1. Página inicial
  2. Bulas de medicamentos
  3. Vitamina B5: para que serve? Tudo o que precisamos saber

Vitamina B5: para que serve? Tudo o que precisamos saber

A vitamina B5 também é conhecida como ácido pantotênico ou pantotenato. A palavra pantotênica vem do grego “pantou”, que significa em todos os lugares. Por isso que você pode encontrar pequenas quantidades do ácido pantotênico em quase todos os alimentos.

estrutura química do ácido pantotênico

O ácido pantotênico é encontrado em muitos alimentos. As bactérias no intestino também podem produzir algum ácido pantotênico, mas não o suficiente para atender às necessidades dietéticas.

A vitamina B5 é uma das vitaminas menos conhecidas, possivelmente porque as deficiências dela são raras.

Para quê serve a vitamina B5?

A vitamina B5 tem muitas funções importantes. Assim podemos dizer que a vitamina B5 serve para:

  • Converter alimento em glicose
  • Sintetizar (produzir) colesterol
  • Produção de hormônios sexuais e os relacionados ao estresse
  • Formação dos glóbulos vermelhos

Assim como ocorre com todas as vitaminas B, o ácido pantotênico ajuda nosso organismo a quebrar gorduras, carboidratos e proteínas para que possamos obter energia e reconstruir tecidos, músculos e órgãos.

A seguir falamos com mais detalhes sobre os incríveis benefícios da vitamina B5 que você deveria conhecer. Continue lendo.

1.      Sistema digestivo

A vitamina B5 ajuda a manter um sistema digestivo saudável e auxilia o corpo no uso de outras vitaminas, especialmente a vitamina B2. A vitamina B2 ajuda a controlar o estresse, mas não há evidências de que o ácido pantotênico reduza o estresse. Mas, se você consumir alimentos que têm as duas vitaminas você estará se beneficiando, tendo menos estresse.

2.      Vitamina B5 para a pele e cabelo

A vitamina B5 serve, ou melhor funciona, como um hidratante da pele e melhora o processo de cicatrização de feridas.

Se você tomar suplemento dietético da vitamina B5 poderá se beneficiar no tratamento da acne facial e pode reduzir o número de manchas na face relacionadas com a acne.

Além disso, a vitamina B5 serve de auxilio ao nosso corpo na manutenção da pigmentação do cabelo. Isso pode diminuir o surgimento dos fios brancos.

3.      Melhora da saúde do coração e vasos sanguíneos

A ingestão da vitamina B5 pode ajudar a reduzir o colesterol e os níveis de triglicerídeos ou gorduras no sangue. No entanto, você só deve realizar este tipo de tratamento com supervisão médica.

Mas, lembramos que o excesso de colesterol no sangue aumenta o risco de doenças cardiovasculares, por exemplo, pode levar a AVC. Entenda todo processo no nosso artigo sobre ateroma e aterosclerose.

4.      Artrite reumatoide

É muito provável que algumas pessoas com artrite reumatóide tenham níveis baixos da vitamina B5. No entanto, são necessárias evidências científicas sólidas são necessárias para confirmar esse efeito.

5.      Produção da Coenzima A

A vitamina B5serve para que o nosso organismo produza a Coenzima A.

A coenzima A está envolvida na síntese de ácidos graxos e é importante para a conversão de alimentos em ácidos graxos e colesterol.

A coenzima A também é necessária para a criação da esfingosina, uma molécula semelhante à gordura que ajuda a transmitir mensagens químicas dentro das células do nosso organismo.

Nosso fígado precisa da Coenzima A para metabolizar alguns medicamentos e toxinas com segurança.

Deficiência da vitamina B5

A deficiência de vitamina B5 é rara porque é encontrada em quase todos os alimentos. Por isso, se você tiver uma alimentação saudável e variada não precisa se preocupar muito e provavelmente você deve estar consumindo quantidades suficientes.

Mas, se por algum motivo você desenvolver deficiência, pode sentir:

  • cansaço
  • apatia
  • depressão
  • irritabilidade
  • problemas do sono
  • náusea e/ou vômitos ou cólicas estomacais
  • dormência ou sensação de queimação nas mãos ou pés
  • cãibras musculares
  • Baixo nível de glicose no sangue
  • infeções respiratórias superiores
  • A deficiência da B5 pode causar um aumento da sensibilidade à insulina.

Muitos desses sintomas são revertidos quando o nível de ingestão de B5 é restaurado ao normal.

Além disso, a deficiência de vitamina pode levar a irritação e ao envelhecimento da pele. Mas, esse benefício foi provado somente em ratos. Por isso alguns pesquisadores dizem que, em humanos, não há evidências de que tomar ácido pantotênico como suplementos ou usar shampoos contendo ácido pantotênico pode prevenir ou restaurar a cor do cabelo.

Grupos em risco a ter deficiência do ácido pantotênico

As pessoas com mutação neurodegenerativa 2 associada ao pantotenato quinase. O ácido pantotênico quinase é uma enzima essencial para a produção de CoA e fosfopanteteína. É a principal enzima associada à via metabólica responsável pela síntese de CoA.

Mutações no gene da pantotenato quinase 2 ( PANK2 ) causam um distúrbio hereditário raro, a neurodegeneração associada à pantotenato quinase (PKAN). A PKAN é um tipo de neurodegeneração associada ao acúmulo de ferro no cérebro.

Um grande número de mutações PANK2 reduz a atividade da pantotenato quinase 2, potencialmente diminuindo a conversão do ácido pantotênico em CoA e, portanto, reduzindo os níveis de CoA.

As manifestações de PKAN podem incluir distonia (contrações de grupos de músculos opostos), espasticidade e retinopatia pigmentar. É rápida a forma como a PKAN progride, podendo levar a deficiência significativa da vitamina B5.

Qual é a ingestão diária recomendada?

Os especialistas podem recomendar a seguinte ingestão diária de vitamina B5:

  • Bebês de 0 a 6 meses – 1,7 miligramas (mg) por dia
  • Bebês de 7 a 12 meses – 1,8 mg por dia
  • Crianças de 1 a 3 anos – 2 mg por dia
  • Crianças de 4-8 anos – 3 mg por dia
  • Para crianças de 9 a 13 anos – 4 mg por dia
  • Homens e mulheres com 14 anos ou mais – 5 mg por dia
  • Mulheres grávidas – 6 mg por dia
  • Mulheres que amamentam – 7 mg por dia

A vitamina B5 é solúvel em água e excretada na urina. Nosso organismo não o armazena e precisamos consumi-los todos os dias para repor os suprimentos.

Fontes alimentares da vitamina B5

Você pode encontrar com muita facilidade a vitamina B5 em carnes animais e produtos vegetais.

Assim as principais fontes incluem:

  • Carne: carne de porco, frango, pato, peru, carne bovina e, especialmente, órgãos animais como fígado e rim
  • Peixes: salmão, lagosta e marisco.
  • Grãos, além dos derivados (pães e cereais integrais). Na realidade os grãos inteiros são uma boa fonte de vitamina B5, mas a moagem pode remover até 75% do conteúdo de B5.
  • Produtos lácteos: gema de ovo, leite, iogurte e produtos lácteos.
  • Leguminosas: lentilhas, ervilhas partidas e soja.
  • Legumes: cogumelos, abacate, brócolis, batata-doce, milho, couve-flor, couve e tomate.

Outras fontes de vitamina B5 incluem levedura de cerveja, amendoim, sementes de girassol, gérmen de trigo, geleia real e aveia.

O ácido pantotênico está amplamente disponível nos alimentos. Mas ,pode ser facilmente perdido durante o processamento como, por exemplo, durante o enlatamento, congelamento e moagem.

Por isso, para garantir uma ingestão adequada, os alimentos devem ser consumidos frescos em vez de refinados (industrializados).

Se você for a ferver alimentos com vitamina B5 precisa ter cuidado, porque, assim como acontece com todas as vitaminas solúveis em água, a vitamina B5 é perdida quando o alimento é fervido.

Efeitos colaterais

Nível tóxico de ácido pantotênico ainda não foi observado em fontes de alimentos. Mas, doses diárias muito grandes e acima de 10 gramas por dia, foram relatados problemas de estômago ou diarreia leve. No entanto, isso é raro e um nível de ingestão superior tolerável para ácido pantotênico não foi estabelecido.

Além disso, o ácido pantotênico é vendido como um suplemento que supostamente ajuda dezenas de doenças, de alergias e caspa, cãibras nas pernas e artrite. Mas, nfelizmente há poucas evidências para apoiar essas afirmações.

As mulheres não devem tomar mais do que 6 mg por dia durante a gravidez e 7 mg durante a amamentação, porque pode não ser seguro.

Apesar de sabermos que a vitamina B5 serve para dar energia ao nosso organismo, não podemos abusar. É sempre melhor consultar um médico antes de tomar um suplemento, especialmente para pessoas com um problema de saúde existente e aqueles que estão tomando outros medicamentos.

Interações

Contudo, a vitamina B5 pode piorar os efeitos adversos dos medicamentos para tratar a doença de Alzheimer.

A vitamina B5 pode causar desiquilíbrio de outras vitaminas do complexo B se você tomar como suplemento. Por isso é preferível tomar todo complexo B. Mas, é aconselhável que você tome com água depois de comer.

Deve-se tomar cuidado para não consumir geleias junto com suplemento de vitamina B5, porque algumas geleias contêm essa vitamina. Mas, não se preocupe veja a descrição nutricional da sua geleia para tomar uma decisão mais certa.

A vitamina B5 pode interagir com alguns medicamentos. Pode interferir com a absorção e eficácia da tetraciclina (um antibiótico).

Também pode aumentar o efeito de alguns medicamentos para a doença de Alzheimer , conhecidos como inibidores da colinesterase. Esses medicamentos incluem donepezil, cloridrato de memantina, galantaminae rivastigmina. Por isso que tomar suplementos com esses medicamentos pode causar efeitos adversos.

Pessoas que usam medicamentos para reduzir a formação de coágulos no sangue, como a varfarina ou aspirina, devem ter cuidado ao usar suplementos de vitamina B5, pois ela pode aumentar o risco de sangramento.

Ajude-nos a melhorar!

Se você notar um erro de digitação ou imprecisão no site, ficaremos gratos se você relatar.
Copie o texto que, em sua opinião, contém um erro.clique aqui para nos enviar um e-mail »

Compartilhe este artigo

Autor

Mais lidos

Menu