O que é vacina? Importância, Tipos e fases para aprovação

Neste artigo você poderá entender o que é vacina, qual é sua importância, que tipos existem e e como ela é desenvolvida.

Segundo a OMS, quando você recebe uma vacina, seu sistema imunológico fica habilitado e:

  • Reconhece o microrganismo ou agente invasor, incluindo vírus e bactéria.
  • Produz anticorpos. Os anticorpos são proteínas produzidas naturalmente pelo sistema imunológico para combater doenças.
  • Lembra-se da enfermidade anterior, assim como combatê-la. Portanto, se você for exposto a algum microrganismo que já te causou doença no passado, seu sistema imunológico pode destruí-lo rapidamente antes que você se sinta mal.

Neste sentido, vacina é uma forma segura e inteligente de produzir uma resposta imunológica eficaz no nosso organismo; mas isso deve acontecer sem causar doenças.

Normalmente, depois que somos vacinados, permanecemos protegidos contra doenças por meses, anos, décadas ou mesmo por toda a vida.

É isso que torna as vacinas tão eficazes. Em vez de tratar uma doença depois que ela ocorre, as vacinas nos previnem, em primeiro lugar, de adoecer.

Como funciona o sistema imunológico? Qual ação das vacinas?

Vírus e bactérias patogênicas têm moléculas em sua superfície chamadas antígenos. Esses antígenos estimulam o sistema imunológico a produzir proteínas, também chamadas de anticorpos. Portanto, os anticorpos se ligam aos antígenos promovendo o ataque a morte ou desativação do patógeno.

Os patógenos possuem diferentes antígenos em sua superfície. Contudo, um patógeno só pode ser morto ou desativado por um anticorpo capaz de se ligar a seus antígenos. Assim, esses anticorpos só existirão se o sistema imunológico tiver encontrado o antígeno no passado.

As vacinas expõem o corpo a patógenos com segurança, de modo que o sistema imunológico pode produzir anticorpos capazes de se ligar a seus antígenos. Portanto, isso permite que o sistema imunológico lute contra um patógeno causador de uma doença específica, caso ele encontre esse patógeno no futuro.

As vacinas expõem o corpo a antígenos patogênicos. Para fazer isso, eles contêm um ou mais dos seguintes:

  • um tipo de patógeno inativo ou morto
  • um patógeno enfraquecido
  • um açúcar ou proteína derivada de um patógeno
  • um toxóide contendo toxina de um patógeno

As injeções de vacina contêm vários outros componentes , incluindo:

  • adjuvantes, que garantem que o sistema imunológico responda ao antígeno como um corpo estranho invasor
  • estabilizadores, que garantem que a vacina permaneça eficaz
  • formaldeído, que ajuda a prevenir a contaminação bacteriana durante o processo de fabricação

Vale ressaltar que, na maioria dos casos, o fabricante retira o formaldeído antes da embalagem.

Tipos de vacinas

Existem quatro tipos principais de vacinas que atuam de maneiras diferentes:

  • Vacinas vivas atenuadas
  • Inativadas
  • Vacinas de subunidade, recombinante, conjugado e polissacarídeo
  • Vacinas toxóides.

Existe o risco de efeitos colaterais com todas as vacinas, mas algumas são menos prováveis ​​de causar efeitos colaterais do que outras.

O que é uma vacina viva atenuada?

As vacinas vivas atenuadas injetam no corpo uma versão viva do microrganismo que causa a doença. Embora o microrganismo seja um espécime vivo, é uma versão enfraquecida que não causa nenhum sintoma de infecção, pois é incapaz de se reproduzir uma vez que está no corpo.

Este tipo de vacina funciona permitindo que um vírus ou germe se reproduza o suficiente para que o corpo produza células B de memória, que são um tipo de célula que pode reconhecer e lembrar de um vírus e gerar uma resposta imune contra ele por muitos anos após seu início resposta.

Os tipos de doenças para as quais as vacinas vivas atenuadas são usadas incluem:

O que é uma Vacina inativa?

Uma vacina inativada usa uma variante de uma bactéria ou vírus que foi morto com calor ou produtos químicos. Essa versão morta do vírus ou bactéria é então injetada no corpo.

As vacinas inativadas são o primeiro tipo de vacina a ser produzida e não desencadeiam uma resposta imune tão forte quanto a desencadeada por vacinas vivas atenuadas.

Os tipos de doenças para as quais as vacinas inativadas são usadas incluem:

Vacinas de subunidade, recombinante, conjugado e polissacarídeo

As vacinas de subunidade, recombinante, conjugado e polissacarídeo usam partes específicas dos microrganismos. Embora as respostas imunológicas por eles causados sejam fortes, esses tipos de vacinas podem precisar ser complementados com o tempo.

Eles são adequados para pessoas com sistema imunológico enfraquecido e problemas de saúde de longo prazo. Esses tipos de vacinas são usados ​​para criar imunidade contra as seguintes doenças:

O que é vacina toxóide

As vacinas toxóides usam toxinas criadas pela bactéria ou vírus para criar imunidade às partes específicas da bactéria ou vírus que causam a doença, e não a toda a bactéria ou vírus. Entretanto, a resposta imune é focada nesta toxina específica.

As vacinas toxóides não oferecem imunidade vitalícia e precisam ser reforçadas com o tempo.

As vacinas toxóides são usadas para criar imunidade contra a difteria e o tétano.

Fases para aprovação das vacinas

Demora cerca de 10-15 anos para desenvolver uma vacina para uma doença específica. Entretanto, as vacinas seguem três fases: desenvolvimento, testes e aprovação.

A fase de desenvolvimento de uma vacina consiste, pelo menos, nas seguintes fases:

  • Fase exploratória: nesta fase, os pesquisadores conduzem estudos de laboratório para identificar antígenos que podem ajudar a tratar ou prevenir doenças. No entanto, este estágio dura cerca de 2 a 4 anos.
  • Fase pré- clínica: neste momento são feitos vários estudos de laboratório e testes em animais para verificar a eficácia e segurança da vacina antes dos ensaios clínicos. Entretanto, as vacinas que falham em estimular uma resposta do sistema imunológico nos testes não passam dessa fase. Esta fase pode demorar até 2 anos.
  • Aplicação: Durante esta fase, um patrocinador de pesquisa envia uma solicitação ao organismo regulador de um determinado país (FDA dos EUA, por exemplo) para um novo medicamento investigacional.

Testes

As “vacinas” aprovados passam para as seguintes três fases de teste:

  • Testes de fase I: envolvem testes em pequenos grupos de adultos para avaliar a segurança da vacina e a resposta imunológica.
  • Ensaios de fase II: envolvem testes randomizados e controlados em um grupo maior de indivíduos, incluindo um grupo de placebo. Portanto, esta etapa avalia a segurança da vacina e determina uma dosagem e um método de administração apropriados.
  • Ensaios de fase III: esta fase avalia a segurança e a eficácia em uma população maior de milhares de pessoas. Contudo, o teste durante esta fase é duplo-cego e envolve um grupo de placebo para comparação.

Aprovação das vacinas

Se o teste de fase III for bem-sucedido, os desenvolvedores enviarão um pedido de licença biológica ao órgão regulador do país, citamos o FDA. O FDA irá então inspecionar o local de fabricação e aprovar ou rejeitar a vacina para rotulagem.

Assim que o FDA licenciar uma vacina, as inspeções e o monitoramento continuarão. No entanto, as atividades de monitoramento incluem estudos de fase IV (como estudos opcionais para testar segurança e eficácia) e o uso de um Sistema de Notificação de Eventos Adversos de Vacinas (que permite às pessoas relatar reações adversas que podem estar associadas à vacina).

Fontes

  • Sullivan, D. Coelho, S. What is a vaccine? Types, stages for approval. Medical News Today. Disponível em: “https://www.medicalnewstoday.com/articles/what-is-a-vaccine#1”.Visitado online em 12/12/2020.
  • Mandal, A. Cashin-Garbutt, A. What are Vaccines? News Medical. Disponível em: “https://www.news-medical.net/health/What-are-Vaccines.aspx”. Visitado online em 12/12/2020.
  • Zoppi, Lois. “What are the Different Types of Vaccines?”. News-Medical. https://www.news-medical.net/health/What-are-the-Different-Types-of-Vaccines.aspx. (accessed December 12, 2020).
Infecção bacteriana: sintomas, sinais e tratamento
Sistema complemento: ativação, regulação e distúrbios
Menu