Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC): sintomas, causas e tratamento

Saúde
Visitas: 135

A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é uma doença inflamatória pulmonar crônica que “se apresenta” como uma obstrução do fluxo de ar nos pulmões.

Os sintomas incluem dificuldade respiratória, tosse, produção de muco (expectoração) e chiado no peito.

Geralmente, é causada pela exposição a longo prazo a gases irritantes ou partículas, na maioria das vezes causada pela fumaça do cigarro.

Pessoas com DPOC correm maior risco de desenvolver doenças cardíacas, câncer de pulmão e uma variedade de outras condições.

Tipos de doença pulmonar obstrutiva crônica

DPOC é um termo genérico usado quando se tem uma ou mais destas condições:

Enfisema

Resulta de danos dos sacos aéreos (alvéolos) ou melhor as paredes dentro dos alvéolos se encontram destruidas e estes se fundem tronando-se um saco aéreo gigante.

Estes sacos, por sua vez, se tornam incapazes de absorver oxigênio. Os alvéolos danificados podem esticar os pulmões e perder a elasticidade. O ar fica preso nos pulmões e não permitindo a respiração, consequentemente a sensação da falta de ar.

Compreenda melhor o que é enfizema aqui.

Bronquite crônica

Bronquite crônica é a inflamação do revestimento dos tubos brônquicos, que transportam ar de e para os sacos de ar (alvéolos) dos pulmões. Geralmente apresenta-se com uma tosse, falta de ar e muco que perdure pelo menos 3 meses durante 2 anos seguidos.

Geralmente quem é acometido pela bronquite crônica apresentam esses sintomas porque perdem os cílios, os que revestem os tubos brônquicos e ajudam a remover o muco. Isso dificulta a remoção do muco.

Entenda melhor o conteito, as causas e o tratamento da bronquite crônica aqui.

Asma refratária

Esse tipo de DPOC também pode ser chamado de irreversível. Não responde aos medicamentos normais para asma.

Sintomas da doença pulmonar obstrutiva crônica

Os sintomas da DPOC geralmente não aparecem até que ocorram danos pulmonares significativos, e geralmente pioram com o tempo, principalmente se a exposição ao fumo continuar.

Os sinais e sintomas da DPOC podem incluir:

  • Falta de ar, especialmente durante atividades físicas
  • Chiado
  • Aperto no peito
  • Tosse crônica que pode produzir muco (escarro) que pode ser claro, branco, amarelo ou esverdeado
  • Infecções respiratórias frequentes
  • Falta de energia
  • Perda de peso não intencional (em estágios posteriores)
  • Inchaço nos tornozelos, pés ou pernas

As pessoas com DPOC também têm probabilidade de experimentar episódios chamados exacerbações, durante os quais seus sintomas se tornam piores que a variação diária usual e persistem por pelo menos vários dias.

Causas da doença pulmonar obstrutiva crônica

A DPOC ocorre quando os pulmões ficam inflamados, danificados e estreitados. A principal causa é o fumo, embora a condição às vezes possa afetar pessoas que nunca fumaram.

Alguns casos de DPOC são causados ​​por exposição prolongada a vapores ou poeira prejudiciais. Outros são o resultado de um problema genético raro, o que significa que os pulmões são mais vulneráveis ​​a danos.

Fisiopatologia da doença pulmonar obstrutiva crônica

O ar percorre a traqueia (traquéia) e entra nos pulmões através de dois tubos grandes (brônquios). Dentro de seus pulmões, esses tubos se dividem muitas vezes – como os galhos de uma árvore – em muitos tubos menores (bronquíolos) que terminam em grupos de pequenos sacos de ar (alvéolos).

Como funciona os pulmões? Quais são as doenças pulmonares?

Os sacos aéreos têm paredes muito finas cheias de pequenos vasos sanguíneos (capilares). O oxigênio no ar que inalamos passa para esses vasos sanguíneos e entra na corrente sanguínea.

Ao mesmo tempo, o dióxido de carbono – um gás que é um produto residual do metabolismo – é exalado.

Os pulmões dependem da elasticidade natural dos tubos brônquicos e bolsas de ar para forçar a saída de ar do corpo. A DPOC faz com que eles percam a elasticidade e se expandam demais, deixando um pouco de ar nos pulmões quando se expira.

Causas de obstrução das vias aéreas

  • Enfisema.
  • Bronquite crônica.
  • Fumaça de cigarro e outros irritantes

Deficiência de alfa-1-antitripsina.

Em cerca de 1% das pessoas com DPOC, a doença resulta de um distúrbio genético que causa baixos níveis de uma proteína chamada alfa-1-antitripsina (AAt).

O AAt é produzido no fígado e secretado na corrente sanguínea para ajudar a proteger os pulmões. A deficiência de alfa-1-antitripsina pode causar doenças hepáticas, pulmonares ou ambas.

Tratamentos para DPOC

Os danos nos pulmões causados ​​pela DPOC são permanentes, mas o tratamento pode ajudar a retardar a progressão da doença.

Os tratamentos incluem:

  • parar de fumar
  • inaladores e medicamentos
  • reabilitação pulmonar – um programa especializado de exercício e educação
  • cirurgia ou transplante de pulmão – embora isso seja apenas uma opção para um número muito pequeno de pessoas

Para adultos com DPOC relacionados à deficiência de AAt, as opções de tratamento incluem aquelas usadas para pessoas com tipos mais comuns de DPOC. Além disso, algumas pessoas podem ser tratadas substituindo a proteína AAt que falta, o que pode impedir mais danos aos pulmões.

Você Irá Gostar

4 Benefícios do consumo moderado de vinho
Como o COVID-19 ataca o corpo?
Menu

newsletter augusto bene