1. Página inicial
  2. Saúde
  3. doenças bacterianas
  4. Gangrena gasosa: causas, sintomas e tratamento

Gangrena gasosa: causas, sintomas e tratamento

Gangrena gasosa é uma condição médica causada por uma bactéria (Clostridium perfringens). Ela é caracterizada por morte de tecido corporal e presença de gás perto do local infectado. Esta doença é de rápida disseminação, podendo causar morte em 48 horas.

O que é gangrena gasosa

O termo gangrena é usado para designar morte de um tecido corporal. Assim, gangrena gasosa, que é também chamada de mionecrose clostridial, é um tipo de gangrena que é caracterizada por se disseminar rapidamente, devido uma infecção bacteriana que é muito fatal.

As bactérias que causam a infecção liberam toxinas que destroem tecido afetado, que por sua vez liberam gases. Isso pode acontecer em qualquer parte do corpo, no entanto é mais comum nos braços ou nas pernas.

Gangrena gasosa de pé diabético. Imagem de NCBI

Inchaço, bolhas que contêm gás, febre e frequência cardíaca aumentada são os principais sintomas da gangrena gasosa. Geralmente estes sintomas tendem a progridem com rapidez. No entanto, se ela tiver melhor cuidado, como reconhecimento precoce, cuidados cirúrgicos e tratamento com antibióticos a taxa de mortalidade geral é de 20% a 30%.

A gangrena gasosa é uma emergência médica. Por isso se não tratada, a doença tem 100% de letalidade. Além disso, alguns fatores do hospedeiro, como imunodepressão, diabetes mellitus e infecções espontâneas, podem ter taxas de mortalidade mais altas, de 67% ou mais.

Causas

A gangrena gasosa tem como causa principal uma bactéria denominada Clostridium perfringens (C. perfringens). Geralmente estas infecções ocorrem em locais onde houve um trauma, como feridas (cirúrgica ou lesão recente), embora também surjam espontaneamente.

Tecidos mais profundos, como um músculo, são os que mais tendem a ser afetados. A infecção pode assim ser facilmente disseminada rapidamente ao longo dos planos dos tecidos, e os pacientes costumam apresentar sepse (infecção generalizada). A infecção pode se desenvolver de horas a semanas após o trauma inicial e a inoculação.

As bactérias causadoras desta doença produzem toxinas alfa e teta que causam extensos danos aos tecidos. A toxina alfa é uma fosfolipase (lecitinase) que quebra as membranas celulares, provocando a agregação plaquetária, trombose e liberação de histamina. Enquanto as toxinas teta causam lesão vascular direta e degradação de leucócitos, causando resposta inflamatória no hospedeiro à infecção.

Além do C. perfringens, outras bactérias como os estreptococos do grupo A podem causar gangrena gasosa.

Algumas condições podem apresentar um risco maior de ter essa condição, incluindo:

  • diabetes
  • doenças dos vasos sanguíneos
  • Câncer de colo
  • fraturas expostas
  • uso de agulha contaminada para injetar substâncias nos músculos

Sinais e sintomas da gangrena

Os sinais e sintomas de gangrena gasosa incluem o seguinte:

  • pele pálida que fica cinza, marrom-avermelhada ou preta
  • bolhas com secreção de odor fétido
  • ar sob a pele
  • inflamação
  • dor
  • febre
  • ansiedade
  • frequência cardíaca elevada
  • vómitos
  • pele e olhos amarelos (icterícia)

A infecção pode se espalhar rapidamente e, em questão de algumas horas, o paciente pode desenvolver um choque, sepse, insuficiência renal, coma e morte. Portanto, se você tiver sintomas de gangrena gasosa, procure atendimento médico de emergência imediatamente.

Os sinais de sepse grave incluem choque séptico, síndrome do desconforto respiratório do adulto, coagulação intravascular disseminada e hemólise, que pode causar anemia hemolítica (destruição de células vermelhas do sangue), frequentemente como os pacientes se apresentam.

Complicações

As complicações da gangrena gasosa incluem:

  • dano permanente ao tecido
  • icterícia
  • dano ao fígado
  • falência renal
  • choque
  • infecção generalizada
  • coma
  • morte

Quanto mais cedo a gangrena gasosa for tratada, melhor será o resultado. É importante procurar tratamento médico assim que notar os sintomas.

Tratamento da gangrena gasosa

O tratamento deve começar imediatamente. Em casos avançados, pode ser necessário iniciar o tratamento antes que os resultados do teste estejam prontos. O tecido morto ou infectado deve ser removido cirurgicamente (desbridamento) e devem ser administradas altas doses de antibióticos.

Geralmente é administrado um antibiótico de amplo espectro como vancomicina e tazobactam ou um carbapenem ou ceftriaxona com metronidazol. Além desses medicamentos, seu médico pode adicionar penicilina mais clindamicina, se houver suspeita de gangrena gasosa ou infecção necrosante dos tecidos moles. Estes últimos medicamentos pode também tratar infecção por estreptococo do grupo A. 

Os tecidos danificados também podem ser tratados com uma cirurgia reconstrutiva – o enxerto de pele. Que consiste na remoção de uma pele saudável de uma parte não afetada do corpo para ser fixada na área danificada. Isso pode ajudar a restaurar qualquer dano à pele causado pela gangrena gasosa.

Em casos graves, um membro deve ser amputado para evitar que a infecção se espalhe para o resto do corpo.

Contudo uma oxigenação hiperbárica (oxigênio de alta pressão) pode ser necessária para aumentar a quantidade de oxigênio no sangue e assim ajudar a cicatrização da ferida infectada. Este tipo de tratamento consiste em colocar o paciente numa câmara pressurizada para respirar oxigênio puro, por cerca de 90 minutos. Geralmente, este tratamento é feito duas a três tratamentos por dia.

Prevenção

A prevenção da gangrena gasosa consiste praticamente numa higienização pessoal adequada, isso inclui nas áreas com feridas. Além de limpar essas regiões é importante cobri-las com um curativo.

Fique atento a respeito dos seguintes sinais que indicam uma infecção: vermelhidão, inchaço, dor e secreção. Além disso, dependendo do ferimento seu médico pode aconselhar a tomar quaisquer antibióticos para reduzir risco de infecção, mas evite a automedicação por risco de desenvolver resistência aos antibióticos.

Mudanças no estilo de vida também pode ajudar a reduzir o risco de gangrena gasosa. Portanto, evite fumar, cuide de qualquer enfermidade crônica, como diabetes ou doença arterial, mante peso saudável fazendo exercícios regularmente e comendo uma dieta saudável.

Você pode se interessar:

Referências: Gas Gangrene. NCBI: Jerome B. Buboltz; Heather M. Murphy-Lavoie (2021). Gas Gangrene. Healthline. Ann Pietrangelo (2017).

Leia mais sobre:

Compartilhe este artigo

Autor

Mais lidos

Menu