Aterosclerose: causas, sinais e tratamento

aterosclerose

Aterosclerose refere-se ao acúmulo de gorduras, colesterol e outras substâncias nas paredes das artérias (placa), o que pode restringir o fluxo sanguíneo.

Curiosidade

Você sabia que além da aterosclerose existe um outro termo médico designado arteriosclerose? Bom, arteriosclerose e aterosclerose são condições diferentes.

Arteriosclerose é o enrijecimento ou endurecimento das paredes das artérias. A aterosclerose é o estreitamento da artéria devido ao acúmulo de placa.

A aterosclerose é um tipo específico de arteriosclerose.

Todas as pessoas com aterosclerose têm arteriosclerose, mas aquelas com arteriosclerose podem não ter necessariamente aterosclerose. No entanto, os dois termos são freqüentemente usados ​​com o mesmo significado.

Como ocorre a aterosclerose?

As artérias transportam sangue do coração para o resto do corpo. Eles são revestidos com uma fina camada de células (endotélio) que os mantém lisos e permitem que o sangue flua com facilidade.

A aterosclerose começa quando o endotélio é danificado, permitindo que o tipo prejudicial de colesterol (veja esse artigo para entender mais sobre colesterol) se acumule na parede da artéria.

O corpo envia um tipo de glóbulo branco para limpar esse colesterol, mas, às vezes, as células ficam presas no local afetado.

Com o tempo, a placa pode se acumular, formada por colesterol, macrófagos, cálcio e outras substâncias do sangue.

Às vezes, a placa cresce até um certo tamanho e pára de crescer, fazendo com que o indivíduo não tenha problemas. No entanto, às vezes, a placa obstrui a artéria, interrompendo o fluxo de sangue ao redor do corpo.

Isso torna os coágulos sanguíneos mais prováveis, o que pode resultar em condições de risco de vida.

Em alguns casos, a placa eventualmente se rompe. Se isso acontecer, as plaquetas se acumulam na área afetada e podem se unir, formando coágulos sanguíneos.

Isso pode bloquear a artéria, levando a complicações fatais, como derrame e ataque cardíaco .

A condição pode afetar toda a árvore arterial, mas afeta principalmente as artérias maiores e de alta pressão.

Sintomas e sinais da aterosclerose

Mesmo quando as paredes das artérias se tornam mais espessas e enrijecidas, geralmente não há sintomas de arteriosclerose.

Ainda que a condição se agrave na aterosclerose, casos leves ainda podem não apresentar sintomas.

É por isso que exames regulares são importantes.

Conforme a arteriosclerose progride, as artérias entupidas podem desencadear um ataque cardíaco ou um derrame, com os seguintes sintomas:

  • Dor no peito ou pressão (angina)
  • Fraqueza ou dormência repentina do braço ou da perna
  • Fala arrastada ou dificuldade em falar
  • Breve perda de visão em um olho
  • Músculos faciais caídos
  • Dor ao caminhar
  • Pressão alta
  • Falência renal

Se sentir algum destes sintomas, consulte o seu médico imediatamente.

Tratamento

Medicamentos para tratar arteriosclerose são prescritos com base na localização de seus vasos sanguíneos aumentados e outras condições subjacentes que você pode ter.

  • Medicamentos de colesterol podem proteger suas artérias do coração.
  • A aspirina (conheça seus efeitos da intoxicação) pode impedir que as plaquetas formem coágulos sanguíneos.
  • Os medicamentos beta-bloqueadores podem reduzir a sua pressão arterial e frequência cardíaca e diminuir as dores no peito, o risco de ataque cardíaco e o ritmo cardíaco irregular.
  • Inibidores da enzima conversora de angiotensina (ECA) podem baixar a pressão arterial e diminuir a possibilidade de ataque cardíaco.
  • Bloqueadores dos canais de cálcio e diuréticos (pílulas de água) podem reduzir a pressão arterial.
  • Uma droga que destrói coágulos pode dissolver coágulos sanguíneos. Seu médico também pode prescrever outros medicamentos, com base em suas necessidades.

É imperativo que você monitore sua pressão arterial e tome medicamentos diariamente conforme prescrito para diminuir a possibilidade de complicações.

Causas da aterosclerose

A aterosclerose é uma doença lenta e progressiva que pode começar na infância. Embora a causa exata seja desconhecida, a aterosclerose pode começar com danos ou lesões na camada interna de uma artéria.

O dano pode ser causado por:

  • Pressão alta
  • Colesterol alto
  • Triglicerídeos altos, um tipo de gordura (lipídios) no sangue
  • Fumar e outras fontes de tabaco
  • Resistência à insulina, obesidade ou diabetes
  • Doenças inflamatórias, como artrite, lúpus ou infecções, ou inflamação de causa desconhecida

Uma vez que a parede interna de uma artéria é danificada, as células do sangue e outras substâncias geralmente se acumulam no local da lesão e se acumulam no revestimento interno da artéria.

Com o tempo, depósitos de gordura (placa) feitos de colesterol e outros produtos celulares também se acumulam no local da lesão e endurecem, estreitando suas artérias.

Os órgãos e tecidos conectados às artérias bloqueadas não recebem sangue suficiente para funcionar adequadamente.

Eventualmente, pedaços dos depósitos de gordura podem se romper e entrar na corrente sanguínea.

Além disso, o revestimento liso da placa pode romper, derramando colesterol e outras substâncias em sua corrente sanguínea.

Isso pode causar um coágulo sanguíneo, que pode bloquear o fluxo sanguíneo para uma parte específica do seu corpo, como ocorre quando o fluxo sanguíneo bloqueado para o seu coração causa um ataque cardíaco.

Um coágulo sanguíneo também pode viajar para outras partes do corpo, bloqueando o fluxo para outro órgão.

Fatores de risco

Endurecimento das artérias ocorre ao longo do tempo. Além do envelhecimento, fatores que aumentam o risco de aterosclerose incluem:

  • Pressão alta
  • Colesterol alto
  • Diabetes
  • Obesidade
  • Fumar e outro uso de tabaco
  • Uma história familiar de doença cardíaca precoce
  • Falta de exercício
  • Uma dieta pouco saudável
Compartilhe o artigo

Autor: Augusto Constantino

Augusto Bene Tomé Constantino é Moçambicano. Nasceu na cidade de Chimoio, província de Manica. Formado em Farmácia pela Universidade Zambeze, leciona curso de Licenciatura na Faculdade de Ciências de Saúde da UniZambeze. Trabalha com microencapsulação de compostos bioativos usando biopolímeros de origem vegetal.