1. Página inicial
  2. Saúde
  3. Rins e sistema renal
  4. Doença renal crônica: sintomas, causas e tratamento

Doença renal crônica: sintomas, causas e tratamento

Uma pessoa é diagnosticada com Doença renal crônica (DRC) quando os rins estão danificados e sem poder filtrar adequadamente o sangue. Portanto, doença é chamada de “crônica” porque os danos nos rins ocorrem lentamente durante um longo período de tempo. Esse dano pode causar depósito de resíduos no corpo. A DRC também pode causar outros problemas de saúde.

Em 2017, a prevalência global de DRC foi de 9,1%, o que representa aproximadamente 700 milhões de casos. Desde 1990, a prevalência de DRC aumentou 29,3%, mas a prevalência padronizada por idade permaneceu inalterada durante esse período (1,2%).

Função dos rins

O principal trabalho dos rins é filtrar água e resíduos do sangue para fazer urina, ou seja, para manter o corpo funcionando corretamente, os rins equilibram os sais e minerais – como cálcio, fósforo, sódio e potássio – que circulam no sangue.

Rins também produzem hormônios que ajudam a controlar a pressão sanguínea, a produzir glóbulos vermelhos e a manter os ossos fortes. A doença renal geralmente pode piorar com o tempo e pode levar à insuficiência renal. Ou seja, se os rins falharem, pode ser necessário fazer diálise ou transplante de rim para manter a saúde. Quanto mais cedo se souber da presença da doença renal crônica, mais cedo poderá fazer alterações para proteger os rins.

Nos estágios iniciais da doença renal crônica, você pode ter poucos sinais ou sintomas. A doença renal crônica pode não se tornar aparente até que sua função renal seja significativamente prejudicada.

Sintomas da doença renal crônica

Sinais e sintomas de doença renal crônica se desenvolvem ao longo do tempo se o dano renal progredir lentamente. Os sinais e sintomas de doença renal podem incluir:

  • Náusea
  • Vômito
  • Perda de apetite
  • Fadiga e fraqueza
  • Problemas de sono
  • Mudanças na quantidade de urina
  • Diminuição da nitidez mental
  • Espasmos e cãibras musculares
  • Inchaço dos pés e tornozelos
  • Prurido persistente
  • Dor no peito, se o líquido se acumular ao redor do revestimento do coração
  • Falta de ar, se o líquido se acumular nos pulmões
  • Pressão alta (hipertensão) difícil de controlar

Sinais e sintomas de doença renal geralmente não são específicos, o que significa que também podem ser causados ​​por outras doenças. Sendo assim, como os rins são altamente adaptáveis ​​e capazes de compensar a perda de função, sinais e sintomas podem não aparecer até que ocorra dano irreversível. Portanto, reforçamos de que a doença renal crônica (DRC) é uma doença não transmissível geralmente causada por diabetes e hipertensão. A doença cardiovascular é a principal causa da morbimortalidade precoce sustentada por pacientes com DRC.

A gravidade da DRC pode ser quantificada por uma baixa taxa de filtração glomerular estimada com base em creatinina sérica (TFGe). Portanto, este peptídeo indica função renal excretora e albumina urinária elevada, medida pela razão entre a albumina e a creatinina (ACR), que é um marcador de danos nos rins.

Fases

Alterações na taxa de TFG podem avaliar a evolução da doença renal. Em muitos países, as fases da doença renal são classificados da seguinte forma:

  1. Fase 1– a taxa de TFG é normal. No entanto, evidências de doença renal foram detectadas.
  2. Na fase 2 – A taxa de TFG é menor que 90 mililitros e foram detectadas evidências de doença renal.
  3. Fase 3 – A taxa de TFG é menor que 60 mililitros, independentemente de ter sido detectada evidência de doença renal.
  4. Durante a fase 4 – A taxa de GRF é menor que 30 mililitros, independentemente de evidências de doença renal terem sido detectadas.
  5. Fase 5 – A taxa de TFG é menor que 15 mililitros. Ocorreu falha renal.

A maioria dos pacientes com doença renal crônica raramente progride para além da fase 2. Contudo, é importante que a doença renal seja diagnosticada e tratada precocemente para prevenir danos sérios.

Pacientes com diabetes devem fazer um teste anual, que mede a microalbuminúria (pequenas quantidades de proteína) na urina. Portanto, este teste pode detectar nefropatia diabética precoce (dano renal inicial associado ao diabetes).

Causas da doença renal crônica

A doença renal crônica ocorre quando uma doença ou condição prejudica a função renal, causando um agravamento do dano renal por vários meses ou anos.

As doenças e condições que causam doença renal crônica incluem:

  • Diabetes tipo 1 ou tipo 2
  • Pressão alta
  • Glomerulonefrite, uma inflamação das unidades de filtragem do rim (glomérulos)
  • Nefrite intersticial, ou seja, uma inflamação dos túbulos renais e estruturas circundantes
  • Doença renal policística
  • Obstrução prolongada do trato urinário. Assim ocorre devido a condições como aumento da próstata, pedras nos rins e alguns tipos de câncer
  • Refluxo vesicoureteral, uma condição que faz com que a urina volte para os rins
  • Infecção renal recorrente, também chamada pielonefrite
  • Certas toxinas – incluindo combustíveis, solventes (como tetracloreto de carbono) e chumbo (e tintas, tubos e materiais de solda à base de chumbo). Portanto, mesmo alguns tipos de jóias têm toxinas, que podem levar à insuficiência renal crônica.
  • Problema fetal de desenvolvimento – se os rins não se desenvolverem adequadamente no bebê por nascer enquanto ele estiver se desenvolvendo no útero.
  • Lúpus eritematoso sistêmico – uma doença auto-imune. O próprio sistema imunológico do corpo ataca os rins como se fossem tecidos estranhos.
  • Malária e febre amarela – conhecidas por causar insuficiência renal.
  • Alguns medicamentos – uso excessivo de, por exemplo, AINEs (anti-inflamatórios não esteróides), como aspirina ou ibuprofeno.
  • Abuso ilegal de substâncias – como heroína ou cocaína.
  • Lesão – um golpe agudo ou lesão física no (s) rim (s).

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da doença renal crônica é feito quando é descartada a possibilidade de você ter uma hipertensão arterial ou de você estar tomando alguns medicamentos ou substâncias que alteram a função renal. Estes medicamentos e substâncias estão listados na secção anterior. Além disso, é preciso ter certeza se dentro da família ninguém teve algum tipo da doença renal.

Alguns exames físicos médico realiza um exame físico, também verificando sinais de problemas no coração ou nos vasos sanguíneos, e realiza um exame neurológico.

Para o diagnóstico de doença renal, você também pode precisar de certos testes e procedimentos, como:

  • Testes de creatinina e ureia no sangue, ajudam a verificar se seus rins estão a filtrar os resíduos do sangue.
  • Testes de urina, que podem ajudam a verificar se há uma insuficiência renal crônica.
  • Exame de ultrassom pode ajudar na avaliação da estrutura e o tamanho dos seus rins.
  • Finalmente, caso seja necessário, pode ser feito uma biópsia dos seus rins. O tecido que é removido pode ajudar a identificar a causa do problema nos seus rins.
Biópsia para diagnóstico da doença renal crônica, médico usa ultrassom para melhor orientação do local para remoção do tecido renal com ajuda de uma agulha.

Tratamento da doença renal crônica

Os danos nos rins são geralmente permanentes. Embora o dano não possa ser corrigido, é possível tomar medidas para manter os rins o mais saudáveis pelo maior tempo possível. Também é possível impedir que os danos piorem.

Assim, algumas dicas:

  • Controle o açúcar no sangue se tiver diabetes.
  • Mantenha uma pressão sanguínea saudável.
  • Siga uma dieta baixa em sal e com pouca gordura.
  • Exercite pelo menos 30 minutos na maioria dos dias da semana.
  • Mantenha um peso saudável.
  • Não fume ou use tabaco.
  • Limite de álcool.
  • Converse com médico sobre medicamentos que podem ajudar a proteger seus rins.

Se tiver a doença renal cedo, poderá evitar insuficiência renal. No entanto, Se os rins falharem, poderá precisar de diálise ou transplante de rim para sobreviver.

Complicações da doença renal crônica

As principais complicações da doença renal crônica podem ser devido ao fato dela afetar o corpo inteiro, elas incluem:

  • Retenção de líquidos corporal que pode afetar outros órgãos e tecidos, chegando a causar edemas nos braços e pernas, edema pulmonar e até pressão alta.
  • Doença cardíaca e dos vasos sanguíneos (cardiovascular). Por exemplo, o potássio em excesso pode prejudicar fatalmente o seu coração.
  • Ossos fracos e um risco aumentado de fraturas ósseas
  • Anemia
  • Diminuição do desejo sexual, disfunção erétil ou fertilidade reduzida
  • Danos no sistema nervoso central, que podem causar dificuldade de concentração, alterações de personalidade ou convulsões
  • Resposta imunológica diminuída, o que o torna mais vulnerável a infecções
  • Inflamação da membrana em forma de saco que envolve o coração (pericárdio)
  • Complicações na gravidez que trazem riscos para a mãe e para o feto em desenvolvimento
  • Danos irreversíveis aos rins (doença renal em estágio terminal), eventualmente exigindo diálise ou transplante de rim para a sobrevivência

Considerações finais

Se você perceber que está com alguns sintomas da doença renal crônica procure ajuda de um nefrologista rapidamente. Procure informar sobre sua situação de saúde, se já esteve doente ou tem alguma doença crônica. Também informe sobre seus hábitos alimentares e medicamentos que você toma.

Como uma forma de tratamento caseiro, evite consumir muito sal. Porque ele contém sódio que pode prejudicar a função renal quando em excesso. Portanto, evite alimentos congelados, sopas enlatadas, salgadinhos, vegetais enlatados, carnes e queijos processados e fast food.

Procure também comer quantidade certa de proteínas, não exagere. Além de proteínas, evite muito potássio que pode ser encontrado em potássio bananas, laranjas, batatas, espinafre e tomates. Converse com seu nutricionista e médico para encontrar uma solução apropriada para sua saúde.

Referências

  1. American Kidney Fund. Chronic kidney disease.
  2. National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Diseases of USA. Chronic Kidney Disease.
  3. Paul Cockwell & Lori-Ann Fisher. The global burden of chronic kidney disease. The lancet. 2020. doi: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(19)32977-0

Compartilhe este artigo

Autor

Mais lidos

Menu