas fontes de vitamina B7; além disso, as nozes, sementes, frutos do mar e carnes magras contêm biotina.
  • Limitar as gorduras saturadas e trans, açúcares adicionados e sódio.
  • Permanecer dentro de suas necessidades calóricas diárias.

No entanto, qualquer pessoa que esteja pensando em tomar suplementos de biotina deve primeiro consultar um médico.

Referências

Chá de alecrim: para quê serve, como fazer e muito mais!
Tâmaras: benefícios na saúde e modos de uso
Menu